Ir para o conteúdo principal

Edição terça-feira , 14 de agosto de 2018.

Morre o advogado Mathias Nagelstein



Gabriela Di Bella / Jornal do Comércio (POA)

Imagem da Matéria

Faleceu no fim da tarde desta segunda-feira (16) o advogado criminalista Mathias Nagelstein, pai do presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Valter Nagelstein (MDB). O advogado tinha 81 anos e estava internado na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, devido a complicações do mal de Alzheimer.

Com a notícia, a vereadora Mônica Leal (PP), que presidia a sessão, decidiu encerrar os trabalhos. A decisão está baseada no regimento interno do Legislativo municipal.

Natural de Caxias do Sul, Mathias Nagelstein formou-se em Direito pela PUC-RS, em 1961, e em 1986 tornou-se especialista em Direito Criminal. Iniciou a carreira política em Bagé como vereador (1968/1971). Foi, sucessivamente, procurador-geral do Município de Porto Alegre e chefe da Casa Civil do Estado, nas gestões de Alceu Collares (PDT) e juiz do Tribunal Militar do RS, de 1991 a 1997, onde também foi presidente de 1996 a 1997.

Em 16 de novembro de 2009, Mathias Nagelstein concorreu, como candidato de oposição, às eleições da OAB-RS. Foi derrotado, ficando em segundo lugar. No pleito houve a reeleição de Claudio Lamachia (2010/2012).

Em sua conta pessoal no Twitter, Valter Nagelstein escreveu: “Segurando na mão dele acabo de perder meu velho, meu amigo, meu maior apoiador, minha rocha e minha fortaleza”.

O velório será hoje, a partir das 9h, no Tribunal de Justiça Militar do Estado e o enterro será às 16h, no Cemitério Israelita de Porto Alegre.


Comentários

Mario Fernando Gonçalves Lucas - Advogado. 18.07.18 | 15:23:52

Tive o privilégio de conhecê-lo ainda em Bagé, quando era um dos melhores advogados atuantes naquela comarca, nos idos anos 70. Descanse em paz. Minhas condolências à família enlutada.

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Desagravo para advogada intimidada por juiz trabalhista

A profissional da advocacia Simone Batista foi destratada pelo magistrado André Ibanos Pereira, na 7ª Vara do Trabalho de Porto Alegre. “A sala de audiências virou palco de abuso de poder, com o magistrado agindo de forma arrogante e intimidadora” – diz a nota da OAB-RS, lida durante a solenidade.