Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de setembro de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

O “auxílio-malhação” não chegou a colocar juízes e desembargadores em forma...



Charge FunnyVooz.com

Imagem da Matéria

 Malhação jurídica

Madame Tartaruga Jurídica ficou espantada ao descobrir que, depois do já eternizado “auxílio-moradia” e outros penduricalhos, o Tribunal de Justiça do Rio vinha discretamente praticando o “auxílio-malhação”. O dinheiro não entrava na conta de Suas Excelências, mas o esquema funcionava assim:

Um convênio - sem prévio lançamento de edital para a contratação do serviço no valor de R$ 5.040.000,00 previa, pelo prazo de cinco anos, os trabalhos de oito personal trainers, dois gerentes, um assistente administrativo e uma copeira. Era uma torneira aberta de R$ 80 mil mensais.

Depois, claro, viriam os aditivos e a correção monetária.

O espaço já estava ajeitadíssimo no 2º andar do Foro Central carioca, onde juízes e desembargadores praticavam alongamentos, boxe tailandês, boxe inglês, defesa pessoal, ginástica funcional, jump, ginástica localizada, musculação, step e ioga.

Ah, o benefício era estendido gratuitamente aos cônjuges e filhos. Na quarta-feira (27) o Conselho Nacional de Justiça acabou com a farra, acolhendo um pedido do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Rio. (PCA nº 6869-13).

 A Suprema Trinca

O PT festejou a libertação de José Dirceu com alegria – mas com temor pelo futuro. A vitória petista na 2ª Turma do Supremo provavelmente terá sido uma das últimas da série que beneficiou políticos e o partido, como as recentes absolvições de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, notórios inocentes.

Com a posse de Dias Toffoli na presidência do STF em setembro, a vaga dele, na 2ª Turma, será ocupada por Cármen Lúcia.

Esta - segundo a “rádio-corredor suprema” – já deu sinais de que seguirá a linha oposta pela atual minoria, ali formada por Edson Fachin e Celso de Mello.

A propósito, a “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB fala abertamente sobre as eternidades temporais do STF e suas divisões. A 1ª Turma, mais rígida é chamada de “câmara de gás”. A 2ª Turma é conhecida como “jardim do Éden”.

Mas outra “rádio-corredor” próxima – a da OAB de Brasília já criou um epíteto sobre o trio Toffoli, Gilmar e Lewandowski que rege a maioria da 2ª Turma: é a Suprema Trinca.

Dos 11 ministros quase todos fazem política com a toga, o que aumenta a sensação de que a balança da justiça está desregulada. Pende conforme os “interesses”...

 Trans o quê?

A propósito de recente gritaria que – em cobrança feita por uma dupla a um político – incomodou moradores de um bem-posto prédio residencial em Petrópolis, em Porto Alegre, recente pesquisa revela que “49% dos brasileiros dizem não saber o que significa uma pessoa transgênero”. O trabalho é do Locomotiva Instituto de Pesquisa, de São Paulo.

Entre aqueles que sabem o que é trans, metade é a favor de que essas pessoas tenham o direito de alterar seus nomes nos documentos, de acordo com o gênero com o qual se identificam.

O prefixo ´trans´ pode ser definido por “além de”, “através de” - ou seja, as pessoas que estão em trânsito entre os dois gêneros (masculino e feminino). Pelo vernáculo, transgênero é o indivíduo que se identifica com um gênero diferente daquele que corresponde ao seu sexo atribuído no momento do nascimento. A transgeneridade não é uma doença ou distúrbio psicológico.

Sociólogos referem que “transgêneros transgridem as normas de gênero impostas pela cultura, estando para além do feminino e para além do masculino”. Na prática, porém, o termo transgênero é o grande guarda-chuva, que contempla travestis, transexuais, não-binários, crossdressers, drag queens.

Mas há controvérsias.

 Sem vergonha

Além de pendurar as despesas com passagens aéreas na conta da Câmara, deputados dispõem de verba pública para o aluguel de jatinhos e helicópteros. O imoral gasto é legalizado pelas regras da chamada “cota parlamentar”.

Segundo levantamento do saite Ranking dos Políticos, de fevereiro de 2015 a maio de 2018 os parlamentares gastaram, nesses vai-e-vens, R$ 9,9 milhões.

O campeão da gastação é Átila Lins (PP-AM) que usou R$ 923 mil de dinheiro oficial, com o fretamento de aeronaves para se deslocar no Amazonas. O segundo é Paes Landim (PTB-PI), com R$ 536 mil e Fernando Giacobo (PR-PR), com R$ 440 mil.

