Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 17 de agosto de 2018.

Potins desta terça-feira



• Era uma vez o partido da ética...

Fundado em 10 de fevereiro de 1980, o PT foi integrado originalmente por um grupo heterogêneo de militantes de oposição à ditadura militar, sindicalistas, intelectuais, artistas e católicos ligados à Teologia da Libertação. Ele surgiu e consolidou-se como “o partido da ética, que promete e se compromete a não roubar, nem deixar roubar”.

Assim foi por cerca de 25 anos: era um desafio encontrar um membro do Partido dos Trabalhadores envolvido em algum escândalo.

Hoje o difícil é não encontrar.

• PeRdidos de vista

Com R mesmo. A decisão sobre o final do foro privilegiado – já com resultado definido (7 x 1) desde 23 de novembro - foi interrompida por peRdido de vista feito por Dias Toffoli. A sociedade espera que, em fevereiro, o ministro cumpra seu papel constitucional de julgar.

A propósito de pilhas de processos represados, é ruim para a cidadania saber que há 140 inquéritos contra políticos parados no Supremo no aguardo de decisões.

Só para lembrar um dos paralisados é o inquérito que tem como indiciado Fernando Collor. Que já se lançou pré-candidato à Presidência...

Em pleno verão (1)

A Polícia Federal espera, ainda para fevereiro, logo depois do carnaval, o “cumpra-se” judicial paranaense para desencadear dezenas de prisões, buscas e apreensões e assemelhados. Os alvos serão – já se sabe – figuras carimbadas: políticos e empreiteiros.

A propósito: também em fevereiro haverá efervescências com o braço carioca da Lava-Jato.

• Em pleno verão (2)

Antes da chegada da primavera, dois assuntos vão estourar no Supremo. Primeiro: o estúpido e esperto auxílio-moradia (para magistrados, promotores, políticos e outros apaniguados) fuzilado pela cidadania.

Enquete na página do Senado já recebeu mais de 754 mil adesões. As opiniões são incisivas: 751.350 contrárias e 3.209 a favor.

Segundo: a remuneração na Advocacia-Geral da União. É que os advogados públicos em geral recebem acima do teto constitucional, graças às verbas sucumbenciais que recebem por vitória(s) nas causas em que defendem o Poder Público.

O Portal da Transparência relata casos de até R$ 1 milhão.

• Março nebuloso

Quando a condenação de Lula a 12 anos e 1 mês de prisão estiver completando dois meses, na última semana de março próximo, deverá estar saindo do forno, em Curitiba, uma nova sentença que seguramente terá repercussões internacionais.

É naquela ação penal em que o ex-presidente Luiz Inácio é acusado de receber propinas da Odebrecht por meio do aluguel do apartamento vizinho à cobertura onde ele mora.

• Dinheiro posto fora

A Petrobras vendeu, este mês, sem alarde, num leilão internacional as plataformas de perfuração P-59 e P-60. Elas estavam paradas, inchando os prejuízos. Só que a alienação de ambas foi por US$ 38,5 milhões. No mercado, uma nova (só uma...) custa US$ 130 milhões.

Acredite o leitor, a Petrobras pagou, em 2012, por cada uma das plataformas, US$ 360 milhões ao consórcio Paraguaçu formado pelas notórias Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC, todas alvos da Lava-Jato.

• “Grande gestor”

O baú do Espaço Vital relembra que a doutora Dilma esteve no lançamento da P-59 na Bahia. Na ocasião, fez um daqueles seus discursos sem pé nem cabeça e cumprimentou o então presidente da estatal José Sérgio Gabrielli, elogiado como “o grande gestor que propiciou a construção dessa plataforma”.

De sobremesa, Dilma também afagou o diretor Renato Duque. Aquele que foi condenado, em agosto passado, a dez anos de prisão.

• Otimismo e pessimismo

Como já se leu aqui, o Brasil perdeu para o Uzbequistão o título de “país da felicidade” e passou a disputar com a Colômbia o título de vice.

O brasileiro segue sendo profissão esperança” – diz o pesquisador Marcelo Jeri, da Fundação Getúlio Vargas.

A mesma pesquisa revela que entre os países com menor expectativa de felicidade futura estão quatro nações que vivem tragédias humanitárias: Haiti, Iêmen, Síria e Afeganistão.

