Atividades suspeitas no ambiente tecnológico do TRT-4 - Espaço Vital
Salvo Melhor Juízo

Atividades suspeitas no ambiente tecnológico do TRT-4

Depositphotos / Edição EV
Atividades suspeitas no ambiente tecnológico do TRT-4


Exame probo

Um mês e meio após assumir a presidência do CNJ, Luís Roberto Barroso viu aprovada na terça (14), por unanimidade, a resolução que cria o Exame Nacional de Magistratura. A prova será um requisito para quem quiser prestar concurso público para juiz e será aplicada em toda a Justiça brasileira, nas esferas estadual, federal, trabalhista e militar.

Segundo Barroso, “a iniciativa elimina qualquer risco de favorecimento a candidatos ligados às cúpulas dos tribunais”.


Em tempo

Surgiu, atualizadíssima, uma pertinente pergunta que tem tudo a ver com a revelação, ontem (16), da existência de um assediador na Justiça gaúcha.

Eis: “Haverá, nos futuros exames, rigorosas avaliações psicotécnicas e psiquiátricas para detectar possível(is) praticantes da lascívia?

E-mails para a redação: [email protected] .


Atividades suspeitas

No ambiente tecnológico do TRT da 4ª Região (RS) foram detectados, antes do feriado, “atos suspeitos de atividades maliciosas na infraestrutura tecnológica”. A Casa informou oficialmente que “implementou medidas de isolamento e contenção de danos potenciais, a fim de preservar a segurança do ambiente computacional”.

Os procedimentos do protocolo de resposta a incidentes cibernéticos se mostraram eficazes. Não há indícios de comprometimento ou vazamento de dados processuais e administrativos.


Veto à orientação sexual

O CNJ aprovou, por unanimidade, também na terça (13), a resolução que proíbe que pedidos de adoção feitos por casais formados por pessoas do mesmo sexo sejam negados devido à orientação sexual deles. O texto proíbe “manifestações contrárias aos pedidos pelo fundamento de se tratar de casal ou família monoparental, homoafetivo ou transgênero”.

A norma vale para processos de adoção, guarda e tutela de crianças e adolescentes. E também nos processos de habilitação de pretendentes.


Aplausos

O Itamaraty prevê chegar até o final de 2023 com 25 mulheres chefiando embaixadas ou missões internacionais entre 133 postos disponíveis, ou seja, 18,8%. Há um ano, eram 13,5%.

No total, as mulheres representam 23% dos diplomatas do ministério. Nesta semana, a diplomata de carreira Glivânia Maria de Oliveira (mineira, 61 de idade) foi indicada embaixadora em Caracas, na Venezuela. O posto é considerado “sensível”. Ela é a atual embaixadora brasileira no Panamá.


O Supremo se humaniza...

... Mas nos Estados Unidos. Depois de 234 anos de sua criação (em 1.789), a Suprema Corte de lá acabou de editar o seu primeiro código de conduta. A medida é uma reação a recentes escândalos revelados (claro) pela imprensa independente. Um juiz viajou pelo mundo às custas de um magnata do Texas.

E outro magistrado, mais contido, foi em férias a um resort pago por um mecenas do Partido Republicano. Esses exageros decepcionaram os nove membros (vitalícios) do mais alto tribunal federal estadunidense.

Nesta semana, vimos em nosso País (a 6.792 km de distância, em linha reta entre as capitais Washington e Brasília) as extravagâncias de três desembargadores do Piauí. Eles partiram no rumo de Salamanca (Espanha), por conta dos cofres públicos, recebendo diárias em dobro.

Viajaram acompanhados das esposas para assistirem um “Congresso Intercontinental de Direito Civil”.


(In) competência

No Brasil, o Supremo já registrou em acórdão que “o CNJ não tem nenhuma competência sobre o STF e seus ministros”.

Resta a Lei Orgânica da Magistratura, que costuma ser lembrada só em polêmicas com juízes de primeira instância e raramente com alguns desembargadores mais salientes. (Ação direta de inconstitucionalidade nº 3.367).


Gastando mal

É contraditório que o governo Lula - enquanto bate recordes de gastos públicos - ainda não tenha destinado sequer um centavo para o programa de reforço à alfabetização, que fora lançado como “prioridade neste ano”.

A urgência da iniciativa foi anunciada em junho com previsão de desembolsos de R$ 801 milhões até dezembro. Lembre-se, todavia, que gastar muito – e gastar mal - não é exclusividade do governo petista.


Especialistas em feriadões

A Câmara dos Deputados teve nenhuma sessão de plenário e das comissões, nesta semana, por causa do feriado de quarta (15) - que virou feriadão de sete dias. O esvaziamento da Casa mantém em compasso de espera o trâmite de propostas consideradas prioritárias para a Nação.

A decisão benevolente foi tomada por Arthur Lira (PP-AL) e líderes partidários. Dane-se a Nação...