Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017
http://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Mais cuidados ao prestar fiança!



Fiadores, atenção!

Um alerta a quem - de bom grado, ou socialmente compungido – concede fiança. Decisão superior estabelece que “fiadores de contrato de locação são solidariamente responsáveis pelos débitos locativos, ainda que não tenham anuído com o aditivo contratual que previa a prorrogação do contrato”.

O entendimento é da 3ª Turma do STJ, em julgamento de recurso especial interposto por um fiador que buscava o reconhecimento da extinção da fiança por não ter assinado aditivo contratual que aumentou o valor do aluguel e prorrogou o prazo de locação.

O tribunal estadual paulista, apesar de reconhecer que o fiador não assinou o aditivo, entendeu que “a garantia prestada persiste até o encerramento da locação, com a ressalva apenas de não haver responsabilidade quanto ao novo valor convencionado entre locador e locatário”.

No STJ, a relatora, ministra Nancy Andrighi, votou no mesmo sentido. Ela mencionou o artigo 39 da Lei nº 8.245/91, que estabelece que, “salvo disposição contratual em contrário, qualquer das garantias da locação se estende até a efetiva devolução do imóvel”.

O julgado superior destacou que a lei permite ao fiador exonerar-se da obrigação mediante a notificação resilitória, reconhecendo que a atitude de não mais responder pelos débitos locatícios deve partir do próprio fiador, nos termos do artigo 835 do Código Civil de 2002.

Conforme o acórdão, “não havendo cláusula contratual em sentido contrário ao disposto no artigo 39 da Lei de Inquilinato – isto é, que alije os fiadores da responsabilidade até a entrega das chaves – e, tampouco, a exoneração da fiança por parte dos garantes, deve prevalecer o disposto na lei especial quanto à subsistência da garantia prestada”.

Em relação ao aditivo contratual, o STJ também manteve o entendimento do TJ-SP de que “a responsabilidade dos fiadores permanece limitada ao valor de aluguel previsto no contrato original e de acordo com índice de correção por ele previsto”. (REsp nº 1607422).

 Punição intelectual para o valentão

Sentença proferida na comarca de Brasiléia (AC) condenou um advogado a exercer a atividade profissional de forma gratuita como pena restritiva de direitos, após ameaçar de morte a ex-namorada.  O valentão – que também é vereador - será nomeado para atuar em dez ações cíveis e/ou penais, sem receber qualquer valor, atendendo obrigatoriamente pessoas que não disponham de recursos.

Seu trabalho – inclusive a interposição dos eventuais recursos - será acompanhado pelos escrivães das varas em todas as etapas.

Segundo a denúncia, o agir antissocial do acusado ocorreu por não ter ele aceitado o fim do relacionamento amoroso.  O réu, a seu turno, alegou que “a divergência no relacionamento foi decorrência de o homem e a mulher serem filiados a partidos políticos oposicionistas, o que afetou a relação do casal”.

A pátria das...

• Segundo Nelson Rodrigues (1912-1980) o Brasil era considerado “a pátria das chuteiras”.

•  Em pleno 2017, o diplomata Marcos Azambuja propôs, esta semana, uma atualização pertinente: “O Brasil está virando a pátria das tornozeleiras”.

A desculpa do dedo-duro

A defesa do zagueiro Rodrigo Baldasso da Cunha, da Ponte Preta, estaria alegando que - ao introduzir seu dedo entre as nádegas do adversário Tréllez - o atleta só estava querendo divulgar, ao vivo, a importância do exame de próstata”.

(Da “rádio-corredor” da OAB de Campinas/SP).


Comentários

Luiz Carlos Costa De Moura - Comissario De Policia Aposentado 04.12.17 | 15:19:59
No meu entender a fiança é uma figura jurídica em completo desuso, garante-se as dívidas de qualquer outra forma porque fiador não se encontra. Nos aluguéis é mais comum o pagamento de um mês, ou mais de um, adiantado e no fim do contrato tem esse prazo para mudar sem pagamento.
Luiz Carlos Costa De Moura - Comissario De Policia Aposentado 04.12.17 | 15:14:10
Essa história do zagueiro da Ponte Preta e a alegação de sua defesa em prol do exame preventivo de próstata é de lascar, embora o exame seja importante, discutir o assunto dentro da área é demais e já direto, sem conversa, então...
Banner publicitário

Mais artigos do autor

Brasileira estudante de Direito faz aborto na Colômbia

• O dilema da mãe de dois meninos – e com nova gestação avançando – enquanto a Justiça brasileira não decidia.
Rebeca Mendes Silva (foto) teve apoio da ONG Consórcio Latinoamericano contra o Aborto Inseguro.
• A próxima decisão do STF sobre a prisão, ou não, logo após a condenação de segunda instância.
• Sérgio Cabral: pastor de igreja, ou ladrão? Qual os leitores preferem?
• Procuram-se políticos honestos para uma festa do amigo secreto, em Brasília.

Natal generoso para várias dezenas de magistrados gaúchos

•TJRS está pagando novas “diferenças residuais da transição da URV”, cuja conta já custou ao Estado mais de R$ 1,4 bilhão.
• Decisão da Justiça de SC mantém o pagamento do imposto sindical.
• Universitários (as) e estagiários (as) cuidem-se! Entre eles, 12% nunca usam, nem exigem, a camisinha.
• Dois desembargadores do TRT-RS habilitados à vaga de ministro do TST.

Março ou abril: as datas em que Lula poderá ser condenado ou absolvido pelo TRF-4

• Voto pronto já saiu do gabinete de Gebran Neto e agora está, criptografado, no notebook de Leandro Paulsen.
• Lembram daquela história do “usufruto financeiro” de Eduardo Cunha? Vai custar a ele R$ 3,8 milhões de multa.
• O silêncio domina, dez meses e meio de depois da morte de Teori Zawascki.
• Mudança na jurisprudência da ação de cobrança de quotas condominiais.

Um grande lobby para tentar liberar os cigarros eletrônicos no Brasil

• A Souza Cruz tenta convencer a Anvisa e a opinião pública de que os E-cigarettes não causam mal à saúde. Mas...
• Agentes do propinoduto só esperam a chegada de Papai Noel para poderem sair por aí...
• Os US$ 59 milhões anuais que fizeram Luciano Huck desistir de concorrer à Presidência da República.