• O pior reflexo

Em três anos, o Brasil registrou o fechamento de quase três milhões de empregos formais. A aparente estabilidade no mercado de trabalho no ano passado esconde uma perda de 1,5 milhão de vagas em 2015; 1,3 milhão em 2016; e 20 mil em 2017.

O Brasil ainda tem 12,6 milhões de desempregados – segundo o IBGE.

A face mais perversa da recessão vivida nos últimos anos, revela também uma (triste) constatação humana: “todos os brasileiros conhecem alguém que está sem trabalho, ou precisa se virar fazendo bicos”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta sexta-feira

· Ciro Gomes prega que juízes e promotores voltem às suas caixinhas. E quer a restauração da autoridade do poder político.

· A cara feia de Cármen Lúcia.

· E a cara sorridente de magistrados mineiros bafejados por altos salários.

· A engraçada comédia dos candidatos à Vice-Presidência da República.

· Uma benção na sede do TRF-2, para afastar assombrações noturnas.

· Indenizações do DPVAT vão ter indenizações aumentadas. Mas o custo do seguro também vai subir.

Potins desta sexta-feira

 Negado vínculo de emprego entre carregador de tacos de golfe e o Country Clube de Porto Alegre.

 Um homem e sua união estável com duas mulheres

TRF-4 mantém liminar que impede governo do RS de arquivar a extinção da Fundação Piratini.

 CF da OAB diz que o modelo da Agência Nacional de Saúde e outras reguladoras está falido.

 Auxílio-acidente depois do auxílio-doença.

 MPF vai pedir, em agosto que Adriana Ancelmo volte para a prisão.

Potins desta sexta-feira

•  Cartazete em escritório de advocacia gaúcho explica a cobrança de R$ 150 por consulta: “É da mesma forma como acontece quando o(a) distinto(a) cidadão(ã) vai a um médico particular”.

• Pensões distintas para filhos do mesmo pai. O STJ flexibiliza o princípio da igualdade absoluta de direitos.

•  Um precedente do TST que vai mexer no adicional noturno.

•  Restrições ao prazo em dobro quando houver litisconsórcio de réus.

•  Os apertos de julho... E o que nos espera em agosto?

Potins desta terça-feira

 O futuro presidente Toffoli já começa a pensar no aumento para o Judiciário.

• Rodrigo Janot vem ao RS para falar sobre eleições e corrupção.

 Foi em Santiago (RS), a audiência criminal em que o réu não aceitava uma mulher juíza!

 O ano de 2014 que ainda não acabou em Porto Alegre.

 Desaprovação ao governo brasileiro só não é pior do que a de Bósnia-Herzegovina.

 O jeitinho para evitar o avanço no combate da corrupção no Brasil.

• Discriminação nos EUA contra mulheres grávidas empregadas.

 Colega de Rosa Weber no STF avalia que ela é a “ministra pêndulo”.

• Os 60 dias pedidos pela PGR que vão ajudar Michel Temer.

Potins desta terça-feira

 Gleisi Hoffmann quer que o Judiciário se sensibilize com o caos social e libere Lula.

• Na política brasileira, outubro chegou em junho.

 STJ decide se cidadã pode deixar de se chamar Tatiana, para ser Tatiane.

 Ainda sem título definitivo, vem aí as “memórias do cárcere de Lula”.

• As buscas no apartamento de Augusto Nardes: nada ostensivo...

 Brasileiros acreditam pouco na seriedade das eleições.

•  Benesses para os planos de saúde: 107% de aumento em sete anos.

Potins desta terça-feira

 Maior jornal da Inglaterra diz que “Sérgio Moro é “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

 Governo acaba de criar mais um elefante branco: o SUSP, irmão do SUS.

•  STF vota na quinta-feira (24) proposta de nova súmula vinculante.

 Quando a “utilidade política” prevalece sobre a utilidade pública...

 Embaixadas para Temer, Moreira e Padilha – se Alkmin for Presidente da República. Mas ele nega.

• População com 60 de idade, ou mais, estará superando os moços de 16 a 24 anos, nas eleições de outubro.

 Impasse no TST para tentar orientar decisões uniformes em ações trabalhistas.

 Prorrogação do benefício de salário-maternidade, em decorrência de parto prematuro.