Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 16 de novembro de 2018.
http://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

O jeitinho aritmético ensinado por juiz para ganhar e manter gratificação



Arte de Camila Adamoli sobre foto Camera Press

Imagem da Matéria

  Truque financeiro

O ex-juiz federal Wilson Witzel, candidato ao governo do Rio de Janeiro, ensinou em 2017 – antes de desistir da carreira na magistratura - em uma palestra a magistrados e servidores federais, um truque para garantir o acúmulo de mais um penduricalho. De acordo com ele, o benefício da gratificação de acúmulo garante mais R$ 4 mil mensais, sem tributação.

Diz Witzel no vídeo que circulou em redes sociais no fim-de-semana:

“Os juízes hoje estão recebendo auxílio moradia, auxílio alimentação, e a gratificação de acúmulo, que, na Justiça do Trabalho, eu sei que é muito mais difícil de receber, mas, na Justiça Federal, praticamente todos os juízes recebem. A gratificação de acúmulo é de quatro mil reais. Eu recebo, expulsei o juiz substituto da minha Vara, disse “Ô, negão, ou você vai viajar lá pra ficar um ano fora, ou eu vou te expulsar da Vara”. (Risos) Brincadeira, adoro meu juiz substituto. Mas, se ele ficar, eu não recebo. Aí a gente fez uma engenharia... Todo mês, 15 dias por mês, o juiz substituto sai da Vara”.

Procurado por jornalistas, Witzel não comentou o teor do vídeo, não respondeu quando, nem onde, e por quem as imagens e o som foram gravados. Sua assessoria enviou uma nota genérica sobre um tema diferente do que lhe fora perguntando, afirmando que o pagamento de auxílio-moradia está previsto na Lei da Magistratura:

"Todos os auxílios a que magistrados têm direito estão previstos na Lei Orgânica da Magistratura. O candidato, que é ex-juiz, defende que o Congresso Nacional discuta com a população as alterações na lei. Caso tivesse apego a privilégios, Wilson Witzel não teria deixado de ser juiz, uma função pública e com aposentadoria garantida (e que ele perdeu ao pedir exoneração)” – este o teor da nota.

Assista ao vídeo clicando aqui.

 A carreira de Witzel

Wilson José Witzel (Jundiaí/SP, 19 de fevereiro de 1968) é um advogado, ex-juiz federal, ex-presidente da Associação dos Juízes Federais da 2ª Região (RJ e ES), e político brasileiro filiado ao Partido Social Cristão (PSC).

Foi juiz titular da 6ª Vara Federal Cível do Rio até 2 de março de 2018, quando pediu exoneração para se filiar ao PSC. Em 7 de outubro deste ano alcançou 41,28% dos votos válidos (3.154.771 votos) no primeiro turno, ficando em primeiro lugar, na disputa pelo cargo de governador do Rio de Janeiro, seguido pelo ex-prefeito carioca Eduardo Paes (DEM) que teve 1.494.831 votos (19,56% dos válidos). Ambos estão no segundo turno.

Witzel teve um processo de revisão disciplinar arquivado pelo Conselho Nacional de Justiça três semanas antes do primeiro turno da eleição. O caso avaliava uma eventual infração cometida por ele por viajar à Espanha sem permissão da Corregedoria do TRF (em 2014) da 2ª Região. Segundo o Ministério Público Federal, a motivação de Witzel foi comemorar o aniversário de casamento e não participar de um seminário, como o então magistrado alegou.

  Tartarugas jurisdicionais

Conforme a última edição de “Justiça em Números”, publicação do Conselho Nacional de Justiça, de 2015 a 2017 o tempo médio de duração dos processos, no Brasil, passou de 26 meses para 33 meses - um lamentável e inexplicável aumento de 27%.

Nem mesmo a digitalização dos processos, que alcançou 79% dos casos novos recebidos em 2017, conseguiu contribuir para a redução do tempo.

A cidadania não acredita mais naqueles “releases” de diversas cortes que, uma vez por ano, anunciam ter alcançado 100% de efetividade... Trata-se de lenta conversa fiada!

