Vamos falar em decano - mas não do STF. E, sim, da advocacia gaúcha


 

[1ja] O decano da advocacia

 

Pertinentes adendos feitos pela Assessoria de Comunicação Social da OAB-RS e pela advogada Regina Abel (nº 22.942) a propósito das “Nostalgias do baú”, publicadas pelo Espaço Vital na sexta passada (16). Os advogados Emilio Rothfuchs Neto (nº 2.368) e Fernando Wunderlich (nº 2.803) - que se pensava serem os dois profissionais com inscrições mais antigas ainda exercendo plenamente as atividades profissionais - têm um colega que os sobrepuja, vista a questão sob os prismas etário e registral.

O advogado decano e com permanente atividade no RS é Adalberto Alexandre Snel (nº 1.665). Aos 94 de idade, ele está trabalhando normalmente, em home office. Em Novo Hamburgo, onde reside, despacha diariamente - à distância - com os colegas de banca (Paulo Seibel e Estevão Trentz).

Snel formou-se na UFRGS em 1951, mas já exercia a advocacia regular na condição de solicitador, desde 1950. Antes, ainda estudante, era professor na Casa de Correção (presídio da época, na Ponta do Gasômetro, em Porto Alegre) e trabalhava no Correio do Povo como revisor.

Ingressou no Ministério Público em 1952 sendo promotor em Estrela e Lajeado. Depois, por 32 anos,  foi procurador do Município de Novo Hamburgo, até ali se aposentar em 1984. Foi o primeiro presidente dos subseção da OAB de Novo Hamburgo.

 

[2ja] Saudável pujança

 

A propósito, a estatística da Ordem gaúcha de ontem (22) revela a pujança da advocacia da melhor idade.

No grupo etário a partir dos 60 de idade, 6.240 advogadas e 12.006 advogados estão ativos e com suas inscrições regulares. Vigor e vidas longas para todos!

 

[3ja] Maganos ou honestos?

 

É verdade que não há democracia sem os políticos, mas a imagem deles no Brasil nunca foi boa e, há décadas, vem piorando. Ainda assim, a carreira política segue atraindo cada vez mais gente. Os números atualíssimos do TSE impressionam.

No total, são 555.475 candidaturas em todo o país para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador. Em 2016 tinham sido 496.927 candidatos. Agora são 58.548 interessados a mais. E a quantidade é 12% superior ao panorama de quatro anos atrás.

Que vencedores e vencidos tenham patriotismo verde amarelo, para defender o povo sofrido - almeja-se!

Sem expectativa de usar cuecas amarelas que escondam lobos-guarás...

 

[4ja] Também atrai...

 

O nome preferido de parte poderosa de políticos do Nordeste para a vaga, em dezembro, do ministro do STJ Napoleão Maia - que se aposenta - é o do desembargador Cid Gurgel de Souza, do TRF da 5ª Região (Pernambuco).

O desembargador Ney Bello, do TRF-1 (Brasília) que também trabalha intensamente pela vaga, tem sido bombardeado por causa de suas próximas ligações com Flavio Dino, advogado, político, professor e ex-juiz federal brasileiro, filiado ao Partido Comunista do Brasil. E também atual governador do Maranhão.

 

[5ja] Aproveitando a brecha

 

Será na terça-feira (27) a votação do nome que a Câmara dos Deputados indicará para uma vaga no CNJ. O preferido é o advogado Mario Maia.

Vem a ser filho do ministro do STJ Napoleão Nunes Maia.

 

[6ja] O fiel...da balança

 

Com a aposentadoria de Celso de Mello no STF, Alexandre de Moraes desponta como o novo fiel... da balança na corte. A avaliação brasiliense é que o voto dele no plenário será decisivo em questões polêmicas - porque os ministros estão quase sempre divididos em dois grupos.

Um deles é formado por Luiz Fux, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Carmen Lúcia.

O outro, por Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello e, provavelmente - surpresa! - o novo ministro Kássio Marques.

A “rádio-corredor” da OAB de Brasília já irradiou que Marco Aurélio se manterá distante de Fux após o episódio do traficante André do Rap. E que “os próprios colegas de Alexandre Moraes reconhecem que ele é o ministro que hoje melhor transita entre os dois grupos”.

Isso é muito bom para... - imaginem - Michel Temer.

 

[ja!] Ladainha política

 

A direção nacional do PT orientou os candidatos do partidos na eleição municipal de todo país a defenderem, no horário eleitoral da próxima terça-feira (27), a anulação da condenação de Lula pelo STF.

Nessa data, o líder petista completará 75 anos.