Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 16 de novembro de 2018.
http://espacovital.com.br/images/smj.jpg

Bolsonaro convida Moro para o Ministério da Justiça



  Moro no STF

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou ontem (29), na primeira rodada de entrevistas após a vitória, que vai convidar o juiz Sérgio Moro para ser ministro da Justiça, ou ocupar uma vaga que venha a ser aberta no STF.

Textualmente, Bolsonaro disse que “se houver interesse dele, com toda certeza será uma pessoa de extrema importância num governo como o nosso” – disse.

Ontem mesmo (29) início da noite a notícia repercutiu na “rádio-corredor” do TRF da 4ª Região, com a informação de que “Moro não aceitará o convite para o Ministério da Justiça, por se tratar de cargo político instável, que implicaria em renúncia à carreira da magistratura”.

A mesma “rádio-corredor” – repercutindo altas vozes da corte regional – especulou que “o juiz Moro afirmará - se, oportunamente, quando de abertura de vaga no Supremo, o convite for renovado - poderá aceitar o ingresso na Corte suprema”.

Enquanto assessores do TRF-4 esquadrinhavam dados biográficos de Celso de Mello (aposentadoria em 2020)

e Marco Aurélio (aposentadoria em 2021), um chefe de gabinete de um dos magistrado do tribunal regional especulou: “E que tal se, ante as circunstâncias, Gilmar Mendes pedir aposentadoria nas próximas semanas para ir desfrutar das maravilhas de Lisboa – cidade de que tanto gosta?...

Entrementes, a “rádio-corredor” do CF-OAB já dizia ontem, em Brasília, que “também Michel Temer está de olho numa vaga que possa se abrir no Supremo ainda este ano para indicar um jurista político de sua confiança”.

  Alternativas para o MJ

O vice-presidente eleito, general Mourão, prefere outras alternativas para o MJ a partir de janeiro: os ex-ministros do STF Carlos Ayres Britto e Carlos Velloso.

E crava que Sérgio Moro será o nome ideal para mudar-se diretamente da 13ª Vara Federal de Curitiba, quando se abrir a vaga a primeira vaga – que Mourão espera que seja nos primeiros dias de janeiro.

 O temor que o TSE viveu

O jornalista Lauro Jardim, de O Globo, contou ontem (29), em seu blog, que os ministros do TSE se reuniram isolados no domingo, a partir das 17h, numa sala do tribunal para acompanhar o resultado da eleição. “O clima era de velório” – segundo um dos próprios ministros confidenciou no final.

Um deles disse vaticinou que "sobreviveremos", quando as urnas fossem abertas.

Mais uma informação de Jardim: “O TSE havia planejado uma saída alternativa, mantida em sigilo, para Rosa Weber conseguir sair do tribunal no domingo, em caso de emergência”.

Havia medo de que manifestantes obstruíssem as saídas convencionais do tribunal.

 Saída para os brasileiros?

Houve aumento, este ano, de 50% dos processos de brasileiros pedindo cidadania portuguesa. Entre as consultas, o salto foi de 100%. Os números são do Nabas International Lawyers, em Londres.

Em setembro, por causa da grande procura de pedidos de nacionalidade, o consulado de Portugal, em São Paulo, chegou a suspender os atendimentos. Mas já voltou à normalidade.


Comentários

Paulo Alves - Advogado 30.10.18 | 20:05:14

Seria ótimo se o Min. Gilmar Mendes cumprisse a propalada promessa de que se o Bolsonaro fosse eleito iria embora para Portugal. Poderia levar o Min. Lewandowski e o Min. Marco Aurélio com ele.  E o Decano poderia também já encerrar, não esperar 2020, coitado, está cansado.... Seria muito bom para o Brasil, renovar também o STF. E o juiz Sérgio Moro será ótimo no elenco.

Banner publicitário

Mais artigos do autor

E Lula caiu como patinho...

  Quando a culpa é do estagiário...

  ´Quiz´ jurisdicional: “Quem proferiu a frase “Se continuar nesse tom, vamos ter problemas” ?

  PT lançará, nesta sexta, a campanha #voltaMoro #elaNão.

 Morar com criança antes da adoção não afasta direito à licença-paternidade.

Vende-se, “cash”, uma excelente adega por R$ 10 milhões

 O caso tem também detalhes gaúchos: viníferos, financeiros e advocatícios.

  Os gastos dos cartões corporativos para atender Alvorada e Jaburu. E não se fala na mala de Rocha Loures.

  Petrobras vai continuar investindo no circo da Fórmula 1.

  O empoderamento feminino na OAB do Rio de Janeiro.

  Remoção do entulho autoritário: mais de 5.000 atos baixados pelas agências “reguladoras”.

Se alguém souber responder, é favor avisar!

 Ensinamentos de Celso de Mello sobre a publicidade dos processos.

 TST decide, em caso gaúcho, que xixi de criança não é insalubre.

• E o manuseio do “número 2” causa insalubridade?

 Ação judicial de empresário para diminuir sua idade em 20 anos

A pergunta de terça-feira: Até quando José Dirceu continuará solto?

 O sonho de Lula que depende de Gilmar...

 Em Brasília, o novel político que quer saber o tamanho da cama no apartamento funcional, onde irá morar com o namorado.

 O período de graça de Bolsonaro vai até 31 de março.

 A função extra de Sérgio Moro: brecar políticos interessados em cargos.

  Os excelentíssimos salários no Superior Tribunal Militar.

  PSL prepara-se para ser o novo rico de 2019.

 O embarque fétido no terminal 2 do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

 A dúvida do STJ: fornece ou não fornece?

Senador condenado é autorizado pelo STF a realizar trabalho externo no... Senado!

 A simpatia de Bolsonaro por Sérgio Moro pode fazê-lo ministro no Supremo em 2020.

 STJ publica quatro novos temas na Pesquisa Pronta.

 TRE-RS constata que 115 mil gaúchos anularam o voto ao teclarem o ´17´ para governador.

 Inconstitucional lei de Pelotas (RS) que obrigava supermercados a colocarem empacotadores.

 Suspensão da CNH de lojista que devia R$ 80 mil, mas figurava bem nas redes sociais.

Carteira verde e amarela para flexibilizar encargos da CLT

 Previsto no programa de Jair Bolsonaro, o novo documento – de adesão voluntária – possibilita reduzir encargos trabalhistas.

 Fernando Haddad projeta “Meu emprego de volta” e o retorno do imposto sindical.

 Joaquim Barbosa rechaça tentativa de afagos do PT.

• Língua solta: TRF-4 analisa amanhã (24) as candentes revelações de Palocci.

 Delação detalha propinas supostamente pagas ao gaúcho Augusto Nardes.

 Ex-juiz que virou político revela o penduricalho conjugal: “Minha mulher é advogada e tem dinheiro!

 Deputados e senadores propõem perdão das dívidas dos produtores com o Funrural.

 Abílio Diniz e a antiga cúpula da BRF (dona da Sadia e da Perdigão) podem cair no cardápio de Sérgio Moro.