Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de setembro de 2018.
http://espacovital.com.br/images/smj.jpg

Paródia publicitária à canção de Tom e Vinicius chega ao STJ



Arte de Camila Adamoli sobre foto de Verde em Folha

Imagem da Matéria

O uso de paródia em campanha publicitária com fins comerciais não viola os direitos autorais da obra originária – decidiu a 3ª Turma do STJ, ao negar provimento a recurso especial em que a Universal Music do Brasil pedia a retirada de propaganda que parodiava o verso inaugural da música “Garota de Ipanema”.

A campanha da rede supermercadista Hortifruti (lojas no Rio de Janeiro e Espírito Santo) tinha como mote a alteração do verso "Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça" para "Olha que couve mais linda, mais cheia de graça". A propaganda foi divulgada em formatos digital e impresso.

A Universal – que detém 50% dos direitos patrimoniais da canção de Tom Jobim e Vinicius de Moraes – pedia a suspensão da divulgação das peças publicitárias, além de indenização por danos materiais e morais pelo uso não autorizado da obra. Ela alegou que a propaganda não configuraria paródia, uma vez que a ressalva às paródias e às paráfrases do artigo 47 da Lei 9.610/98 não se aplicaria quando houvesse finalidade comercial. As decisões das instâncias ordinárias foram de improcedência.

O acórdão concluiu que “impedir o uso de paródias em campanhas publicitárias apenas porque esse tipo de obra possui como finalidade primeva o uso comercial implicaria, por via transversa, negar o caráter inventivo de uma campanha publicitária, inibindo a liberdade de criação e, em última análise, censurando o humor”. (REsp nº 1597678).

•  Muitos cargos, zero bombeiros

Abram suas doses de paciência! Nesta mesma edição do Espaço Vital, o advogado Marcelo Santagada de Aguiar comenta o ridículo surgimento da ABRAM - Agência Brasileira de Museus (clique aqui para ler).

O articulista não diz que a ABRAM se transformará em cabide de empregos.

Mas, salvo melhor juízo, é conveniente informar que o até agora existente Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) foi criado em 2009 para absorver algumas funções do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e cuidar (?) de 27 museus no país.

O tal de Ibram tem 31 cargos de direção, de gabinete, de coordenação e de assessoria, todos aquinhoados com salários federais e os tradicionais e rendosos penduricalhos.

Mais uma frase, só para arrematar: o IBRAM tem mais cargos de chefias do que museus – e não tem bombeiro algum.

•  Renovação?

Os brasileiros que clamam por uma renovação nos quadros políticos tiveram uma surpresa. É que as últimas pesquisas revelaram as possíveis “caras novas” no mal afamado Senado brasileiro.

São favoritos: Eduardo Suplicy (SP), Cesar Maia (RJ), Roberto Requião (PR), José Fogaça (RS), Jader Barbalho (PA), Dilma Rousseff (MG), Eduardo Lobão (MA), Marconi Perillo (GO), Renan Calheiros (AL) e Jorge Viana (AC).

Se hoje fosse 13 de agosto, até se diria “cruz, credo”..

•  Crime e castigo

Foi manchete na imprensa do Espírito Santo, ontem (13). Dois bandidos roubaram fezes e urina de uma senhora, na quarta-feira (12), no bairro Vale Encantado, em Vila Velha, região metropolitana de Vitória.

Ela leva o material a um posto do SUS, quando foi abordada em um ponto de ônibus. Os criminosos chegaram em um carro e exigiram que a paciente entregasse a pequena sacola que carregava. Ela ainda tentou explicar o conteúdo, levou um encontrão, perdeu o material e... os bandidos fugiram.

O castigo deles deve ter sido alguns segundos depois.

•  Parece ficção

Nem todos sabem o que é criogenia. É a produção de baixas temperaturas e estudo dos seus efeitos em materiais e sistemas diversos.

Pois vai virar tema de um precedente jurisprudencial no STJ, nas próximas semanas.

É o caso envolvendo o corpo de um brasileiro que, aos 83 de idade, foi levado por uma filha para uma clínica de criogenia nos EUA em 2010, à espera de que a ciência encontrasse uma cura para seu mal. Mas o idoso faleceu.

Desde então, divergentes, as três filhas dele brigam, na justiça. O impasse é se o corpo deve continuar congelado, ou levado à sepultura.


Envie seu Comentário

Comentário
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Espaço Vital.

Se for advogado(a) ou estagiário (a), informe qual a sua Seccional da OAB e o número de sua inscrição.




Mensagem (Máximo 500 caracteres)
Não devem ser usadas palavras inteiras em maiúsculas

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Juíza que já foi Miss Distrito Federal estará na equipe de Tóffoli no STF

• Alesssandra Baldini (foto), 31 de idade, é uma recordista em aprovação em concursos públicos. Elogios referem ser ela a magistrada mais bonita do Brasil.

• No desagravo à advogada algemada e presa, presidente da OAB-RJ alfineta o Judiciário: “Vem se construindo baseado no binômio do trabalhar menos e ganhar mais”.

 As férias para os advogados gaúchos em 2019.