Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 19 de outubro de 2018.

Quando a vida vira Coca-Cola



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O departamento de aposentados da grande e atuante associação de juízes realiza um encontro de colegas jubiladas. Por sugestão de desembargadora oriunda do Ministério Público, convidam-se também promotoras e procuradoras de justiça.

A confraternização é um happy hour, em final de tarde outonal, na sede campestre da entidade anfitriã.

Em uma mesa se reúnem, entre outras femininas e feministas, uma magistrada e uma promotora de justiça, ambas aí pelos seus 60/62 anos de idade. Elas são amigas desde o início de suas respectivas carreiras e, já agora aposentadas, afinal residindo na capital do Estado, iniciam divagações saudosistas.

As duas estão divorciadas.

Elas conversam sobre as suas rotinas, causos, lembranças, romances etc., até que as confidências se concentram num forno mais íntimo.

- A tua vida sexual segue rutilante como nos tempos de universidade?

- Nem tanto, mas pelo menos está igual à Coca-Cola...

- Que beleza! Cheia de gás, então?...

- Qual nada! Antes era ´normal´, depois ficou ´light´. Neste 2018, agora é ´zero´!...

Transitou em julgado.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A primeira vez da juíza

 

A primeira vez da juíza

Literalmente a magistrada foi só, em seu próprio automóvel, para conhecer a casa onde aconteciam os embates de Eros, o deus do amor. Sem demora, numa suíte temática, ela constatou que a vedação acústica tinha problemas. O original caso teve desdobramentos no tititi da “rádio-corredor” da subseção da OAB local.

Charge de Gerson Kauer

A sogra, ou a soga?

 

A sogra, ou a soga?

“A ação de usucapião ajuizada no foro de cidade próxima ao litoral norte gaúcho se referia a uma pequena área de terra, que passou a ser valiosa porque a cidade cresceu para aqueles lados”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

   Castigo financeiro e caligráfico

 

Castigo financeiro e caligráfico

Autor de 45 ligações obscenas a uma massagista, um homem torpe foi condenado a pagar reparação moral. A vítima concordou em reduzir e parcelar o valor indenizatório só depois que o depravado capitulou: teve que escrever 200 vezes, em apurada caligrafia, que as mulheres devem ser respeitadas.

Charge de Gerson Kauer

O surpreendente maranhão

 

O surpreendente maranhão

O insólito acontecimento durante a protocolar audiência: na conciliação processual de um casal que se separara, surge à mesa um sugestivo artefato erótico de silicone. A juíza ameaça chamar a polícia. E a solução é esconder o objeto provocador do (suposto) prazer por baixo do paletó de um dos advogados.