Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017
http://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

As pedaladas do Inter foram de R$ 29 milhões, mas podem chegar a 80



Auditoria nas contas do clube gaúcho está sendo feita por empresa que tem sede em Londres

O Ministério Público do RS está com maços de documentos - a maioria já digitalizados – que constituem um expediente chamado de “Inter 2015/2016”. São papéis pinçados e fornecidos pela empresa Ernst & Young Auditores Independentes. Ela é uma das quatro maiores empresas de serviços profissionais do mundo, presente em 150 países, em 728 escritórios, e com mais de 190 mil funcionários.

Com sede em Londres, ela presta serviços de auditoria, elisão fiscal, consultoria e transações corporativas.

Os auditores que atuam no escritório porto-alegrense da empresa – e que fizeram repetidas visitas ao Beira-Rio – analisaram desembolsos exagerados ou – como diz a “rádio-corredor” do Estádio Beira-Rio - “gastos absurdos sem suporte legal e decente”, que chegam a R$ 9 milhões.

Ontem, surgiu um dado novo: “o alcance pode ter chegado a R$ 29 milhões”.

Etiquetas coloridas ajudam na separação por assuntos: “gestão temerária”, “despesas sem comprovação”, “gastos com empresas da construção civil”.

Detalhe: o montante de R$ 29 milhões não esquadrinhou -  por enquanto - as despesas do Departamento de Futebol do Inter, para as quais concorreram detalhes altamente subjetivos, como a contratação de “atletas de baixo potencial, mas de alto custo” – como irradiou a congênere “rádio-corredor” do MP-RS.

Há quem esteja de olho na maneira como o clube gastou, no futebol, outros R$ 51 milhões. Juntando, em graúdos, seriam R$ 29 mi + R$ 51 mi.

Somando, impressionantes R$ 80 milhões.

O dia de Cunha

Até oito meses atrás como cidadão sem antecedentes criminais, o notório Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deve ter acordado hoje com inquietações, na cela gelada de Curitiba.

É que nesta terça, o TRF da 4ª Região julga os recursos do malfazejo político e do MPF que, respectivamente, buscam zerar e ampliar a (primeira) pena de 15 anos e 4 meses, por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, proferida em março passado.

A previsão de diversas ´rádios-corredores´ de operadores jurídicos coincide: “Cunha não se livra”.

Mas ninguém arrisca dizer se a pena será diminuída ou aumentada.

Realidade pobre, realidade rica.

Há novos dados revelados pelo Conselho Nacional de Justiça sobre a população de presos provisórios no Brasil. São atualmente 251 mil, predominantemente não brancos, pobres e de baixa instrução, sem julgamento em primeira instância.

Fossem brancos, ricos e com bons advogados – desses que incursionam defensivamente na Lava Jato – nem presos provisórios seriam. E estariam, sim, na pauta do Supremo.

Que é aquela que: a) mantém o escandaloso foro privilegiado para figurões; b) revoga a prisão de condenados em segunda instância. Etc.

 Tratamento de milhões

O Ministério da Saúde conseguiu reduzir o preço de compra do ´Spinraza´ - único medicamento disponível no mundo, indicado para combater a atrofia medular espinhal, que é doença rara e degenerativa que atinge um em cada 10 mil bebês.

Cada paciente usa seis ampolas por ano e o custo unitário baixou de R$ 420 mil para R$ 209 mil.

O tratamento, que vem sendo determinado por liminares, é um dos itens mais altos das despesas do SUS, na rubrica de “remédios de alto custo”.

Mina de dinheiro, o ´Spinraza´ é comercializado pela Biogen de Cambridge, Massachusetts e foi desenvolvido pela Ionis Pharmaceuticals de Carlsbad, Califórnia.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Brasileira estudante de Direito faz aborto na Colômbia

• O dilema da mãe de dois meninos – e com nova gestação avançando – enquanto a Justiça brasileira não decidia.
Rebeca Mendes Silva (foto) teve apoio da ONG Consórcio Latinoamericano contra o Aborto Inseguro.
• A próxima decisão do STF sobre a prisão, ou não, logo após a condenação de segunda instância.
• Sérgio Cabral: pastor de igreja, ou ladrão? Qual os leitores preferem?
• Procuram-se políticos honestos para uma festa do amigo secreto, em Brasília.

Natal generoso para várias dezenas de magistrados gaúchos

•TJRS está pagando novas “diferenças residuais da transição da URV”, cuja conta já custou ao Estado mais de R$ 1,4 bilhão.
• Decisão da Justiça de SC mantém o pagamento do imposto sindical.
• Universitários (as) e estagiários (as) cuidem-se! Entre eles, 12% nunca usam, nem exigem, a camisinha.
• Dois desembargadores do TRT-RS habilitados à vaga de ministro do TST.

Março ou abril: as datas em que Lula poderá ser condenado ou absolvido pelo TRF-4

• Voto pronto já saiu do gabinete de Gebran Neto e agora está, criptografado, no notebook de Leandro Paulsen.
• Lembram daquela história do “usufruto financeiro” de Eduardo Cunha? Vai custar a ele R$ 3,8 milhões de multa.
• O silêncio domina, dez meses e meio de depois da morte de Teori Zawascki.
• Mudança na jurisprudência da ação de cobrança de quotas condominiais.

Mais cuidados ao prestar fiança!

• Decisão do STJ estabelece que “fiadores de contrato de locação são solidariamente responsáveis pelos débitos locativos, ainda que não tenham anuído com o aditivo contratual que previa a prorrogação do contrato”.
• O castigo judicial contra advogado que ameaçou matar ex-namorada.
• Brasil: “pátria das tornozeleiras”.
• O dedo-duro do zagueiro da Ponte Preta...

Um grande lobby para tentar liberar os cigarros eletrônicos no Brasil

• A Souza Cruz tenta convencer a Anvisa e a opinião pública de que os E-cigarettes não causam mal à saúde. Mas...
• Agentes do propinoduto só esperam a chegada de Papai Noel para poderem sair por aí...
• Os US$ 59 milhões anuais que fizeram Luciano Huck desistir de concorrer à Presidência da República.