Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017
http://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Um grande lobby para tentar liberar os cigarros eletrônicos no Brasil



Arte de Camila Adamoli sobre foto Gannett

Imagem da Matéria

Bafo sem cheiro

A Souza Cruz começa esta semana uma nova frente negocial: tentará convencer a Anvisa – e a opinião pública - de que os cigarros eletrônicos não fazem mal à saúde. O planejamento verde-e-amarelo inclui seminários, conversas, distribuição de releases e afins para tentar realçar que esse tipo de tabagismo – proibido no Brasil desde 2009 – está liberado nos EUA e Europa.

A fumaça lobista – de médio e longo prazo - vai dar o que falar.

Os cigarros eletrônicos têm piteira e contêm cartucho substituível, preenchido com um líquido composto de propilenoglicol, nicotina e substâncias aromatizantes (estas últimas, opcionais).  O usuário aspira uma névoa contendo pequenas gotículas do líquido. Como complemento, vão junto micro gotas de nicotina que o fumante necessita para manter a dependência.

Riscos à saúde

Os cigarros eletrônicos, conhecidos como E-cigarettes, produzem substâncias tóxicas similares às encontradas no tabaco e podem prejudicar os pulmões e sistema imunológico, afirmaram recentemente cientistas da Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos.

O novo estudo é tido como o primeiro em que animais foram expostos ao vapor de nicotina e comprovou que a alternativa está longe de ser uma alternativa segura para fumar.

Nos experimentos, os ratos expostos à fumaça dos E-cigarrettes sofreram danos leves nos pulmões e tornaram-se muito mais suscetíveis a infecções respiratórias. As respostas imunitárias a vírus e bactérias foram enfraquecidas e alguns animais morreram.

Os cientistas também descobriram que o vapor do cigarro eletrônico contêm toxinas 'radicais livres' semelhantes às encontradas na fumaça do cigarro e da poluição atmosférica. A pesquisa foi publicada no jornal online Public Library of Science One.

Papai Noel bem-vindo!

• Acompanhado, dia e noite, por uma tornozeleira e em prisão domiciliar há nove meses, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró está contando os dias (faltam 26) para a chegada do 24 de dezembro. A partir dessa data, ele poderá sair de casa nos dias úteis, entre 10h da manhã e 8h da noite, para zanzar por aí.

• Na mesma véspera natalina, o lobista Fernando Soares (o “Baiano”) também terá uma super alegria. Deixará de ser monitorado pela algema canelar e, então, terá apenas que dormir em casa (Barra da Tijuca, Rio) e prestar seis meses de serviço comunitário. A partir de julho ganha o mundo, livre e faceiro. E endinheirado, claro.

• E Pedro Barusco – que como ex-gerente da Petrobras “ganhou” o suficiente para devolver mais de R$ 200 milhões à estatal - no dia 31 de dezembro ele se livrará da tornozeleira. E a partir de março, poderá até viajar ao exterior. Tem cacife para o que der e vier.

• Na conjunção, já tem gente pensando que o crime compensa.

Dilema milionário

A “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB irradiou ontem (27) uma informação de que as dúvidas de Luciano Huck sobre sua candidatura – agora sepultada - ao Planalto em 2018 não tinham origem nem política, nem partidária.

É que, semana passada, ele ficou ciente de que a Globo rescindiria seu contrato, no mesmo dia em que se filiasse a um partido. Consequência imediata, perderia milhões em dinheiro (salários, produção de filmes, receitas de imagem e merchandising).

A propósito, a revista People With Money (EUA) diz que Luciano é “o apresentador mais bem pago no mundo” – receita anual de US$ 59 milhões. Uma bagatela de U$ 4,9 mi mensais – ou U$ 163 mil diários.

Não dá para perder tudo isso aí... Principalmente se a intenção for, mesmo, manter-se distante dos milhões que jorram no propinoduto.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Brasileira estudante de Direito faz aborto na Colômbia

• O dilema da mãe de dois meninos – e com nova gestação avançando – enquanto a Justiça brasileira não decidia.
Rebeca Mendes Silva (foto) teve apoio da ONG Consórcio Latinoamericano contra o Aborto Inseguro.
• A próxima decisão do STF sobre a prisão, ou não, logo após a condenação de segunda instância.
• Sérgio Cabral: pastor de igreja, ou ladrão? Qual os leitores preferem?
• Procuram-se políticos honestos para uma festa do amigo secreto, em Brasília.

Natal generoso para várias dezenas de magistrados gaúchos

•TJRS está pagando novas “diferenças residuais da transição da URV”, cuja conta já custou ao Estado mais de R$ 1,4 bilhão.
• Decisão da Justiça de SC mantém o pagamento do imposto sindical.
• Universitários (as) e estagiários (as) cuidem-se! Entre eles, 12% nunca usam, nem exigem, a camisinha.
• Dois desembargadores do TRT-RS habilitados à vaga de ministro do TST.

Março ou abril: as datas em que Lula poderá ser condenado ou absolvido pelo TRF-4

• Voto pronto já saiu do gabinete de Gebran Neto e agora está, criptografado, no notebook de Leandro Paulsen.
• Lembram daquela história do “usufruto financeiro” de Eduardo Cunha? Vai custar a ele R$ 3,8 milhões de multa.
• O silêncio domina, dez meses e meio de depois da morte de Teori Zawascki.
• Mudança na jurisprudência da ação de cobrança de quotas condominiais.

Mais cuidados ao prestar fiança!

• Decisão do STJ estabelece que “fiadores de contrato de locação são solidariamente responsáveis pelos débitos locativos, ainda que não tenham anuído com o aditivo contratual que previa a prorrogação do contrato”.
• O castigo judicial contra advogado que ameaçou matar ex-namorada.
• Brasil: “pátria das tornozeleiras”.
• O dedo-duro do zagueiro da Ponte Preta...