Ir para o conteúdo principal

Edição terça-feira , 14 de agosto de 2018.

Bacharel diz que “OAB está extinta” e pede registro de advogado direto ao Ministério do Trabalho



O bacharel em Direito, Antonio Carlos Jaudy, de Cuiabá (MT), protocolou um pedido de registro de advogado ativo junto ao Ministério do Trabalho em Mato Grosso, alegando que a Ordem dos Advogados do Brasil está extinta no País desde 1991, por um decreto do ex-presidente da República, Fernando Collor de Mello.

Jaudy, que é funcionário aposentado da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) representa, em Mato Grosso, o Movimento Nacional de Bacharel de Direitos (MNBD), que tem como principal bandeira a oposição à prova da OAB. Na argumentação apresentada ao Ministério do Trabalho, ele afirma que a OAB foi extinta pelo Decreto nº 11/1991, que revogou dois decretos anteriores que criaram a entidade.

Como não houve nenhum outro decreto de criação da OAB – cuja competência é do presidente da República, garante ele -, Antonio Jaudy sustenta que a OAB é um órgão extinto. “Ou seja, todos os atos da OAB, na verdade, são nulos de pleno direito, desde a expedição de registro de um advogado até as indicações às Cortes”, comentou o bacharel.

Como cabe ao Estado regular as profissões, ele pediu o registro de advogado ao Ministério do Trabalho. O órgão ainda não respondeu ao requerimento do bacharel.

Contraponto

O secretário-geral da OAB-MT, Ulisses Rabaneda, defendeu o direito de peticionar do bacharel em Direito, que é protegido pela Constituição Federal. Entretanto, desclassificou sua argumentação.

Contudo, ao fazê-lo, o requerente usou argumentos risíveis. Substituindo regras anteriores, a Lei nº 8.906/94, especificamente em seu art. 44, organizou e previu os fins da Ordem dos Advogados do Brasil”, argumentou Ulisses.

Ele ainda disse que petições, como a do bacharel, são demonstrações da importância da atuação da OAB para controlar o acesso à profissão. “Situações extravagantes como esta demonstram, na prática, como o Exame de Ordem é imprescindível” – arrematou.


Comentários

Jose Carlos Rodrigues - Aposentado 20.04.18 | 20:04:48

Sou pós graduado em Ciências Contábeis, Bel. Direito, 2º Ano Odonto; 2º Semestre Arquitetura, 1º Semestre Medicina, 1º Semestre Economia. Apoio de plano o pedido do bacharel Antônio Carlos Jaudy, gostaria de fazer fileira com ele em Goiás . A OAB realmente não existe e sim foi arranjado no STF . Ela não presta contas a ninguém, não é autarquia (como as suas co-irmãs, Conselhos de Classe ) nem fundação, associação, sindicato (este até pode ser porque é fechado.

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Desagravo para advogada intimidada por juiz trabalhista

A profissional da advocacia Simone Batista foi destratada pelo magistrado André Ibanos Pereira, na 7ª Vara do Trabalho de Porto Alegre. “A sala de audiências virou palco de abuso de poder, com o magistrado agindo de forma arrogante e intimidadora” – diz a nota da OAB-RS, lida durante a solenidade.

Morre o advogado Mathias Nagelstein

Ele teve sucesso na carreira política, ocupando cargos nos governos de Alceu Collares. Foi também juiz do Tribunal Militar do RS. Sem êxito concorreu em novembro de 2009 às eleições da OAB gaúcha.