Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de setembro de 2018.

Pai esperto e senador ativo



Onze anos depois do escândalo, Renan Calheiros, 62 de idade, ainda não foi julgado por ter, supostamente, recebido dinheiro da Construtora Mendes Júnior para o pagamento de pensão à filha que teve com Mônica Veloso. Na “rádio-corredor” do Supremo porém divulgou-se, na semana passada, que a ação entra em pauta no segundo semestre.

Por isso, o esperto político empenha-se em fazer com que o julgamento aconteça antes de 14 de setembro, na 2ª Turma.

É que, segundo o locutor plantonista, Renan espera contar com os votos de Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli a seu favor. Após, Toffoli será substituído no colegiado por Carmem Lúcia. E então, Renan estaria temeroso de que o paraíso possa fechar-lhe as portas.

Senador ativo

Três vezes presidente do Senado, Renan também é autor de quatro livros: “Em Defesa de um Mandato Popular”, “Contadores de Balelas”, “Do Limão, uma Limonada” e o prosaico “Sem Justiça não Há Cidadania”.

Agora ele trabalha para reeleger-se (quarto mandato) em outubro. Seus planos avançam 2019 a dentro: a reconquista, em fevereiro, da presidência do Senado.

Seria a suprema consagração para o hoje milionário que chegou a morar de favor na casa de um amigo, e que antes de entrar na política (1980) possuía apenas um Fusca de patrimônio.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Apple continuará a usar, no Brasil, a marca iPhone

Conforme a decisão, ontem (20) do STJ, a brasileira IGB Eletrônica (Gradiente) poderá manter a marca G Gradiente Iphone, mas sem exclusividade sobre a palavra “iphone" , que também identifica os celulares da empresa estadunidense.

Validade do aval em nota promissória sem a outorga uxória

Mas, atenção! A garantia é ineficaz com relação ao cônjuge que não consentiu. Ficam obrigados os que – mesmo casados, ou em união estável – assinaram isoladamente. Decisão é do STJ em caso oriundo de Santa Catarina.

Nomeação para cargo político não é nepotismo

A 2ª Turma do STF anulou a condenação por improbidade de ex-prefeita que nomeou o marido como secretário de gabinete.Próximo julgamento de caso com repercussão geral reconhecida acabará com todas as controvérsias.