Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 15 de junho de 2018.

Potins desta terça-feira



Hora de mudar paradigmas

“Há no Brasil uma imensa demanda por integridade, idealismo e patriotismo. Esta é a energia que muda paradigmas e empurra a história”.

O pensamento foi externado pelo ministro do STF Luís Roberto Barroso, ovacionado na quarta passada (1º), ao falar no 34º Encontro Nacional dos Procuradores da República, em Recife (PE).

Ontem (6) em Buenos Aires, o mesmo Barroso abriu a conferência da ONU sobre corrupção na América Latina. (Leia o tópico seguinte).

Nação de delinquentes

Em Buenos Aires, ontem (6) Barroso disse que “o Direito Penal brasileiro não entrega o que deveria: impedir a criminalidade”. Mais: o sistema legal-jurisdicional brasileiro “só serve para punir menino pobre com 100 gramas de maconha”.

Prosseguindo, o ministro do STF afirmou que “as normas do Brasil não são capazes de impedir os crimes do colarinho branco e alcançar pessoas que ganham mais de cinco salários mínimos por mês”.

No arremate, Barroso definiu o Brasil como “o país da corrupção passiva e ativa, do desvio de dinheiro, do peculato, da lavagem de dinheiro, da fraude a licitações – que criou uma nação de delinquentes”.

Especulação

O sucesso de Barroso talvez não esteja agradando aquele loquaz “padrinho de casamento”.

Aguardam-se desdobramentos.

Juízes ameaçados

Levantamento que está sendo feito no Conselho Nacional de Justiça pode culminar em resolução inédita e talvez polêmica: a transferência de “juízes em situação de risco em suas áreas de atuação, cidades, varas e comarcas” para outras cidades e estados.

Detalhe: eles não perderiam a titularidade e a vinculação nos processos que estão instruindo e julgando.

A novidade é turbinada ante as crescentes ameaças de criminosos a magistrados e seus familiares.

Conhecimento de causa

O juiz Sérgio Moro foi convidado pela diretoria da Petrobrás a palestrar, na estatal, sobre a operação que expôs o gigantesco esquema de corrupção que abalou o Brasil e surpreendeu o mundo.

Moro aceitou.

Falta apenas definir a data.

Quem sobe!

Em poucas semanas, Temer terá nomeado dois ministros para o TST. O mineiro Breno Medeiros terá posse na próxima quinta-feira (9). Com padrinho forte foi nomeado poucas semanas depois de entrar na disputa.

E a aposentadoria do ex-presidente João Oreste Dallazen já mobiliza muitos candidatos.

A vaga dele é para magistrados de tribunais regionais. Teoricamente são quase 300 homens de togas em condições de concorrer.

Das redes sociais

Não vou criticar o Paolo Guerreiro. Eu também já me dopei para ajudar o PERU”.

(A postagem é ilustrada por uma embalagem de viagra)


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta terça-feira

 Gleisi Hoffmann quer que o Judiciário se sensibilize com o caos social e libere Lula.

• Na política brasileira, outubro chegou em junho.

 STJ decide se cidadã pode deixar de se chamar Tatiana, para ser Tatiane.

 Ainda sem título definitivo, vem aí as “memórias do cárcere de Lula”.

• As buscas no apartamento de Augusto Nardes: nada ostensivo...

 Brasileiros acreditam pouco na seriedade das eleições.

•  Benesses para os planos de saúde: 107% de aumento em sete anos.

Potins desta terça-feira

 Maior jornal da Inglaterra diz que “Sérgio Moro é “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

 Governo acaba de criar mais um elefante branco: o SUSP, irmão do SUS.

•  STF vota na quinta-feira (24) proposta de nova súmula vinculante.

 Quando a “utilidade política” prevalece sobre a utilidade pública...

 Embaixadas para Temer, Moreira e Padilha – se Alkmin for Presidente da República. Mas ele nega.

• População com 60 de idade, ou mais, estará superando os moços de 16 a 24 anos, nas eleições de outubro.

 Impasse no TST para tentar orientar decisões uniformes em ações trabalhistas.

 Prorrogação do benefício de salário-maternidade, em decorrência de parto prematuro.

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.

Potins desta sexta-feira

• Presença estranha deixa magistradas assustadas em importante reunião na Universidade de Harvard.

•  Governo brasileiro exclui entidades da lista de convidados para a reunião anual da Organização Internacional do Trabalho.

•  Temer torce pela vitória de Henrique Meirelles: quer ser ministro da Justiça a partir de 2 de janeiro.

•  Empresas envolvidas em desastres ambientais só pagaram 3,4% das multas ambientais, que totalizam R$ 785 milhões.

•  Quem são os políticos, empresários e magistrados alfinetados nos voos comerciais brasileiros.

• O largo par de headphones que faz Luiz Fux não ser incomodado quando voa de Brasília ao Rio, e vice-versa.

Potins desta terça-feira

• Nova súmula do STJ publicada: prazo para seguro de vida cobrir suicídio

 Decisão da 2ª Seção do tribunal também cancelou a Súmula nº 61

 O aumento do tesão financeiro dos donos de motéis.

 Filha de Eduardo Cunha concorrerá a deputada federal como herdeira política do pai.

 A queda da arrecadação das maiores centrais sindicais do país.

 Impasse entre herdeiros da travesti Rogéria, falecida em 2017.

Potins desta terça-feira

 Advogado revela novo ponto de domínio dos flanelinhas em Porto Alegre.

• Eleições para a OAB-RS serão na última semana de novembro, no Gigantinho.

 Novas banheiras de hidromassagem para deputados federais.

 Fale com “Mister Bud”: ele anuncia os benefícios e malefícios da maconha.

• Mais da metade dos 640 mil orelhões espalhados pelo Brasil não são utilizados um minuto sequer.

• Qual o ministro preferido de Temer? Dou-lhe um, dou-lhe dois, dou-lhe três...

 Cinco procedimentos no CNJ contra desembargadora que ofendeu a falecida vereadora Marielle e pessoas com síndrome de Down.