Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de setembro de 2018.

Gilmar Mendes agora em rota de choque contra a OAB



O presidente do Conselho Federal da OAB, Cláudio Lamachia, divulgou nota em que se refere à “descabida manifestação” proferida pelo ministro do STF Gilmar Mendes na sessão da manhã de quarta-feira (7), durante julgamento da ADIn nº 4.332.

Na ação, a OAB questionava a constitucionalidade de lei que fixou valor de crédito de pequeno valor no Estado de Rondônia. O ministro Alexandre de Moraes, relator, proferiu voto de improcedência da ação.

Ao votar, Gilmar Mendes disparado críticas contra a Ordem, constrangendo o colega o advogado Oswaldo Pinheiro Ribeiro Júnior, que representava a entidade autora.

Leia a íntegra da nota

"Em todos os Estados da Federação e no Distrito Federal, a OAB tem atuado em defesa da sociedade e dos advogados públicos e privados. São muitos e variados, infelizmente, os exemplos de violação de prerrogativas no país. De grampos ilegais em escritórios a casos em que o juiz impede o exercício profissional porque se acha no direito de determinar como a advogada deve se vestir.

O mau exemplo das altas autoridades que desrespeitam as prerrogativas da advocacia resulta até mesmo em agressões físicas. Em 2016, o colega Roberto Caldart, de Santa Catarina, morreu enquanto trabalhava após ser agredido por policiais.

A descabida manifestação proferida pelo ministro Gilmar Mendes contra a OAB, em processo que discute calote público no pagamento de obrigações de pequeno valor, apenas agrava esse quadro e estimula mais ilegalidades. Trata-se de uma investida contra toda a advocacia e que não reflete o alto nível que se espera de um ministro do Supremo Tribunal Federal.

A OAB cumpre sua função definida na Lei Federal nº 8.906/94.

A Ordem não muda de opinião a depender dos ventos que sopram e defende as prerrogativas da advocacia e a cidadania em qualquer situação, não importa quem esteja do outro lado.

A Constituição define a advocacia como função essencial à Justiça. É imperioso que o ministro Gilmar, usando as palavras que ele mesmo usou, "tome tento" e conheça o que diz o Estatuto da Advocacia em seu artigo 44. Já passou o tempo em que um cargo conferia a seu ocupante o poder de impor sua vontade aos demais cidadãos.

(Ass). CLAUDIO LAMACHIA, presidente nacional da OAB


Comentários

Joao Jeronimo Rego Das Neves - Advogado 11.02.18 | 14:23:48
O dr. Gilmar se coloca contra tudo e contra todos amealhando para si a fama de polêmico, fato que é excelente moeda de marketing para seu curso e lhe confere a aparência de fabulosa sapiência além de soberano da justiça. Não é bom dar atenção a essa truculência.
Rosalino Zorzi - Advogado 08.02.18 | 21:02:37

Infelizmente, o ministro Gilmar Mendes está passando todos os limites de razoabilidade que o cargo lhe impõe. Concordo e aplaudo a manifestação do colega Lamachia. Temos que impor respeito às nossas prerrogativas. 

Marco Antonio Torres Da Silva - Advogado 08.02.18 | 18:22:51

O povo em geral não aguenta mais os desmandos daqueles que deveriam ser os guardiões da Constituição/Lei. A justiça é morosa e angustiante. O caso dos expurgos de cadernetas de poupança já dura 30 anos (trinta anos), uma vida, e os poupadores não recebem o que lhes é devido, em razão de discussões políticas, o que não é aceitável. A questão é essencialmente jurídica. Existem leis e elas devem ser respeitadas. Infelizmente a Justiça hoje só distribui desesperança!

Enivaldo Da Gama Ferreira Junior - Advogado 08.02.18 | 17:51:24

A atual gestão da OAB nacional colhe o que deixou plantassem.

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Advogada é algemada e retirada de audiência

Num vídeo exibido nas redes sociais, a profissional da advocacia aparece sentada no chão, no JEC Cível da comarca de Duque de Caxias (RJ), cercada por policiais, e com as mãos imobilizadas às costas. Ela reclama: “Sou negra, só quero trabalhar”.Veja as imagens e ouça o som.

Projeto de lei estabelece que OAB prestará contas

A movimentação financeira se submeterá a parecer do MPF. O projeto também altera o Estatuto da Advocacia, ao estabelecer que apenas uma inscrição será suficiente para o advogado atuar em todos os Estados.

Desagravo para advogada intimidada por juiz trabalhista

A profissional da advocacia Simone Batista foi destratada pelo magistrado André Ibanos Pereira, na 7ª Vara do Trabalho de Porto Alegre. “A sala de audiências virou palco de abuso de poder, com o magistrado agindo de forma arrogante e intimidadora” – diz a nota da OAB-RS, lida durante a solenidade.