Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.

Potins desta sexta-feira



•  Ironia sutil

“Aqueles que, através de consulta ao Google, já sabem como entrar com ação e ganhar e querem uma segunda opinião grátis, podem facilmente consultar o Yahoo. Aqui no meu escritório cobro R$ 150 a consulta – da mesma forma como acontece quando o(a) distinto(a) cidadão(ã) vai a um médico particular”.(Texto de cartazete, na recepção de um escritório de advocacia, na Zona Norte de Porto Alegre).

Faz sentido.

•  Pensões distintas para filhos

O princípio da igualdade absoluta de direitos entre os filhos é flexível. Por isso, pensões destinadas a crianças de relacionamentos diferentes podem ter valores distintos, se uma das mães tiver maior capacidade financeira do que a outra.

Decisão, nesta linha, da 3ª Turma do STJ manteve dois percentuais diferentes fixados pela Justiça de Minas Gerais.

A corte mineira havia reduzido uma das pensões alimentícias de 20% para 15% dos rendimentos líquidos do pai. A mãe da criança que ficou com menor percentual recorreu, criticando o “tratamento discriminatório para o seu filho”, já que o outro herdeiro seguia recebendo o percentual anterior.

A relatora no STJ, ministra Nancy Andrighi, definiu que a norma geral pode ser afastada. “Afinal é dever de ambos os cônjuges contribuir para a manutenção dos filhos na proporção de seus recursos” – arrematou. (Proc. em segredo de justiça).

•  Prorrogação do adicional noturno

A 1ª Turma do TST deferiu a um grupo de vigilantes o pagamento do adicional noturno sobre as horas de trabalho prestadas após as 5h da manhã. Embora a jornada não fosse cumprida integralmente no período noturno, os ministros admitiram a extensão por se tratar de regime de 12h de serviço por 36h de descanso que abrangia todo o turno da noite.

A decisão é favorável aos vigilantes representados pelo Sindivigilantes da Bahia, em ação contra a empresa Força Vital Segurança Patrimonial, antiga empregadora que tinha contrato com o Estado. O adicional era concedido das 22h às 5h, mas a jornada era das 19h às 7h.

O julgado cria um precedente que pode ter reflexos na jurisprudência brasileira. (Proc. nº 2200-42.2009.5.05.0020).

•  Olho no prazo!

Nos casos em que os litisconsortes são representados por diferentes procuradores, a incidência de prazo em dobro não é possível se houver a interposição de recurso em conjunto, com o recolhimento de apenas um preparo. Dessa forma, o recurso interposto além do prazo legal de 15 dias (artigo 508 do CPC/73) é intempestivo.

A decisão é do STJ, que não conheceu de um recurso especial protocolado no dia 24 de junho, quando o prazo final (simples) para o protocolo se esgotara no dia 5 daquele mês.

Segundo o acórdão, “somente há prazo em dobro para litisconsortes com diferentes procuradores quando, além de existir dificuldade em cumprir o prazo processual e consultar os autos, for recolhido mais de um preparo recursal.” (REsp nº 1694404).

• Julho de cifrões

Recém dia 6, do sétimo mês do ano, e são três espetadas fortes no lombo da população.

O gás de cozinha aumentará 4,4%. A ANS deu de graça (será?) para as operadoras de saúde o aumento de 10% nos planos. E a conta de luz vai chegar 14% mais caro.

Como será agosto?


Comentários

Alex Jung - Advogado 06.07.18 | 10:33:07
Sobre o "Julho de cifrões": E o povão preocupado com a copa do mundo....
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta sexta-feira

 Negado vínculo de emprego entre carregador de tacos de golfe e o Country Clube de Porto Alegre.

 Um homem e sua união estável com duas mulheres

TRF-4 mantém liminar que impede governo do RS de arquivar a extinção da Fundação Piratini.

 CF da OAB diz que o modelo da Agência Nacional de Saúde e outras reguladoras está falido.

 Auxílio-acidente depois do auxílio-doença.

 MPF vai pedir, em agosto que Adriana Ancelmo volte para a prisão.

Potins desta terça-feira

 O futuro presidente Toffoli já começa a pensar no aumento para o Judiciário.

• Rodrigo Janot vem ao RS para falar sobre eleições e corrupção.

 Foi em Santiago (RS), a audiência criminal em que o réu não aceitava uma mulher juíza!

 O ano de 2014 que ainda não acabou em Porto Alegre.

 Desaprovação ao governo brasileiro só não é pior do que a de Bósnia-Herzegovina.

 O jeitinho para evitar o avanço no combate da corrupção no Brasil.

• Discriminação nos EUA contra mulheres grávidas empregadas.

 Colega de Rosa Weber no STF avalia que ela é a “ministra pêndulo”.

• Os 60 dias pedidos pela PGR que vão ajudar Michel Temer.

Potins desta terça-feira

 Gleisi Hoffmann quer que o Judiciário se sensibilize com o caos social e libere Lula.

• Na política brasileira, outubro chegou em junho.

 STJ decide se cidadã pode deixar de se chamar Tatiana, para ser Tatiane.

 Ainda sem título definitivo, vem aí as “memórias do cárcere de Lula”.

• As buscas no apartamento de Augusto Nardes: nada ostensivo...

 Brasileiros acreditam pouco na seriedade das eleições.

•  Benesses para os planos de saúde: 107% de aumento em sete anos.

Potins desta terça-feira

 Maior jornal da Inglaterra diz que “Sérgio Moro é “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

 Governo acaba de criar mais um elefante branco: o SUSP, irmão do SUS.

•  STF vota na quinta-feira (24) proposta de nova súmula vinculante.

 Quando a “utilidade política” prevalece sobre a utilidade pública...

 Embaixadas para Temer, Moreira e Padilha – se Alkmin for Presidente da República. Mas ele nega.

• População com 60 de idade, ou mais, estará superando os moços de 16 a 24 anos, nas eleições de outubro.

 Impasse no TST para tentar orientar decisões uniformes em ações trabalhistas.

 Prorrogação do benefício de salário-maternidade, em decorrência de parto prematuro.

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.

Potins desta sexta-feira

• Presença estranha deixa magistradas assustadas em importante reunião na Universidade de Harvard.

•  Governo brasileiro exclui entidades da lista de convidados para a reunião anual da Organização Internacional do Trabalho.

•  Temer torce pela vitória de Henrique Meirelles: quer ser ministro da Justiça a partir de 2 de janeiro.

•  Empresas envolvidas em desastres ambientais só pagaram 3,4% das multas ambientais, que totalizam R$ 785 milhões.

•  Quem são os políticos, empresários e magistrados alfinetados nos voos comerciais brasileiros.

• O largo par de headphones que faz Luiz Fux não ser incomodado quando voa de Brasília ao Rio, e vice-versa.