Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 19 de outubro de 2018.

Festa termina com linchamento de homem que roubara um celular



Uma semana depois de o corpo de um homem ser encontrado no Parque da Cidade, em Brasília, outro homicídio foi registrado no local. Desta vez, um homem foi espancado até a morte por cerca de 20 pessoas após, supostamente, participar de um roubo de celular no último sábado (26).

A vítima do roubo, uma adolescente de 16 anos, contou aos agentes da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) que estava com amigos reunidos em uma roda, com o celular nas mãos, quando um desconhecido avançou no aparelho. Ela teria resistido e, neste momento, outra pessoa a agarrou por trás.

Ela soltou o celular e um dos assaltantes fugiu com o aparelho, em direção à Rodoviária do Plano Piloto.

Mas o segundo envolvido, que teria segurado a jovem, foi alcançado e agredido até a morte. A adolescente que teve o telefone roubado não soube apontar quem participou do linchamento, mas disse, "pelo que eu saiba", nenhum amigo teria batido no homem que morreu.

A tentativa de roubo e o linchamento aconteceram por volta das 19h, durante uma festa organizada pelas redes sociais.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli

Denunciados três advogados de grupo que planejava morte de juiz, policiais e testemunhas

 

Denunciados três advogados de grupo que planejava morte de juiz, policiais e testemunhas

Magistrado Felipe Keunecke de Oliveira estava na mira para ser morto numa das suas habituais idas à sede náutica do União, ou antes de um grande jogo noturno na Arena do Grêmio. A juíza do regime de exceção da Vara Criminal do Foro Regional do Alto Petrópolis em Porto Alegre – embora sem deferir a prisão dos advogados acusados – proibiu-lhes o exercício da profissão, o que já foi comunicado à OAB-RS. Leia também e-mail enviado, ao Espaço Vital, pela magistrada Betina Meinhardt Ronchetti, titular da vara mencionada.