Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 20 de agosto de 2019.

Penhora de faturamento da Multisom para quitar dívida com a União



A 1ª Turma do TRF da 4ª Região manteve, na última semana, a execução de dívida tributária contra a empresa Multisom Comércio e Importação que determinou penhora de bens e de 5% do faturamento. O julgado definiu que a medida sobre o faturamento é válida se comprovada a inexistência de outros bens.

A ação tramita desde 2015, quando a União pediu a execução fiscal da dívida de R$ 790 mil e, caso não houvesse o pagamento, que a empresa tivesse seus bens penhorados.

Como a Multisom não efetuou o pagamento da dívida, a Justiça Federal de Porto Alegre determinou a constrição. A decisão estabeleceu que a penhora fosse realizada via consulta ao sistema Bacenjud e que, na falta de bens suficientes para saldar a dívida, ocorresse a penhora sobre 5% do faturamento da empresa.

A Multisom recorreu, pediu também que caso mantida a execução, os bens penhorados ficassem em sua posse, na condição de depositária, sustentando que eles são necessários para a atividade da empresa.

O relator do caso, desembargador federal Amaury Chaves de Athayde, afirmou em seu voto que não existem elementos que comprovem a necessidade do uso dos bens para a manutenção das atividades da devedora e negou o pedido.

“A parte executada não demonstrou qualquer das hipóteses legais que poderiam afastar a necessidade de depósito de bens penhorados nos autos originários em poder do depositário judicial”, concluiu Athayde. (Proc. nº 5006250-19.2017.4.04.000 – com informações do TRF-4).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Uma disputa judicial de R$ 229 bi

Cerca de 25 mil companhias cobram do Fisco – nos fóruns e tribunais federais, Brasil afora - créditos decorrentes de uma decisão do STF que determina a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins.

Isenção de IPVA para mulher que teve câncer de mama

A 1ª Turma Recursal da Fazenda Pública do RS reforma sentença. Reconhecimento de que a Lei Estadual nº 14.381/2013 estendeu a isenção do tributo para as hipóteses de deficiência mental e outras, não mais restringindo o benefício aos casos de deficiência física.

Imposto de Renda incide também sobre o auxílio-alimentação

A Turma Regional de Uniformização dos JEFs da 4ª Região uniformizou o entendimento de que há a incidência do tributo sobre o auxílio-almoço pago em pecúnia a empregado celetista. E a “rádio-corredor” da OAB pergunta reticente: por que não igualar juízes e promotores?...