Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

A busca de Lula por uma liminar em habeas corpus



Em busca de uma liminar

A defesa de Lula vai apresentar duas medidas para enfrentar a sua condenação pelo TRF da 4ª Região: embargos de declaração (prazo de dois dias, após a publicação do acórdão) e pedido de habeas corpus ao STJ (ainda sem data para a impetração). A dupla estratégia está ligada à esperança de obter uma liminar no HC para suspender os efeitos eleitorais da condenação penal.

Conforme a Lei da Ficha Limpa, os condenados criminalmente na segunda instância não podem ser candidatos. Mas é o Tribunal Superior Eleitoral quem faz a declaração de inelegibilidade -  e isso ocorre apenas no momento do registro da candidatura.

A estratégia jurídica é dupla: recorrer do mérito da condenação - mantendo-a, assim, “sub judice”; e acreditar numa liminar que suspenda a aplicação da Lei da Ficha Limpa ao caso.

Com os dois movimentos no tabuleiro jurídico, o ex-presidente e o PT esperam garantir-se nas eleições  de 7 e 28 de outubro, mesmo que os votos nele fiquem represados no sistema do TSE até que a situação eleitoral seja definida.

 Muitos dólares

A “rádio-corredor” da OAB de Brasília transmitiu ontem duas revelações contundentes contra o PT.

Primeira: a negociação da delação de Antonio Palocci está próxima de se tornar real.

Segunda: de acordo com Palocci, a quantidade de dólares que veio do Exterior para a eleição de 2002 foi de apreciáveis US$ 40 milhões.

No mais – pela dinheirama envolvida - algo capaz de deixar Geddel e o PMDB enciumados...

Três gols...

A criatividade brasileira ricocheteou de imediato, ontem, logo após o encerramento do julgamento.

As redes sociais repercutiram que os três desembargadores que condenaram Lula terão direito a pedir música no Fantástico.

Joesley 1 x Temer 0

Sentença proferida na 10ª Vara Cível de Brasília negou o pedido de reparação moral do presidente Michel Temer contra o empresário Joesley Batista, de quem pretendia receber R$ 600 mil, por afirmações publicadas em junho de 2017 na revista Época.  Na petição inicial, Temer verbera uma entrevista em que Joesley “desfiou mentiras e inverdades, maculando a honra com afirmações difamatórias, caluniosas e injuriantes (...), como atribuir a chefia de uma organização criminosa que praticava atos de corrupção e de obstrução à Justiça”.

Joesley contestou, alegando que a queixa-crime sobre os mesmos fatos, apresentada por Temer, foi extinta no Juízo penal.

Afirmou que “a manifestação corresponde aos fatos narrados em depoimento para formalização da colaboração premiada, depois homologada (18/05/2017) pelo ministro Edson Fachin, oportunidade em que houve a revogação do sigilo”.

Detalhe interessante para os advogados: a verba sucumbencial que será encargo de Temer foi fixada em R$ 60 mil. Cabe recurso de apelação. (Proc. nº 0713079-40.2017.8.07.0001).


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

O marketing da corrupção e a lentidão judicial

 Uma fraude que lesou o Banrisul em 2009 ainda não tem sentença. E o processo está parado numa vara criminal de Porto Alegre.

Advogado gaúcho, esposa e filhos são reintegrados, por decisão judicial, à Igreja Assembleia de Deus.

 Indeferidos 47 dos 49 pedidos de Eduardo Cunha, em ação em que o MPF pede 386 anos de prisão ao notório ex-deputado.

 Confirmada condenação de Joaquim Barbosa, por mandar jornalista “chafurdar no lixo”.

Sete anos sem resposta para a fraude dos alvarás judiciais

 Ação penal sobre desvios de dinheiro está esquecida em alguma prateleira da 2ª Vara Criminal de Caxias do Sul.

• O estratégico “um mês a mais” na condenação de Lula a 12 anos de prisão. Uma conclamação a advogados penalistas.

• Jair Bolsonaro diz como resolveria o predomínio da bandidagem na Rocinha...

• Por que a audiência do canal Sexy Hot está em alta?

Uma conversa captada em elevador de uma Corte do Sul: “Advogada é bicho cruel”...

 O súbito pânico de homens adúlteros que jantavam tranquilamente numa quinta-feira de verão.

 O Facebook prefere se defender nos Estados Unidos. E contrata o ministro aposentado Ayres Britto para atuar no Supremo brasileiro.

 O quanto STF, STJ e Congresso gastam nas salas vips do Aeroporto de Brasília.

Em defesa da marca “IVI – Imprensa Vermelha Isenta”

O engenheiro Ricardo Wortmann, blogueiro da Corneta do RW, notifica extrajudicialmente o radialista Pedro Ernesto Denardin, da RBS.
O séquito de Temer e Marcela, no Carnaval no Rio, tem 40 pessoas.
Carlos Marun deixa as feições de pitbull: “Sou apaixonado por mim como político”.

Condenação criminal de advogado gaúcho por assédio sexual contra estagiária

São pelo menos cinco ocorrências comprovadas. O acusado tem 60 de idade e era também conselheiro tutelar.
 Uma aterrissagem jurídica do Ministério Público na poderosa Decolar.com : preços para clientes brasileiros são mais caros.
 TST julgará bilionário recurso sobre as horas extras na Petrobras.
 O espantoso emagrecimento dos irmãos Batista na carceragem da Polícia Federal.

Ilegalidade, imoralidade e lesividade em empreendimento imobiliário em Canela (RS)

• Condenação da empresa Maiojama Participações em R$ 25,9 milhões. Valor atualizado se aproxima dos R$ 39 milhões. Ação popular ajuizada por advogado está relacionada com o empreendimento imobiliário Reserva da Serra.

• TJRS arquiva representação da OAB gaúcha contra o desembargador Sylvio Baptista Neto: a expressão ´advogados de porta de cadeia´ foi apenas “um verdadeiro desabafo”.

• Hotel Embaixador de Porto Alegre vence ação contra Hotel Embaixador Inn, de Itajubá (MG).