Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira, 20 de novembro de 2018.

Alerta ao prefeito e aos vereadores de Porto Alegre



Chargista Nani – www.NaniHumor.com

Imagem da Matéria

O avassalador incêndio de São Paulo reabre a recomendação para que o prefeito e os vereadores de Porto Alegre lembrem da tragédia anunciada que, por aqui, ronda um dos maiores edifícios da Rua Marechal Floriano, com formato de galeria (duas entradas) que se expande pela Avenida Otavio Rocha.

Olha-se para cima e vê-se um esqueleto urbano, obra parada há 40 anos, em condições semelhantes às dezenas de muquifos residenciais do centro da capital paulista.

Lá, como na capital gaúcha, em condições de desagregação, moram centenas de pessoas, convivendo com “gatos” de energia elétrica, gás irregular, venda de drogas, depósitos de contrabando. E por aí...

Quando prefeitos porto-alegrenses, José Fogaça e José Fortunati aparentemente tentaram alguma coisa, que ficaram próximas do marketing político e longe das soluções sociais. Na prática, os planos nunca foram além de uma dezena de verborrágicas reuniões, muitas fotos, algumas filmagens e entrevistas sobre “preocupação com o social”...

Na atual gestão de Nelson Marchezan Júnior constata-se, simplesmente omissão.

A 200 metros dali, na mesma Marechal Floriano, quadra entre Andradas e Salgado Filho, proprietários e/ou posseiros de velhos prédios dão pernoite para centenas de carrinhos de vendedores ambulantes e materiais eletrônicos de origem suspeita.

Como estarão seus respectivos PPIs – planos de prevenção contra incêndios? Eles existem?

Como já se disse aqui mesmo, Porto Alegre é demais!... Ou de menos?


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Equipe de transição de Bolsonaro tem um advogado gaúcho

É Adão Paiani, que tem escritório em Porto Alegre e Taguatinga (DF). O gabinete do futuro Presidente da República, que trabalhará em dez grupos temáticos, conta com sete militares, seis economistas e nenhuma mulher.