Faltou vontade ao GrĂªmio


O Grêmio só conseguiria ganhar se se igualasse na vontade...ao Caxias!

A frase não é minha. Leiam até o final.

Sigo. Por que o Grêmio perdeu para o Novo Hamburgo em 2017 e agora para o Caxias? No sábado (22) perdeu um turno. Pode perder o campeonato. Motivos, razões, circunstâncias? Vamos a alguns.

1. O crime de apostar nos bruxos; com isso, Pepê fica no banco e outros jovens ficam no limbo.

2. Thiago Neves pode ser o novo André; autoexplicativo isso.

3. Um time com folha 40 vezes maior que a do adversário? Qual é a explicação? E perder duas vezes? Em casa por 2x0 e em Caxias, valendo o turno, por 1x0.

4. Um treinador que saiu do berçário ganha duas vezes, em poucos dias, de um rival que recebe R$ 1 milhão por mês.

5. Tudo isso tem de ser dito. Não há chapabranquismo que esconda isso.

6. Aliás, chapabranquismo é uma doença do futebolismo.

7. Como dizia o personagem “çábio” Conselheiro Acácio (Primo Basílio, de Eça de Queiroz), as consequências vêm sempre depois. Querem ver? As barbeiragens no trato e no tratamento do caso Jean Pierre geram consequências... que vem – e vieram - depois. E isso não é um jogo de palavras.

8. Questão de accountability (desculpem a palavra difícil – quer dizer “prestação de contas” ou algo assim): jogadores não falaram depois do jogo e só retornaram na terça-feira (25). Na verdade, quarta-feira (26). Clube de futebol só existe porque possui torcedores. Que merecem essa accountability. Parece que jogar no Grêmio é - ou parece ser - algo como uma colônia de férias. Aqui mesmo no Jus Azul pedi para o Papai Noel que proibisse Renato de fazer rachão e que pusesse a rapaziada a treinar. Como o Jesus faz no Rio de Janeiro.

9. A derrota para o Caxias (2x0) e o segundo tempo do Gre-Nal deveriam ter acendido a luz amarela. Nem sempre um Gre-Nal arruma a casa.

10. Em suma, o décimo ponto é apenas o ponto óbvio do ponto: o Grêmio não pode perder um turno do campeonato para um time com uma folha 40 vezes menor. O resto é retórica de derrota. Simples assim.

11. Mas, como futebol tem onze, aqui vai o último jogador, a cereja do bolo que explica a derrota:

“Romildo Bolzan foi ouvido pela Rádio Gaúcha antes do jogo. Foi profético. Reconheceu dificuldades que se confirmaram e exigia que o Grêmio conseguisse se igualar na vontade do adversário” (Coluna do Pedro Ernesto).

Vou ler de novo uma parte: O presidente disse que o Grêmio somente ganharia se tivesse a mesma vontade de ganhar que o Caxias. Pronto. Nada mais precisa ser dito. And I rest my case.

Vontade! É isso. Se o presidente disse o que disse, é porque sentiu que estava faltando algo ao plantel. O nome dessa coisa faltante? Von-ta-de! Ups. Forte, não?

Será que os jogadores estão entediados? Será que o Grêmio vai precisar de um motivador? Seria o fim da picada.

Motivar quem ganha salários desse jaez... Seria mais ou menos como dar gratificação por saber nadar...ao professor de...natação. Bingo!