Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

O chumbo grosso que vai ganhando trânsito livre



Arte de Camila Adamoli sobre fotos Divulgação

Imagem da Matéria

O Pampa limpo

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) fechou-se em copas sobre a recomendação do Conselho Estadual de Direitos Humanos para que não seja concedida a licença prévia de instalação e de operação para o Projeto Mineração Santa Maria Ltda., no município de Caçapava do Sul (RS). O empreendimento é titulado pelas empresas Votorantim Metais e Iamgold (esta canadense-norueguesa).

O Espaço Vital não obteve retorno à tentativa de contato com Ana Pellini, diretora da Fepam.

O documento do CEDH alerta sobre “inconsistências teóricas, técnicas e metodológicas do EIA-Rima”, como que o projeto da Votorantim Metais Holding e da Iamgold Brasil representa “uma afronta aos direitos estabelecidos por legislações nacionais e internacionais”.  Seria um risco de repetição ao que aconteceu em Mariana (MG).

Nesse caso da bacia do Rio Camaquã, as populações sem recursos que abraçaram a causa obtiveram, na semana passada, um apoio de grande efeito do carismático Guri de Uruguaiana. Nas redes sociais circula um testemunhal dele, declarando-se “a favor do Pampa e do Rio Camaquã limpos, sem esse negócio de mineração de metais pesados”.

O Guri apela “à preservação da natureza do Rio Grande”. E faz uma crítica, bem a seu jeito, contra a especulação por grupos econômicos. “Que barbaridade!” – arremata.

A propósito: o Guri é de Uruguaiana, mas Jair Kobe, seu criador, é natural de Porto Alegre. Ex sacoleiro e dono de restaurante, cursou três faculdades (Análise de Sistemas, Música e Ciências Contábeis), mas não terminou nenhuma delas…

Jair virou Guri, ao acaso, em 2001, ao apresentar o show “Seriamente Cômico”, no Teatro do Ipergs. Desde então está na vida de comediante.

Veja o testemunhal do Guri de Uruguaiana: Mas que barbaridade!

Procuram-se honestos dispostos!

• O pesquisador Maurício Moura, da Universidade George Washington, nos Estados Unidos, e fundador da consultoria Ideia Big Data, foi a campo para tentar entender quem é o candidato “de centro” ideal para o Brasil. A equipe dele ouviu 10 mil eleitores.

Destes, 57% disseram “não querer nenhum candidato sequer citado na Operação Lava-Jato, independentemente de ter sido absolvido ou condenado”.

Mais: em outra sondagem, com 3.000 eleitores, 53%  deles preferem “um candidato de fora da política”. E o índice mencionado é também dos que afirmam “ter rejeição a algum partido político”. Nessa última abordagem, 95% rejeitam PT (56%), PMDB (20,5%) e PSDB (19,7%).

As características que devem compor a personalidade do candidato são: honestidade (42%), transparência (42%) e bom caráter (7%).

Alguém se habilita?

O médico consumidor

Inclemente - mas correto - crítico das políticas públicas de saúde no Brasil, o gastroenterologista Paulo Clemente de Argollo Mendes, presidente do Sindicato Médico do RS há 19 anos, teve na semana passada uma vitória judicial como simples consumidor. O 4º Juizado Especial Cível de Porto Alegre assegurou-lhe o direito de receber de volta o preço pago (R$ 4.104) por um novo e flamante – mas deficiente - “televisor Samsung de 55 polegadas, em curva, sistema a LED”.

O depoimento do técnico foi fundamental: “Quando, em julho, fazia a instalação, após abrir a caixa que estava lacrada, percebi um vazamento no LED do produto no lado esquerdo, como se tivesse vazado cristal. Acredito que o problema tenha decorrido de falha da própria fábrica ou do transporte”.

De tramitação eletrônica, a arenga judicial foi rápida. Desde o ajuizamento, até a sentença dois meses e uma semana. Elogios ao JEC! E para a sorte de Argollo, a tartaruga forense tradicional não foi vista nas proximidades. (Proc. nº 9034128-35.2017.8.21.0001).

