Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 17 de agosto de 2018.

O sexo e a vizinhança



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Quatro ou cinco vezes por mês, em um prédio da Independência, ouve-se o eco de tapas seguidos de gemidos altos. Os vizinhos já sabem que, pelas próximas duas ou três meias-horas, haverá muitos gritos decorrentes de cenas explícitas de sexo. Afinal, a condômina pratica suas atividades rente à janela, aproveitando ao máximo as vindas do companheiro, tripulante de empresa aérea, que costuma aportar no Portinho, uma vez por semana.

Fetiche, voyeurismo, descuido, paixão ou apenas e principalmente prazer – não se sabe. O inegável é que logo após os primeiros sinais, o interfone toca. É algum vizinho reclamando. Tanto a condômina fez, tanto o parceiro faz, tanto os vizinhos reclamaram... que o assunto chegou a Juízo.

Os advogados sustentaram teses antagônicas. O do condomínio escreveu que “são problemas de barulho e comportamento inadequado”. O da ré disse que “o que cada um faz dentro do lar está fora de questionamentos e julgamentos”.

A juíza intimou a ré e o representante legal do condomínio para a audiência de tentativa de conciliação. Concitou os litigantes a concessões recíprocas. Sem sucesso.

A prova oral – todos condôminos e, como tal, contraditados – confirmaram as orgias amorosas e rumorosas no recôndito da unidade barulhenta.

A sentença definiu as relações sexuais como “tema polêmico”, admitiu que “ninguém vive em mosteiro”, mas reconheceu que “do lado da contígua parede, ou no andar acima, ou no pavimento abaixo moram crianças pequenas e idosos”. E fixou a indenização em “simbólicos R$ 2 mil”, concitando as partes “à tolerância e à moderação, pelo bem social”.

Há recursos de ambos os demandantes ao tribunal. O relator já recomendou atenção ao estagiário-chefe que fará o projeto de voto: “O caso vai da garantida privacidade aos lamentáveis exageros, o que requer cuidado”.

A controvérsia ainda será objeto da próxima reunião da assessorcracia.


Comentários

Tania Machado De Sa Tania Sa - Advogada 30.01.18 | 10:46:09

Gente, o pessoal não sabe ainda morar em condominio. É preciso respeitar limites. No caso do Romance Forense acima foi sexo escandaloso, mas pode ser qualquer outro ruido inconveniente. A verdade é que democracia demais é tão ruim quanto ditadura!

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

O perdão judicial

 

O perdão judicial

O que acontece, em média comarca gaúcha, quando o rígido e formal juiz descobre que ele e a esposa estão sendo espionados por um voyeur - cuja “arma” é uma verruma. O interrogatório sumário, a decisão de prender o abelhudo e a remissão de culpa – com a ordem de que o acusado sumisse imediatamente. O texto é do desembargador aposentado (TJRS) Vasco Della Giustina.

Charge de Gerson Kauer

O direito de amar

 

O direito de amar

Foram quase quatro meses de confinamento na “casa famosa” do Big Brother Brasil. E o (ex) companheiro da vencedora queria participação no prêmio dela. Mas o juiz indeferiu “os despropositados pedidos masculinos”.

Charge de Gerson Kauer

O despejo do juiz

 

O despejo do juiz

A surpresa da esposa do magistrado ao receber, certa manhã, a visita de um oficial de justiça. Este, apresentando-se no endereço residencial do casal, trazia, formalmente perfeito, um mandado. Deveria despejar o inquilino inadimplente com os aluguéis e que sequer tinha utilizado a opção de purgar a mora... 

Charge de Gerson Kauer

´Paga o churrasco ou vai preso!´

 

´Paga o churrasco ou vai preso!´

Como uma desavença em uma aposta em Gre-Nal rapidamente foi parar numa audiência forense. Entre os convidados, um dos juízes da comarca que, mesmo sendo torcedor do Inter, tomou severa providência e expediu mandado judicial para que o oficial de justiça intimasse o cônsul colorado a comparecer imediatamente ao fórum.O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

Pensão alimentícia de ministro do STF

 

Pensão alimentícia de ministro do STF

Numa ação de alimentos, de uma menina de 4 anos, contra um dos craques da seleção brasileira, uma curiosa decisão inicial: a fixação da obrigação mensal de R$ 37.476, “o valor do maior subsídio pago a um ministro do Supremo Tribunal Federal”.

Charge de Gerson Kauer

Plano empregatício de gravidez programada

 

Plano empregatício de gravidez programada

Numa empresa em que a predominância de trabalhadores é feminina, insólitas planilhas baixadas pelos patrões. A interferência na autonomia das mulheres, a respeito de seus projetos de vida, de felicidade e dos desejos dos seus corpos.Quem pretender engravidar “deverá comunicar seis meses antes da data provável da desejada concepção”.