 Breier confirmado

Os leitores do Espaço Vital já sabiam, desde 2 de março passado, que Ricardo Breier concorreria à reeleição na OAB-RS. A confirmação oficial, porém, demorou até ontem (15) à noite, quando 212 advogados reuniram-se em efeméride, num jantar no Hotel Embaixador, em Porto Alegre.

A chapa será registrada até 30 de outubro e a eleição será no dia 30 de novembro. Duas advogadas integrarão a cúpula da chapa, que terá maioridade masculina (3x2).

Em 31 de julho, a oposição já tinha definido concorrer com grupo liderado pelos advogados Paulo Roberto Petri da Silva e Luciane Toss.


Comentários

Danilo Pereira Cordeiro - Advogado 16.10.18 | 19:29:45

A edição 12, de agosto/18, da OAB REVISTA, é um outdoor encadernado da confirmação da pretensa reeleição do atual presidente. Enquanto isto os advogados não têm quem os representem diante do precário atendimento nos cartórios judiciais.


Ex.: Proc. 022/1.06.0022360-5. Último movimento: 21/09/18 - Recebidos os autos,juntar documentos. 16/10/18 - Processo aguardando juntada 19-A. Prazo p/juntada no CPC, art. 228: Incumbirá ao serventuário remeter os autos conclusos no prazo de 1 (um) dia... E por aí...

Jader De Souza Santos Junior - Tecnico Judiciário 16.10.18 | 12:25:22

Eu acredito que errado é o dado onde dizia que o tempo médio do processo era de 26 meses...

Banner publicitário

Mais artigos do autor

A última de Brasília: Temer embaixador na Transilvânia

   A figura do vampiro é bastante presente no imaginário popular e no cinema. O “morto-vivo” está fartamente inserido na cultura política.

  Trocando seis por meia dúzia: depois do “auxílio-moradia”, a gestação do “acréscimo por tempo de serviço”.

  Dicionários on line incorporam a expressão “penduricalho”: equivale a balangandan.

   A diferença entre o salário mínimo e o rendimento médio do trabalhador brasileiro está cada vez MENOR. Mas o aumento para a magistratura está a caminho.

Facebook e Twitter respondem ao TSE que Bolsonaro nada pagou para o incremento da campanha nas vias virtuais

  Leia a síntese das respostas que as duas empresas enviaram ontem (12) ao TSE.

  Saindo da pilha do TJRS: afinal ainda este mês, ou em dezembro, o julgamento da ação penal sobre o múltiplo atropelamento de ciclistas.

  “Erro de cadastramento” tinha chancelado a tramitação da apelação com segredo de justiça.

  A explicação sobre os “excelentíssimos cheques” para 23 magistrados e 16 pensionistas do STM.

“As membras e membros celebram o papel que o MPF...”

 A Associação Nacional dos Procuradores da República manifesta por escrito a defesa da igualdade de gênero, com rechaço às intolerâncias.

 E a lei encomendada por Dilma que queria ser chamada de “a presidenta” ainda está em vigor.

• 36.383 novas vagas em cursos de Direito, só este ano.

• Ministério de Bolsonaro já tem a sua musa. É a “Musa do Veneno”.

Os tentáculos da poderosa confederação e seus efeitos em Porto Alegre

 Tal como em 2002, a eliminação do Grêmio numa pantomima de cartas marcadas.

 O trabalho de quatro advogados gaúchos e um uruguaio na legítima tentativa de reverter a interferência externa.

 A visão vermelha do presidente da FGF e sua aversão ao azul.

 As muitas contratações erradas do Grêmio e a estranha insistência com Bressan, Marcelo Oliveira e Douglas.

Oito dias épicos em Curitiba: Lula, os dois Odebrecht, Leo Pinheiro, Bumlai e o advogado Roberto Teixeira frente à frente com Sérgio Moro.

 Série de audiências da ação penal do caso do sítio de Atibaia será de 5 a 14 de novembro.

 Depois a sentença do caso começa a ser preparada – sem sabor de pizza.

 Saiba porque será difícil que Bolsonaro consiga extraditar Cesare Battisti.

  A última viagem presidencial de Michel Temer será a ... Marrocos!

  Duas mulheres na chapa de Ricardo Breier às eleições da OAB-RS.