Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de setembro de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

A aposentadoria do homem que prendeu poderosos



Arte de Camila Adamoli, sobre foto de Paulo Lisboa (Google Imagens)

Imagem da Matéria

 

 O outro lado do japonês

Ato publicado na segunda-feira (26) formalizou a aposentadoria, a pedido, de Newton Ishii, agente da Polícia Federal, que ganhou notoriedade como o condutor de presos poderosos – e alguns, até então, quase anônimos - como o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, o primeiro a ser trancafiado pelo “japonês da federal”, em 14 de janeiro de 2015.

- “Até hoje não entendo porque existiu o apelido e a notoriedade, afinal vários colegas saíam nas ruas comigo. Talvez seja porque sou oriental e isso marcou” - disse Ishii, em uma das várias entrevistas, durante a semana. Ele mora em um apartamento de 70 m2, típico de classe média, em Curitiba. Há poucos móveis, as paredes são lisas, quase sem decoração.

Uma foto, de 1988 porém, chama a atenção: é a do time do Coritiba, que tem entre os mascotes um então menino – era Eduardo, o filho do agente, que morreu 17 anos depois.

Viúvo, Ishii vive com a filha e com o cachorro Zeca. Guarda fotos escoltando presos como Marcelo Odebrecht e falou sobre os mais de três anos em que atuou na Lava-Jato e a experiência de se tornar homem de confiança dos empresários que pararam atrás das grades e a vida de celebridade.

Ele admite: “Foram convites para frequentar áreas VIPs de shows sertanejos a camarotes das festas disputadas pelo Brasil; rejeitei todos”.

O “japonês” relata que já enfrentou situações mais graves do que prender poderosos. Na triste conjunção recorda a morte do filho que se suicidou em 2005, quando tinha 27 anos; e a perda mulher, que se deprimiu com a tragédia, teve um infarto fulminante e morreu em 2009.

O agente avalia que a família de Marcelo Odebrecht "recebeu um outro homem após a prisão". Ishii conta que “quando o empresário chegou a Curitiba mal se comunicava com os demais, mas mudou o comportamento meses depois, passando a dar roupas, toalhas e utensílios de higiene pessoal para companheiros de cárcere com baixo poder aquisitivo que passavam pela PF”.

Alguns presos nunca chegaram a se aproximar do agente, como Cerveró, considerado por Ishii como "o mais complicado".

Entrementes, o ex-ministro José Dirceu era chamado pelo chefe da carceragem de "preso profissional" e disciplinado. E o Antonio Palocci “é um dos poucos que nunca perdeu o autocontrole”.

O “japonês da federal” nega que usará a fama para se candidatar a cargos públicos, apesar de ter sido sondado por três partidos para disputar uma cadeira no Congresso. Ele abrirá, com um sócio, uma empresa de consultoria e segurança, mas não dá detalhes, não fala em possíveis clientes, nem em prospecções. “Nas próximas semanas só penso em descansar” – arremata.

 Bendita queda

O ex-diretor da Polícia Federal Fernando Segóvia, depois de defenestrado pelo novo comando da Segurança, foi contemplado com um cargo onde passará ao largo de incômodos e insegurança. “Ele caiu para cima” – avalia a rádio-corredor da OAB de Brasília.

Em reconhecimento ao “trabalho muito correto na PF” – palavras textuais do amigo Michel Temer – o delegado passará a ser adido especial lotado na embaixada do Brasil, em Roma.

Situada na segura zona da Praça Navona, fica a cinco minutos de distância, via metrô, do Vaticano – onde poderá rezar em ação de graças pela benesse. Salário em dólares.

 Treze horas diárias de trabalho

O TST absolveu a WMS Supermercados do Brasil Ltda. (Rede Walmart) do pagamento de indenização por danos existenciais a um gerente que, habitualmente, exercia jornada diária de 13h em Porto Alegre (RS). A indenização cancelada – e antes deferida pelo TRT gaúcho - tinha sido de R$ 10 mil.

Conforme a decisão superior, “o empregado não demonstrou que deixou de realizar atividades em seu meio social ou foi afastado do seu convívio familiar para estar à disposição do empregador, o que deveria ter sido comprovado para o recebimento da indenização”.

A ministra relatora Maria de Assis Calsing definiu que “o dano existencial ocorre quando o trabalhador sofre limitações na sua vida fora do ambiente de serviço em razão de condutas ilícitas praticadas pelo empregador que o impossibilitam de realizar atividades de lazer, conviver com a família ou desenvolver projetos particulares”.

É, pode ser... Afinal magistrados trabalham 12, 13... 15 horas por dia. Fins-de-semana, também. (RR-20439-04.2015.5.04.0282).

  Nova súmula

O STJ aprovou nova súmula relacionada à atribuição de efeito suspensivo a recurso criminal do Ministério Público.

O enunciado de nº 604 define que “mandado de segurança não se presta para atribuir efeito suspensivo a recurso criminal interposto pelo Ministério Público”.


Comentários

Osvaldo Agostinho Dalla Nora - Advogado 05.03.18 | 09:26:28

Não entendo como um sujeito que foi condenado por ter cometido crime de facilitar a entrada de contrabando no país, quando deveria fazer exatamente o contrário, é tratado como herói, celebridade... fosse em qualquer empresa pública (Caixa, B. Brasil e outras) com condenação transitada em julgado, seria demitido por justa causa... na PF é herói, contrariando pelo menos a moralidade. Brasil? Moralidade? Não precisa explicar, é o retorno dos tempos da Dita... quando eles podiam...

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Política irracional brasileira: Congresso prepara a criação de 400 novos municípios

 O jeitinho de políticos locais na criação dos próprios distritos eleitorais: 400 novos cargos de prefeito, outro tanto de vice-prefeitos, no mínimo 2.000 secretários e 3.600 vereadores. Mais os assessores e os penduricalhos.

 No STJ, uma ação da Apple contra a Gradiente, discutindo o direito do uso da marca iPhone no Brasil.

 A desvantagem de ser condenado por corrupção e a vantagem de receber uma pena por “caixa 2”.

O Grêmio Porto-Alegrense entra para o seleto grupo de “três clubes brasileiros que alcançaram o equilíbrio financeiro”.

Fraudes para ressuscitar prazos processuais perdidos

 O esquema lesou um banco, várias agências dos Correios e a prestação jurisdicional.

• Depois da condenação pelo TRF-4, Lula ingressou com 17 recursos. Um a cada 13 dias.

 Como a Justiça dos EUA trata advogados que defendem criminosos.

 Crise na Argentina derruba a fabricante dos incomparáveis sorvetes Freddo.

União pagará transplante quádruplo de criança brasileira nos EUA

• Menino de três anos precisa receber novos estômago, intestino, baço e fígado para sobreviver a uma síndrome rara. No Brasil, esse tipo de cirurgia é feito somente em adultos.

• Cármen Lúcia arquiva os pedidos de suspeição e impedimento contra Gilmar Mendes.

• Mudança na jurisprudência trabalhista. Decisão do TST concede adicional de insalubridade a camareira de hotel.

Olho vivo em suposta pesquisa sobre as eleições da Ordem gaúcha!

E-mail maroto - que se “identifica” como OabRsEleição2018 – pede a participação de advogados.

Senado aprova projeto de lei que extingue o reconhecimento de assinaturas e a autenticação de documentos.

Ex-sócio da Empiricus, preso pelo FBI, também lesou o grupo Zaffari (RS). Enquadramento penal prevê reclusão que pode chegar a 70 anos.

Afinal, o que é “empírico”?...

Afinal, Ronaldo Fenômeno rende-se à Justiça e paga indenização (R$ 100 mil) a jornalista gaúcho

  Origem da ação remonta a uma “folgazã folgada da folia”, em boate da Coréia do Sul, durante a Copa de 2002, quando José Aveline Neto tentava clicar Ronaldinho Gaúcho dançando no colo de acompanhantes.

  Mais futebol: uma ação de universidade paulista contra a CBF. Tite, por seu desempenho como “garoto propaganda”, é o pivô da controvérsia.

  Uma indenização de R$ 21 milhões para o Icasa (clube do Ceará) que não subiu para a Série A por causa de um erro da CBF.

  E o “futebol jurídico-político” que alcança o ex-prefeito de Osório Romildo Bolzan Júnior, atual presidente do Grêmio. Condenação em ação civil pública fica próxima dos R$ 4,5 milhões.

Acórdão tenta consolar pais de criança que morreu por falência do sistema público de saúde

  “Difícil dizer para os genitores, que fizeram o possível e o impossível para salvar o filho, que não havia mais chance de vida” - registra o julgado do TJRS.

  Advogado do casal autor da ação responde em petição de embargos declaratórios: “Os pais há muito já assimilaram a precoce partida do infante, mas jamais entenderão como homens públicos podem se omitir, de forma tão gritante e covarde”.

  Calendário dos próximos meses: a) Horário de verão a partir de 21 de outubro; b) a ´chocha´ agenda de Temer; c) faltam 122 dias para a posse do novo Presidente da República.