A propósito: a ação do médico Argollo não foi contra a Samsung, mas contra a empresa vendedora do televisor – a CNova S.A. Ela é líder do mercado de comércio eletrônico na França e agora no Brasil, aqui parceira da Ponto Frio.

Vende, on line, eletrodomésticos, eletrônicos, computadores e artigos para o lar, de lazer e bens de uso pessoal. Tem cacife para atender a condenação imediatamente.

Conhecimento de causa

O juiz Sérgio Moro foi convidado pela diretoria da Petrobrás a palestrar, na estatal, sobre a operação que expôs o gigantesco esquema de corrupção que abalou o Brasil e surpreendeu o mundo.

Moro aceitou. Falta definir a data.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Armário da comarca: sete anos e meio de lentidão processual em ação penal que tem 25 denunciados por fraude contra o Banrisul.

 Armário da corte: o triste atropelamento de 17 ciclistas e uma ação penal que teima em não terminar.

 Sinal vermelho da Environment Justice Atlas sobre Porto Alegre: precariedade da mobilidade urbana e demora na solução judicial.

 Corregedor nacional da justiça apõe intrigante segredo de justiça no pedido de providências sobre o plantão do TRF-4 que quase soltou Lula.

STF suspende cobrança abusiva de 40% pelos planos de saúde

· Na decisão, Cármen Lúcia afirma que “saúde não é mercadoria, vida não é negócio, e dignidade não é lucro”.

· Auxílio-maternidade a uma mulher que adotou menina de 12 anos.

· Franklin Martins, envolvido no sequestro do embaixador Charles Burke Elbrick, poderá estar na equipe de Dias Tóffoli na presidência do STF.

· Custódia do notebook apreendido na residência do empresário Henrique Constantino, um dos fundadores da Gol.

Reflexos e rescaldos de um plantão controvertido

• AJUFE não defenderá Favreto se ele for denunciado por prevaricação. Na eventual ação penal cabem transação penal e suspensão condicional da pena.

 Das redes sociais: “Outrora atribuída a advogados desqualificados, nosso país acaba de criar a figura do desembargador de porta de cadeia”.

 O “tríplice milagre” realizado por Lula.

•  “Rádio-corredor” forense anuncia candidato de oposição às eleições da OAB-RS. Mas o objetivo é 2021.

O polêmico desempenho do desembargador Favreto, no controvertido plantão do TRF-4

• O Espaço Vital pediu a opinião de 20 advogados sobre a confusão jurídica do domingo. Entre as respostas, veio à baila o ensaio da Grécia antiga: “Ne sutor ultra crepidam”.

 Google vence Xuxa definitivamente. Insucesso da ação que buscava a remoção de imagens e links a quem digitasse, no mecanismo de buscas, o nome da apresentadora e “pedófila”.

 Clamor feminista pretende que a OAB passe a chamar-se Ordem da Advocacia do Brasil. Sonho que fica para 2019 ou 2020.

• Só uma seccional estadual da OAB tem, atualmente, mais advogadas do que advogados.

 Mas as estagiárias já são maioria, na estatística nacional.

Salvo surpresas, Gilmar Mendes fica no STF até 30.12.2030

 Facchin indefere o pedido para que o Senado analise o impeachment do ministro colega. E a PGR não vai recorrer.

 Novo round no julgamento do caso que gerou a acusação de suposta corrupção no TJ de Santa Catarina: ontem, o voto- vista do vogal.

 Advogado gaúcho analisa supremas incoerências recentes do STF

Indenização para Luciano Huck por uso indevido de seu nome em lançamento imobiliário

 Decisão do STJ confirma a condenação da Cipesa, construtora de luxuoso empreendimento residencial em São Paulo, mas isenta a imobiliária que fez a comercialização.

 Conselho Seccional da OAB-RS exclui mais três advogados.

 A internacional Environment Justice Atlas aponta conflitos socioambientais em três casos no RS: um deles é a demora da Justiça gaúcha em decidir o caso do atropelamento coletivo de 17 ciclistas.

 Os gols financeiros que os planos de saúde festejam durante a Copa do Mundo.