Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 25 de maio de 2018.
http://espacovital.com.br/images/jus_azul_caricatura.jpg

O fator Haroldo de Souza



Arte EV sobre foto WordPress.com

Imagem da Matéria

Depois do golpe acusado pela coluna Jus Vermelha, tentando “naturalizar” a IVI (ou seja, “isso de IVI é normal”, porque, afinal, Inter é maioria – sic), as manifestações ´ivistas´ crescem dia a dia, na mesma proporção em que o Inter vai mal. É uma equação: time descendo, irritação subindo, vermelhidão impossível de esconder.

A eliminação na Copa do Brasil tirou da toca os ´ivistas´ que estavam meio arredios. Mas com o fiasco do Barradão, deu para notar o clima de velório nas redações. E nas manchetes. E nos comentários de rádio. Sim, fiquei uma hora e meio escutando a brabeza deles. Sem falar na denúncia de que há mensalão, sobre o que falo mais adiante.

Quem ver como está o ´ivivômetro´? Em alta! Capa de Zero Hora segunda-feira (23) após derrota para o Palmeiras: Diori Vasconcelos (membro da CIA – Comentaristas Isentos de Arbitragem): “Arbitragem teve erro importante na partida”.

Pode ser. Mas não vi Diori e nem a ZH colocando na capa, quarta-feira passada (18) algo como “Grêmio teve pênalti surripiado em Assunção”. E olha que é Libertadores.

Outra coisa: Diori achou normal a arbitragem de Grêmio x Cruzeiro. Eu li. Achou que a carnificina aberta contra o Grêmio é coisa normal de jogo. Pois é...

Já Hiltor Mombach (Correio do Povo – IVI do Centro) passou dias falando da expulsão do jogador do Brasil de Pelotas. Mas não vi alarde dele sobre o pênalti em Assunção - de jogo da Libertadores. Aliás, Mombach, sobre o jogo em Assunção, apenas comparou Grohe com Lomba.  Mas a ênfase vai mesmo para o ´Inter-que-foi-operado´ contra o Palmeiras. Pois é. Pesos e medidas, bem típicos.

Aliás: Zero Hora e Correio: nem uma linha sobre a arbitragem na Arena.
 
Já Zini Glu Glu não se segurou como seu azul fascinado pelo vermelho: de forma abrupta já colocou o treinador do Atlético Paranaense no mesmo patamar de Renato. Uau. Esse Zini...

Mas, voltando um pouco no tempo, recordo da novilíngua criada pela IVI (só para inticar com o mantra “Ivi-isso não existe”):  tempos de Brasileirão série B (hoje, simplesmente Série B ou Segundona), Leonardo Oliveira mancheteou: Inter transforma a sexta feira em Domingo.

Algo como “Time de A no Brasileirão B”. Semana passada, na véspera do jogo Inter x Vitoria, Leonardo avisou que Vitor Ramos, pivô do rebaixamento, está na segundona chinesa e sem clube. Ops: como ele pode estar na segundona chinesa e sem clube?

Outras manchetes interessantes dos últimos tempos. Lembro Leonardo Oliveira: “Anunciar Jael não é um bom recado à torcida”.

E Diogo Olivier: “Grêmio dormiu com André e acordou com Hernane” (essa foi demais, não? Na Escala Richter do ´Ivismo´, 9,5 pontos).

Teve também Pedro Ernesto: “A novela André foi um desastre para todos os envolvidos”. Ah, bom. Tudo autoexplicativo!

Quase nem vou falar do ´Fator Haroldo de Souza´, que, na Rádio Gre-Nal, contou coisas interessantes sobre jornalismo chapa branca (ou vermelha) – ouçam o áudio, no link adiante disponibilizado pelo Jus Azul.

Há no ar coisas tipo “mensalão na imprensa”.

Minha pergunta: quem seria o Marcos Valério do esquema?

A ver (sem h – se me permitem uma dose de sarcasmo). De todo modo, a minha parte eu quero em dinheiro vivo...

Veja e escute um trecho da manifestação de Haroldo de Souza.

........................................................................................................................................................................
Lênio Streck escreve Jus Azul às terças-feiras. Contato: Lenios@globomail.com

Roberto Siegmann escreve Jus Vermelha às sextas-feiras. Contato: Roberto@SiegmannAdvogados.com.br


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Um palavrão necessário: epistemologia do futebol

Em suma, sem uma epistemologia, não se diferencia Leandro Behs, de Ernest Hemingway. Enquanto não tivermos uma epistemologia, nosso Pulitzer é a IVI. Pode-se dizer que Taison é melhor que Messi. Pode-se dizer chamar D´Alessandro de ´estadista´.  Pode-se comparar Danilo Fernandes a Eurico Lara”.

A IVI esconde um elefante atrás de uma formiguinha

O empate no Gre-Nal se deu sob o apito amigo e complacente do novo Eunápio de Queiroz, aquele que era conhecido como ´Larápio de Queiroz´, nos tempos da Taça Brasil. Nem Eunápio - o verdadeiro - deixou de dar três pênaltis para um só time de futebol. Mas Luis Carlos Reche, capitão da IVI, contemporizou: “Ah, três pênaltis? Árbitro erra. É do jogo”.

Além da América, regauchamos a província!

“Para a IVI – Imprensa Vermelha Isenta, à noite todos os gatos são pardos”. E ela, IVI, sempre tem uma carta na manga, mesmo que esteja sem manga”...