Casamento: 72 mais 41 é igual a 113


Aos 72 anos de idade, o Doutor Juvenal, aposentado operador do Direito, boa poupança e um contracheque mensal recheado de penduricalhos de incorporações, viúvo, se casa com Lúcia Margarida, advogada de 41. Esta, em consideração ao marido da “melhor idade”, já tinha definido que rotineiramente eles deveriam dormir em quartos separados.

Janeiro de 2020, aí pelas 11 da noite, terminada a festa do casamento realizada no salão de festas de um clube praiano, o casal ruma para o seu apartamento à beira-mar. Cada um em seu quarto.

Margarida se prepara para deitar, quando ouve batidas na porta. Ao abrir, ela se depara com Juvenal, pijama curto de cetim roxo, pronto para a ação. Tudo corre bem, alguns minutos depois o marido despede-se respeitosamente e se retira para a peça ao lado.

Passam duas horas, Margarida ouve novas batidas na porta. É Juvenal pronto para mais um embate de Eros. Ela se surpreende, tudo acontece nos conformes, terminada a relação o experiente homem beija carinhoso a novel esposa, e faz o curto caminho de volta.

Seis e meia da manhã, o sol já espia firme no leste do litoral gaúcho. Eis que Margarida - após insuficientes três horas de sono - escuta de novo crescentes batidas na porta. É Juvenal outra vez, com aspecto vigoroso e renovado, prontíssimo para mais uma ação.

A novel esposa cumprimenta o cônjuge: 

- Estou impressionada que, com tua idade, possas repetir a relação com esta frequência. Já estive com enérgicos homens quarentões e eles se contentavam apenas com uma vez. Tu, excelentíssimo marido Juvenal, és um grande amante!

Feições de surpresa, ele pergunta:

- Eu já estive aqui antes?

Entusiasmada (ou surpreendida?), horas depois Margarida, via WhatsApp, conta a tríplice proeza a uma amiga publicitária que estivera no jantar do casamento. A confidente liga o notebook, pega algumas folhas de papel e produz uma homenagem criativa, que no entardecer é levada ao apartamento de Juvenal e Margarida, festejando em tópicos: “72 mais 41 é igual a 113. Bingo! Alzheimer é melhor do que Viagra!”.

Transitou em julgado no juizado da vida.