Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 17 de agosto de 2018.

Recurso especial com sabor de queijo francês



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O assessor da ministra do STJ estava às voltas com uma ação que condenara, nas instâncias inferiores, uma portentosa empresa multinacional de serviços online e softwares por ofensas veiculadas, nas redes sociais. A vítima fora um cidadão brasileiro, assacado por um desconhecido terceiro. A recorrente argumentava “não poder ter controle sobre a inclusão de informações”.

De repente, o servidor judicial constatou uma receita de “Risoto au Fromage et Tomatte” acrescentada às razões de recurso especial. Não se tratava do já tolerado erro de “copia-e-cola”, mas de uma folha à parte, íntegra. Ela fora inserida como anexo, contendo dicas de como cozinhar, com excelência, a iguaria que leva nozes picadas, manjericão fresco etc.

Foi uma gozação geral no gabinete.

Voltando ao plano jurídico, no dia seguinte a relatora despachou, facultando "aos advogados que subscreveram a petição, o desentranhamento do documento (fl. 601 - uma receita de risoto), pois o mesmo não integra e nem tem relação com o presente processo".

No tititi brasiliense, algumas das “rádios-corredores” da capital federal chegaram a especular que um “zeloso capinha” (denominação dada a servidores da corte para, na sala de sessões, praticarem mesuras e resolverem problemas de última hora) chegara a um extremo puxa-saquismo.

O “capinha” teria testado e preparado, em casa, a mesma iguaria – que batizara de “Risoto Especial Judicial” - levando-a, tal como uma despojada mas afetuosa quentinha, para que a ministra provasse.

O sabor teria sido aprovado com louvor.

Serviço Espaço Vital
Veja a cópia da receita, tal como entranhada nos autos processuais.
E – se achar interessante – experimente em casa. É para seis pessoas.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

O perdão judicial

 

O perdão judicial

O que acontece, em média comarca gaúcha, quando o rígido e formal juiz descobre que ele e a esposa estão sendo espionados por um voyeur - cuja “arma” é uma verruma. O interrogatório sumário, a decisão de prender o abelhudo e a remissão de culpa – com a ordem de que o acusado sumisse imediatamente. O texto é do desembargador aposentado (TJRS) Vasco Della Giustina.

Charge de Gerson Kauer

O direito de amar

 

O direito de amar

Foram quase quatro meses de confinamento na “casa famosa” do Big Brother Brasil. E o (ex) companheiro da vencedora queria participação no prêmio dela. Mas o juiz indeferiu “os despropositados pedidos masculinos”.

Charge de Gerson Kauer

O despejo do juiz

 

O despejo do juiz

A surpresa da esposa do magistrado ao receber, certa manhã, a visita de um oficial de justiça. Este, apresentando-se no endereço residencial do casal, trazia, formalmente perfeito, um mandado. Deveria despejar o inquilino inadimplente com os aluguéis e que sequer tinha utilizado a opção de purgar a mora... 

Charge de Gerson Kauer

´Paga o churrasco ou vai preso!´

 

´Paga o churrasco ou vai preso!´

Como uma desavença em uma aposta em Gre-Nal rapidamente foi parar numa audiência forense. Entre os convidados, um dos juízes da comarca que, mesmo sendo torcedor do Inter, tomou severa providência e expediu mandado judicial para que o oficial de justiça intimasse o cônsul colorado a comparecer imediatamente ao fórum.O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

Pensão alimentícia de ministro do STF

 

Pensão alimentícia de ministro do STF

Numa ação de alimentos, de uma menina de 4 anos, contra um dos craques da seleção brasileira, uma curiosa decisão inicial: a fixação da obrigação mensal de R$ 37.476, “o valor do maior subsídio pago a um ministro do Supremo Tribunal Federal”.

Charge de Gerson Kauer

Plano empregatício de gravidez programada

 

Plano empregatício de gravidez programada

Numa empresa em que a predominância de trabalhadores é feminina, insólitas planilhas baixadas pelos patrões. A interferência na autonomia das mulheres, a respeito de seus projetos de vida, de felicidade e dos desejos dos seus corpos.Quem pretender engravidar “deverá comunicar seis meses antes da data provável da desejada concepção”.