As contagens de Sérgio Moro: o tempo até chegar ao STF e a expansão dos seus cabelos brancos


• As contas de Moro

Em entrevista no domingo (12), à Rádio Bandeirantes, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que indicará o ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, para a próxima vaga que abrir no STF: “A indicação é um compromisso que tenho com ele”. No mês passado, em entrevista a um jornal português, o ex-juiz federal disse que a nomeação para a Suprema Corte "seria como ganhar na loteria".

Pelo critério que determina a aposentadoria compulsória aos 75 de idade dos ministros do Supremo, a próxima vaga será decorrência da aposentadoria de Celso de Mello, empossado em 17 de agosto de 1989, que sairá em 1º de novembro de 2020, após mais de 31 anos de mandato.

Fazendo as contas para Moro: faltam 17 meses e meio – com um dia a mais. É que fevereiro de 2020 será bissexto, com 29 dias.

•  Deu branco

O jornal O Globo de domingo flagrou: Sérgio Moro, 46 de idade, exibe agora os primeiros fios brancos de cabelo.

O Espaço Vital pesquisou explicações médicas: cabelos brancos são fibras capilares que perderam toda ou grande parte dos seus pigmentos por conta do processo natural de envelhecimento. Estes fios geralmente possuem as cutículas mais abertas, o que faz com que percam nutrientes e outros componentes com mais facilidade, sendo por isso mais secos, ásperos e frágeis que os jovens.

O surgimento de fios brancos tem duas causas principais. Na maioria dos casos, são decorrências hereditários. Se os pais apresentaram fios grisalhos muito cedo, é provável que os filhos também os desenvolvam antes do tempo.

Mas recentemente um estudo do Imperial College of Science, Technology and Medicine, de Londres, verificou que o estresse e os choques emocionais podem causar o aparecimento abrupto de cabelos brancos. É que a defesa contra os radicais livres, que removem os pigmentos do cabelo, diminui durante estes períodos de exacerbação.

 Alimentos de luxo

As redes sociais seguem sem poupar o STF, depois da atrapalhada tentativa de licitar refeições e bebidas para seus ministros e respectivos comensais, a um custo de R$ 1,2 milhão anuais.

As redes sociais espalharam no fim-de-semana uma sugestão para que o caro crustáceo passe a ser o novo símbolo do Supremo.

A perolar justificativa sobre a distinção a ser atribuída à lagosta tem quatro considerandos:

“1. Nasce, cresce e vive nas costas do Brasil;

2. Tem casca grossa;

3. Anda para trás;

4. E tem m....´ na cabeça”.

•  Ficção paulistana

Michel Temer teria se queixado, no fim-de-semana, aos seus guardiões na sede da Polícia Federal em São Paulo: “Comparando com a minha cela, a do Lula, com tevê de plasma, MP3 e esteira ergométrica – é praticamente um tríplex".

O ex-vice também teria mostrado convicção: “Na terça (14), o STJ me solta e eu volto para Marcela e Michelzinho”.

É hoje.

 É grave a crise

O primeiro emprego formal para o jovem brasileiro só está chegando, em média, aos 28 anos e seis meses de idade. Entre 2006 e 2014, a idade média era 25. A pesquisa é do iDados, com base em informações do Ministério do Trabalho. O estudo avalia que esse acréscimo etário reflete o desemprego maior nesse grupo.

A crise jogou no mercado um grande número de profissionais qualificados, que agora aceitam trabalhar por salários menores e concorrem com os jovens. A entrada tardia na formalidade prejudica o financiamento da Previdência.

 “Excelência” em consultoria

O notório Romero Jucá – aquele mesmo em quem o leitor está pensando – segue em avançadas negociações para fechar um contrato de consultoria com a CNC. Sabe-se lá o que o ágil ex-senador está prometendo e muito menos o que, formalmente, pretende faturar.

O que se sabe é que a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (este o nome completo) é a entidade sindical de um dos principais setores da economia do País.

Juntas, as categorias respondem por cerca de 1/4 do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram aproximadamente 25,5 milhões de empregos diretos e formais.

 Barbárie brasiliense

Ameaças de morte a autoridades estão perigosamente se vulgarizando. Ela chegou na semana passada à Universidade de Brasília.

O autor do e-mail ameaçador citou como alvos, nominalmente, oito professores de diferentes cursos, entre eles três do Direito.

A Polícia Federal investiga.

 Asas na ponte aérea

A Azul fez ontem (13) nova oferta pelos slots da Avianca: são US$ 145 milhões. Ela está de olho na ponte aérea Rio – São Paulo, rota mais lucrativa do país.

A situação da Avianca é complexa. A empresa dos irmãos Gérman e José Efromovich só tem cinco aviões em uso, suas dívidas ultrapassam R$ 3 bilhões e os funcionários estão sendo gradativamente demitidos. Só ontem foram desligados 200 comandantes e co-pilotos.