Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Polícia de Lisboa dispara 40 vezes e mata brasileira por engano



Uma brasileira identificada como Ivanice Carvalho da Costa, de 36 anos, foi morta por engano com um tiro no pescoço pela polícia de Lisboa (Portugal), na madrugada de ontem (16). Foram efetuados mais de 40 disparos contra o carro em que ela estava com o namorado, também natural do Brasil. As informações são do jornal português Correio da Manhã.

De acordo com o jornal local, o veículo de Ivanice, um Renault Mégane preto, não obedeceu à ordem de parar da polícia, que estava à procura de um Seat Leon da mesma cor usado por bandidos — com os quais os policiais haviam trocado tiros cerca de meia hora antes, num assalto a um caixa eletrônico. Os criminosos conseguiram fugir.

A polícia portuguesa afirma que o condutor do carro, o namorado de Ivanice, "tentou atropelar os policiais e, ato contínuo, estes foram obrigados a disparar". O automóvel ficou com mais de 20 marcas de tiros. E, no chão, foram recolhidas mais de 40 balas, o número total de disparos.

Ivanice estava há pelo menos dois anos em Portugal. Ela não tinha família naquele país e trabalhava no Aeroporto de Lisboa.

O namorado dela foi detido por dirigir sem carteira de habilitação, desobediência e condução perigosa. Ele e os agentes que participaram da ação prestaram depoimentos.

A polícia instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias da tragédia. A embaixada brasileira em Lisboa informou, por nota ("A Embaixada acompanha atentamente o caso e aguarda novas informações a respeito do inquérito com vistas a determinar o curso de ação a ser tomado") que tomou conhecimento da morte da brasileira e lamentou o ocorrido.

A família da vítima já entrou em contato com o consulado-geral, que prestará o apoio cabível.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Imagem Euronews

Rede de cafeterias fechará 8 mil lojas por um dia

 

Rede de cafeterias fechará 8 mil lojas por um dia

A Starbucks não abrirá ao público no dia 29 de maio, para um treinamento que envolverá 120 mil funcionários, nos EUA. Objetivo: conscientização para evitar racismo e reações despropositadas contra clientes e pessoas inocentes. Precedente é lembrado em sentença gaúcha que condenou a rede Zaffari por dano moral contra três adolescentes negros.

O pior caso de gonorreia do mundo espanta os médicos

Um estudante universitário do Reino Unido – que estava em um relacionamento estável - contraiu a infecção em um caso extraconjugal, quando viajou à Ásia. Antibióticos empregados não conseguem deter a evolução da doença.