Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 19 de outubro de 2018.

Devolução de 60 milhões de euros de pensões alimentícias



Camera Press

Imagem da Matéria

Uma corte italiana determinou na última quinta-feira (14) que o ex-premier Silvio Berlusconi não precisa mais pagar à sua ex-esposa 1,4 milhões de euros por mês. Segundo o Tribunal de Apelação de Milão, o magnata foi “tratado de forma injusta em uma ação de divórcio com a ex-atriz Veronica Lario”, que agora fica obrigada a devolver pagamentos de pensão familiar de Berlusconi num valor de cerca de € 60 milhões.

O desfecho está na mesma linha de uma decisão considerada histórica do principal Tribunal de Apelação da Itália em maio, segundo o qual “os acordos de divórcio não precisam garantir aos cônjuges seu padrão de vida anterior, mas sim garantir que eles sejam financeiramente independentes”.

A nova decisão favorável a Berlusconi considerou o argumento do ex-marido de que “Veronica tem patrimônio em dinheiro de cerca de € 16 milhões de euros, bem como joias e uma empresa de negócios imobiliários”.

Berlusconi, sétimo homem mais rico da Itália tem bens estimados em cerca de € 7 bilhões e foi casado com Veronica por mais de 22 anos. Eles se separaram em 2009, com Veronica denunciando casos extraconjugais do marido. O divórcio foi formalizado em 2014.

Em 2012, um tribunal fixou inicialmente uma pensão familiar de € 3 milhões por mês para Veronica. A soma foi posteriormente reduzida para € 1,4 milhão, mas Berlusconi ainda questionava os valores, alegando que eram muito altos.

Após sua separação, Berlusconi esteve envolvido em escândalos sobre suas festas sexuais conhecidas como "bunga-bunga" e foi também condenado por pagar para fazer sexo com uma menor, que à época tinha 17 anos. O veredito condenatório foi revogado quando um tribunal de apelação reconheceu não ter ficado provado que Berlusconi soubesse que a jovem era menor de idade.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas