Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 22 de maio de 2018.

Escritórios de advocacia não pagam anuidade à OAB



Escritórios de advocacia não devem pagar anuidade à OAB. A decisão é do juiz José Carlos Motta, da 19ª Vara Federal de SP, ao considerar que “a exigência do pagamento de anuidade pela sociedade de advogados é ilegal”.

O magistrado deferiu liminar em mandado de segurança impetrado pelo escritório Franco, Toledo & Veiga Sociedade de Advogados e suspendeu a exigibilidade da contribuição especial de sociedades perante a Ordem.

Para o juiz, “apesar de ser de competência da OAB fixar e cobrar, de seus inscritos, contribuições, preços de serviços e multas, a Lei nº 8.906/94 trata do registro das sociedades de advogados como ato que confere personalidade jurídica a elas, não podendo ser confundido com o registro de advogados e estagiários, uma vez que possuem fundamento e finalidade diversa, e que a própria lei não prevê a cobrança de anuidade para escritórios de advocacia”. (Proc. nº 5027813-32.2017.403.6100).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

TJRS mantém multa a advogado gaúcho que abandonou o júri

Sanção financeira é de R$ 9.540,00 (dez salários mínimos).  O artigo 265 do CPP proíbe que o defensor se afaste do processo sem motivo imperioso. A questão penal envolve acidente de trânsito com o atropelamento de dois policiais rodoviários; um morreu. Causador do acidente estava alcoolizado e recebeu pena de 7 anos e 7 meses, no regime semiaberto.

Vínculo empregatício de advogada com escritório porto-alegrense

Ela foi recrutada como empregada na filial de Florianópolis (SC). Mas, sucessivamente, passou a “associada” e depois “sócia” da banca. Procedência da ação inclui horas extras (acréscimo de 100%) no regime horário das 8h30 às 20h30, com 90 minutos de intervalo, cinco dias por semana.

Deputado recebe permissão para atuar como advogado de Lula

O advogado, ex-presidente da OAB do Rio de Janeiro e deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) teve reconhecido o direito de ser incluído como advogado de Lula. Com isso, poderá visitar o ex-presidente, preso desde 7 de abril. A decisão do TRF-4 acolheu mandado de segurança interposto pela OAB do Paraná.

Cuidado para não perder o prazo!

Decisão do STJ estabelece a prevalência da intimação eletrônica sobre a publicação no Diário de Justiça, em caso de duplicidade. Mas o TST tem entendimento contrário: a publicação no Diário Eletrônico prevalece sobre a intimação via sistema do processo judicial eletrônico.