A IVI não para nem na Copa!


Nestes dias de Copa, a IVI – Imprensa Vermelha Isenta - tem de ficar futricando os mínimos detalhes antigremistas. Ocorreu um fenômeno que parece até bem simples. Mas pode ser transformado em tema de TCC ou dissertação de mestrado nos cursos de Comunicação.

Temos denunciado o papel da IVI no Estado do Texas do Sul do Brasil, lugar em que ainda se fala em centroavante fuçador e volante que tem de sair sujo de barro. O centroavante aipim é o objeto de desejo dos texanos (nisso se incluem gremistas, é bom dizer).

A IVI consegue se superar e já é um ´case´ de jornalismo. Alguns jornalistas esportivos merecem estudo, como Zini Pires, o azul mais fascinado pelos vermelhos, assim como David Coimbra, gremista apaixonado pelos rubros.

Imaginemos, então: a IVI – que são os jornalistas vermelhos que escondem seu clube de coração – auxiliados pelos gremistas fascinados pelo vermelho. O Grêmio não precisa de inimigos a mais.

Poderia fazer uma longa lista de patacoadas. Todavia, quero comparar uma notícia dada por dois tipos de jornalismo: um do RS-tipo-IVI (vejam link) dizendo que “Baloy, que fez o gol histórico do Panamá, é um ex-jogador do pior time do Grêmio” (sic) e a imprensa do Paraná, que noticiou o mesmo fato do seguinte modo: Ex-jogador do Atlético e do Grêmio marca gol histórico para o Panamá (ver aqui). Eis a diferença. Depois dizem que “isso de IVI não existe”.

No mais, Flávio Guberman me ajuda, lembrando que a IVI, de fato, não para. Semana passada já tivemos, por exemplo: a) A IVI “trabalhando” problemas no vestiário do Grêmio em decorrência do André; b) O Estádio Olímpico abandonado; c) A gestão da Arena.

Do outro lado, tivemos cobertura, ao vivo, em visita à delegacia, ameaças aos que ousem falar qualquer coisa do clube vermelho (uau!) e silêncio sepulcral sobre o desaparecimento de um importante jogador por duas semanas (olhos e ouvidos moucos da IVI).

Houve, também, cobertura direta das férias de jogadores do Inter para vários lugares (a IVI é a “Revista Caras” do esporte gaúcho), inclusive viagens conjuntas, o que foi vendido como prova de "clima fraterno no vestiário" (uma meiguice só!).

Nem vamos falar do tratamento de ex-jogadores do Grêmio: "Douglas Costas é ex-Juventus”. Bingo! Quando esse mesmo jogador teve um período que a IVI qualificava de “cheio de problemas" no futebol alemão, as reiteradas manchetes começavam invariavelmente como “Ex-Jogador do Grêmio"! Binguíssimo!

Enquanto isso – lembra Guberman - , a IVI ovula pelo ´A. Becker´, o braço de jacaré que falhou miseravelmente no gol da Suíça na primeira partida (qualquer um sabe que bola na pequena área daquele jeito é do goleiro e ele não se mexeu naquele lance!) e que, na segunda partida, naquela bola da Costa Rica que raspou o travessão, se a pontaria do costa-riquenho fosse melhor, teríamos tomado um gol, já que ele, de novo, goleiro A. Becker ficara plantado.

A todo momento a IVI comenta que ele é "ex-SCI".

Fecho de novo com o Flávio: “O que é bom para o Grêmio, esconde-se. O que é ruim, a gente associa, mesmo que, para isso, se necessite distorcer ou inventar. E ainda há quem dê trela à cáfila que se proclama isenta”.

Disse tudo, o Flávio!

Veja como foi no Twiter

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Gazeta do Povo (PR) festejou o ex-jogador do Atlético Paranaense e do Grêmio