Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 25 de maio de 2018.

O sapo advogado



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Numa das seccionais da OAB pipocam reclamações sobre a propaganda advocatícia das performances e badalações de determinado profissional da advocacia. O presidente da entidade e seu assessor mais próximo se conectam no Youtube e, perplexos, veem hilárias cenas gravadas.

Entre elas, a da festa natalícia do advogado, e seus quase 400 convidados. Tem também a da propaganda institucional do escritório, em que estagiárias, assessoras e jovens advogadas – todas vestindo pretinhos básicos – entoam, em coral, loas ao chefe.

Em louvor ao homenageado, escutam-se – com a moldura de sonoros acordes – caprichados versos que retroagem às primeiras incursões dele nos bancos universitários. De relance, uma moça de pernas cruzadas, exibe bem torneadas coxas.

O assunto ricocheteia na “rádio-corredor” da Ordem, cujo locutor titular – de voz empostada – é criativo ao comparar os fatos reais com a fábula “O Sapo e o Boi”.

Narra que “no ano 555 antes de Cristo, o fabulista Ésopo, grego de nascimento, dá a conhecer a biografia de um sapo advogado - apelidado Lawyer Frog - que coaxa ao lado do rio, quando vê um boi se aproximar para beber água”.

Invejoso, o batráquio arrota aos amigos que “breve vou ficar do tamanho desse bovino, passando a ser, em visibilidade, o principal espécime do reino animal – e por isso vou sortear um automóvel grátis, por ano, entre vocês”...

Todos duvidam, mas o sapo começa a inflar o pescoço e as bochechas, mesmo ante o desdém do pato, do rato e da capivara. E o Doutor Frog vai aumentando de tamanho. Em vão, uma hiena ainda suplica: “Para com isso!

E tanto o sapo estufa a barriga e o peito, que estes explodem como balões de gás. Ocorre, então, o óbito.

Uma ativa conselheira da Ordem dos Advogados avalia, extra autos, “tratar-se de um conjunto das mais indignas propagandas advocatícias que temos visto em todos os tempos, além de claro assédio moral contra as pobres empregadas convocadas a recitar rimas em louvor do chefe”.

- É nisso o que dá não se conformar com o que se é... - avalia, cauteloso, o presidente da corporação advocatícia, determinando que “se faça sigilo no processo ético” – afinal, o estatuto canhestro prevê, corporativamente, a tramitação sem publicidade.

Se o caso, um dia, chegar ao Supremo, ali talvez o decano Celso de Mello lembre a todos que “os estatutos do poder e da ordem, em uma República fundada em bases democráticas, não podem privilegiar o mistério, nem legitimar o culto ao segredo”.

Só assim, talvez no futuro - se Madame Tartaruga deixar – tenhamos a confirmação do nome civil do sapo brasileiro.


Comentários

Paulo A P Cordeiro - Advogado 28.03.18 | 09:49:24

A propaganda é mesmo tacanha. Tão logo a OAB tomou conhecimento, agiu, o que repercutiu inclusive internacionalmente. Infelizmente a Casa recebe muito menos denúncias e especialmente colaborações do que precisa/ ainda assim, o presidente vem, silenciosa e incansavelmente, trabalhando com coragem em favor dos honestos. Deveria ser manchete o esforço, traduzido por exemplo em decisão judicial contundente, mais uma vez, contra contra um irregular contumaz, na Justiça Federal. Estamos à disposição.

Rogério Teixeira Brodbeck - Advogado 27.03.18 | 14:14:13

O nome do coleguinha é conhecido de todos os que receberam a vinheta pubilcitária via WhatsApp, não há segredo nenhum...Só quero ver o que fará a Comissão de Fiscalização da OAB/RS a respeito...

Osni Jose Alves - Advogado 27.03.18 | 13:51:31

Sou da opinião que o Estatuto da Ordem, no tocante ao Códio de Ética, proibindo aos advogados a publicidade dos seus serviços e especialidades é atrasado e retrógrado. Precisa ser urgentemente alterado, possibilitando aos causídicos que possam, assim como os demais profissionais (médicos, dentistas, engenheiros, etc..), fazer publicidade do seu escritório e de suas habilidades. Deixo claro que sou também veementemente contra a publicidade enganosa, mentirosa e de escracho como a citada.

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Barbatimão jurídico

 

Barbatimão jurídico

Em processo de divórcio litigioso, o estagiário – que sempre faz minuciosos projetos de sentença - deparou-se, estupefato, em meio às petições, com uma confidência que um dos advogados da causa fizera à sua dileta noiva. Era mais um caso de erro do “copia e cola”

Charge de Gerson Kauer

Exagero na relação conjugal

 

Exagero na relação conjugal

Meia-noite de uma sexta-feira, Sua Excelência e a esposa – ele cinquentão, ela quarentona - tentam apimentar o relacionamento sexual. Por isso combinam que ela, em decúbito ventral, será algemada num dos decorativos vãos da cabeceira da própria cama do casal

Charge de Gerson Kauer

Os vinhos da Lava-Jato

 

Os vinhos da Lava-Jato

O destacado advogado gaúcho, recém divorciado, atuante na defesa de gente alcançada por decisões de Sérgio Moro, entra com a jovem namorada num notório restaurante em Porto Alegre, olha a carta de vinhos e pede uma garrafa do mais caro dos itens disponíveis.

Charge de Gerson Kauer

Quando a vida vira Coca-Cola

 

Quando a vida vira Coca-Cola

O departamento de aposentados da grande e atuante associação de juízes realiza um encontro de colegas jubiladas. Por sugestão de desembargadora oriunda do Ministério Público, convidam-se também promotoras e procuradoras de justiça.

Charge de Gerson Kauer

Amor à prova de balas

 

Amor à prova de balas

O homem é denunciado por tentativa de homicídio contra a própria companheira. Um tiro de raspão na cabeça; o outro num dos olhos dela. A vítima fica com apenas 50% da visão. Mais tarde, após a condenação dele, a reconciliação do casal. Adivinhem como era o nome dele?