Ir para o conteúdo principal

Edição terça-feira , 14 de agosto de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

Juíza considera que “bicho” para jogadores e treinadores de futebol é salário



´Bicho´ é salário

Conhecida como "bicho", a remuneração paga “por fora” ao jogadores e treinadores de futebol - caso o clube vença determinado(s) jogo(s) - integra o salário. A decisão é da juíza Maria Fernanda Zipinotti Duarte, da 30ª Vara do Trabalho de São Paulo (SP), ao julgar ação trabalhista do auxiliar técnico Milton Cruz contra o São Paulo Futebol Clube.

Ele passou duas vezes pelo clube, onde acumulou 20 anos de trabalho.  Segundo a sentença, o “bicho” integra o salário, mesmo sendo uma verba de valor variável. Assim, o clube terá que considerar a quantia para compor 13º salário, férias e FGTS. Não há trânsito em julgado.

Se a sentença for confirmada, oportunamente, pelo TRT-SP e pelo TST, seus efeitos vão se estender pelo futebol profissional de todo o Brasil (Proc. nº 1002202-02.2016.5.02.0030).

A origem do ´bicho´


Reconhecido como “o comentarista esportivo da palavra fácil”, o gaúcho Luiz Mendes (1929/2011), de Palmeira das Missões (RS) - que fez quase toda sua carreira na Rádio Globo, do Rio - deixou entre suas crônicas uma que explicou a origem do “bicho” futebolístico.

Era 1923, quando o Vasco da Gama subiu à primeira divisão carioca. Então, um rico cerealista da Rua do Acre, no Rio, vascaíno apaixonado, resolveu premiar com dinheiro os jogadores. Mas isso era proibido, em plena vigência do amadorismo.

Então, antes dos jogos, o cerealista ia ao vestiário para dizer aos jogadores o que eles ganhariam, se vencessem o jogo. Nesse tempo, as notas de dinheiro tinham uma espécie de determinação zoológica: 5 mil-réis representavam um cachorro; 10 um coelho; 20 um peru; 50 um galo; 100 uma vaca e 400 uma vaca de quatro pernas.

Os jogadores perguntavam:

- Qual o “bicho de hoje”?

E o cerealista respondia:

- Um coelho – era a oferta habitual.

Mas, dependendo da partida, valia um galo e até uma vaca simples.
 
Após uma decisão vitoriosa entrava, no bolso de cada jogador campeão, uma vaca de quatro pernas…

Se ficar, o bicho pega


Pelo quarto ano seguido, os planos de saúde estão sendo reajustados na faixa dos 13%. O percentual é extraordinariamente superior à inflação e seguramente maior ainda do que os reajustes dos salários dos segurados.

Dilma e Temer, nos seus três anos e meio de desastrada gestão compartilhada, conseguiram empurrar milhões de brasileiros para a ladeira do “Se correr, o SUS te pega; se ficares, o plano te come”.

O dia de Claudia


A 8ª Turma do TRF-4 vai julgar, na quarta-feira 2 de maio, o recurso do Ministério Público Federal contra a absolvição de Claudia Cruz, dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A tese recursal do Ministério Público é que as assinaturas da mulher de Eduardo Cunha estão comprovadamente lançadas nas contas na Suíça, onde o maridão depositou dinheiro de origem suspeita.

A defesa da ex-primeira-dama da Câmara dos Deputados leva na devida avaliação que, nos cinco julgamentos de casos semelhantes ao dela, analisados até hoje pelo tribunal, as absolvições concedidas pelo Juiz Sergio Moro viraram condenações.

A propósito, conta o jornalista Ricardo Boechat que “pessoas próximas a Claudia Cruz revelam sua disposição em voltar ao batente, profissão que exercia antes de se casar com o ex-deputado”. As sondagens feitas no mercado até agora não surtiram efeitos.

O Espaço Vital complementa: Cláudia, 50 de idade atual, fez sucesso nos anos 90 na Rede Globo, onde foi âncora do Fantástico e do Jornal Hoje. Saiu brigada com a emissora, vencendo-a definitivamente em outubro de 2008, em uma ação trabalhista milionária, obtendo direito a várias parcelas pelo vínculo trabalhista pessoal.

Na prática, Claudia Cruz tinha sido contratada como pessoa jurídica para burlar a legislação trabalhista. (Proc. nº AIRR 1.313 /2001-051-01-40.6).


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Biotônico Fontoura para a presidente do STF melhorar o apetite

 Cármen Lúcia (que está pesando 40 quilos) avalia que há 13 milhões de desempregados indignados com a expectativa de aumento nos salários da magistratura e...os efeitos-cascata.

 Do que Dias Tóffoli não lembrou, ao explicar o mimo financeiro para os ministros...

 A estranha placa que apareceu no cemitério público de Santa Cruz do Sul.

 O colorado D´Alessandro vence o Município de Porto Alegre, em embargos do devedor contra executivo fiscal. (Leia a sentença).

A possibilidade da visita íntima de Adriana Ancelmo ao ex-governador Sérgio Cabral

 Onde, quando e com que duração seria(m) o(s) encontro(s)? Ele já tem condenações superiores a 100 anos. E ela está em prisão domiciliar concedida por Gilmar Mendes.

  TRT-RS invalida banco de horas da General Motors em Gravataí.

  Gaúcho Francisco Rossal de Araújo convocado para atuar como ministro do TST.

Gilmar Mendes devolve ao TJRS ação de desembargador gaúcho contra vereador porto-alegrense

 Ex-presidente da corte do RS busca indenização. Ministro do STF determina que o tribunal estadual selecione dois ou mais recursos representativos da controvérsia, para fins de afetação.

 Defesa de Lula desiste, no STF, do pedido de liberdade de Lula.

 Elogio e consideração às maravilhosas mulheres brasileiras.

 Nosso país envelhecendo: 531 dos 5.570 dos municípios brasileiros já têm mais moradores acima de 60 anos do que menores de 15 anos.

Oposição define candidatos às eleições de novembro na OAB-RS

 O Espaço Vital antecipa os nomes da advogada Luciane Toss (vice) e Paulo Roberto Petri da Silva (presidente). Ela é advogada trabalhista e professora. Ele tem Tarso Genro como companheiro de banca advocatícia.

 Outra carga pesada suportada pelos brasileiros: bancar 5.570 vice-prefeitos e 27 vice-governadores.

 Com aumento, ou não, do número de membros da Suprema Corte, novo Presidente da República fará pelo menos duas nomeações: os substitutos de Celso de Mello (2020) e Marco Aurélio (2021).

O demorado gol trabalhista de Adriano Gabiru

 Quase 12 anos depois da grande conquista no Mundial do Japão, o reserva de Fernandão fecha acordo com o Internacional e será indenizado, parceladamente, ao longo de 60 meses.

Como foram as artimanhas do futebol jurídico: “O Inter separou as parcelas relativas a direito de imagem como forma de mascarar o salário real do ex-jogador, com o objetivo de diminuir encargos trabalhistas”.

 OAB-RS exclui uma advogada.

• Grupo de 150 advogados faz jantar de lançamento da oposição às eleições da OAB-RS.