Tem mais: entre janeiro de 2015 e 2017, deputados e senadores gastaram R$ 6,2 milhões no item “segurança privada”.

Mesmo que no Congresso os parlamentares disponham dos serviços de 120 policiais legislativos no Senado e mais 275 na Câmara dos Deputados.


Comentários

Luiz Carlos Trindade - Servidor 29.06.18 | 13:02:19

Se não pode violar as leis.s e os bons costumes, arranjem outras personagens que não sejam do Judiciário ou do Legislativo Esses não merecem palavras brandas...

Anaurelino Alves - Advogado 29.06.18 | 11:03:50
Entra ano, sai ano, e ainda não vi tudo em matéria de desfaçatez praticada, frequentemente, pela magistratura brasileira. Por isso a cada ano temos um Judiciário cada vez mais inconfiável.
Aldo Ghisolfi - Advogado 29.06.18 | 10:29:41
Vergonha!
Banner publicitário

Mais artigos do autor

Mais 24 anos e dois meses de poder para Toffoli

 Se não quiser, antes, se aposentar voluntariamente, o atual presidente do STF será ministro até 14 de novembro de 2042, véspera de seu 75º aniversário.

 O atual decano Celso de Mello pode chegar a 30 anos, um mês e 22 dias em atividade na Suprema Corte.

 Presidente do BNDES admite que “foi um erro o banco ter concedido empréstimos para exportações a países como Cuba e Venezuela”.

 Uma ação do Botafogo cobra, no Rio, R$ 50 milhões do ex-presidente Maurício Assumpção por má gestão.

 No RS não se fala mais na devassa das contas do ex-presidente do Inter.

Política irracional brasileira: Congresso prepara a criação de 400 novos municípios

 O jeitinho de políticos locais na criação dos próprios distritos eleitorais: 400 novos cargos de prefeito, outro tanto de vice-prefeitos, no mínimo 2.000 secretários e 3.600 vereadores. Mais os assessores e os penduricalhos.

 No STJ, uma ação da Apple contra a Gradiente, discutindo o direito do uso da marca iPhone no Brasil.

 A desvantagem de ser condenado por corrupção e a vantagem de receber uma pena por “caixa 2”.

O Grêmio Porto-Alegrense entra para o seleto grupo de “três clubes brasileiros que alcançaram o equilíbrio financeiro”.

Fraudes para ressuscitar prazos processuais perdidos

 O esquema lesou um banco, várias agências dos Correios e a prestação jurisdicional.

• Depois da condenação pelo TRF-4, Lula ingressou com 17 recursos. Um a cada 13 dias.

 Como a Justiça dos EUA trata advogados que defendem criminosos.

 Crise na Argentina derruba a fabricante dos incomparáveis sorvetes Freddo.

União pagará transplante quádruplo de criança brasileira nos EUA

• Menino de três anos precisa receber novos estômago, intestino, baço e fígado para sobreviver a uma síndrome rara. No Brasil, esse tipo de cirurgia é feito somente em adultos.

• Cármen Lúcia arquiva os pedidos de suspeição e impedimento contra Gilmar Mendes.

• Mudança na jurisprudência trabalhista. Decisão do TST concede adicional de insalubridade a camareira de hotel.

Olho vivo em suposta pesquisa sobre as eleições da Ordem gaúcha!

E-mail maroto - que se “identifica” como OabRsEleição2018 – pede a participação de advogados.

Senado aprova projeto de lei que extingue o reconhecimento de assinaturas e a autenticação de documentos.

Ex-sócio da Empiricus, preso pelo FBI, também lesou o grupo Zaffari (RS). Enquadramento penal prevê reclusão que pode chegar a 70 anos.

Afinal, o que é “empírico”?...

Afinal, Ronaldo Fenômeno rende-se à Justiça e paga indenização (R$ 100 mil) a jornalista gaúcho

  Origem da ação remonta a uma “folgazã folgada da folia”, em boate da Coréia do Sul, durante a Copa de 2002, quando José Aveline Neto tentava clicar Ronaldinho Gaúcho dançando no colo de acompanhantes.

  Mais futebol: uma ação de universidade paulista contra a CBF. Tite, por seu desempenho como “garoto propaganda”, é o pivô da controvérsia.

  Uma indenização de R$ 21 milhões para o Icasa (clube do Ceará) que não subiu para a Série A por causa de um erro da CBF.

  E o “futebol jurídico-político” que alcança o ex-prefeito de Osório Romildo Bolzan Júnior, atual presidente do Grêmio. Condenação em ação civil pública fica próxima dos R$ 4,5 milhões.