Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 11 de dezembro de 2018.

Consulta advocatícia equivocada



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A 100 metros do foro da média comarca, o ativo escritório do advogado João funcionava no terceiro andar de um prédio. No primeiro andar do mesmo edifício existia um movimentado consultório médico, anexo a um laboratório de análises clínicas, cujo responsável técnico também se chamava João.

Certo dia, um cidadão chegou à portaria do prédio e perguntou onde poderia ser atendido pelo “Doutor João”. O porteiro indicou a sala do terceiro andar.

O detalhe é que o cidadão buscava um médico e não um advogado. Outro detalhe: o visitante estava acometido de orquite, nome científico dado à inflamação dos testículos. Discreto, obviamente ele não disse isso ao porteiro.

E, assim, o visitante foi bater no escritório do advogado. De chegada, disse à secretária que desejava consultar com o Doutor João, “por uma questão íntima”.

Admitido ao gabinete do profissional, deparou-se com uma mesa atolada de processos e inúmeros papéis. Logo atrás, sentado, vestindo terno e gravata, estava o doutor João.

- Sente-se! Qual o seu problema, senhor? – perguntou o advogado.

- Estou com o testículo esquerdo doendo muito, imagino que esteja inflamado – respondeu o visitante.

O doutor João respondeu:

- O senhor veio ao local errado. Imagino que o atendimento que busca seja prestado na clínica do primeiro andar, neste mesmo edifício. O meu negócio, aqui, é Direito.

O enfermo, que estava irritado com a dor, soltou um abstrato palavrão e exclamou:

- Não sabia que a medicina da cidade estava tão adiantada. Tem até especialistas de testículo esquerdo e de testículo direito!

Levantou-se e saiu porta afora. O advogado nada soube sobre a solução, acaso ocorrida no primeiro andar.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A fama do João Grande

 

A fama do João Grande

Era uma ação penal contra um homem que estaria ofendendo e ameaçando a ex-esposa. As desavenças ocorriam porque ela postava, nas redes sociais, que o ex-marido vivia sempre na casa do João Grande, famoso na cidade gaúcha por ser bem-dotado.

Charge de Gerson Kauer

O gaúcho caloteiro

 

O gaúcho caloteiro

A difícil intimação de um fazendeiro, já conhecido no meio forense, como o Senhor Caloteiro. O êxito da diligência só acontece porque, no esconderijo, o devedor é acometido de coceira causada por urtiga.

Charge de Gerson Kauer

   A experiência dos velhinhos

 

A experiência dos velhinhos

Segundo a cartilha do banco, os saques mínimos no atendimento presencial seriam de R$ 200. Saiba como a idosa senhora - mãe de um advogado e avó de um estagiário do tribunal - convenceu o caixa de que ela tinha direito líquido e certo a sacar apenas R$ 50.

Charge de Gerson Kauer

Quando o suposto amor vira negócio

 

Quando o suposto amor vira negócio

O cliente, à hora da saída do motel, acelera o carro, derruba a cancela e se vai em desabalada fuga. Saiba porque, em Juízo, o tresloucado gesto do homem comove o juiz e obtém simpatia do dono do estabelecimento de hospedagem.

Gerson Kauer

Perfume de segunda categoria

 

Perfume de segunda categoria

Após presidir a audiência de ação penal relativa a roubo à mão armada ocorrido em uma loja de perfumes, o elegante juiz é surpreendido com a pergunta desferida pela vítima: “Doutor, o senhor tem compromisso para hoje à noite?

Gerson Kauer

Casa de marimbondos

 

Casa de marimbondos

Após a vã tentativa de avaliar uma velha colheitadeira penhorada, o oficial de justiça certifica em minúcias: “Não pude me aproximar da máquina, pois na parte interna do teto da cabine tem uma casa de marimbondos do tamanho de uma caçamba de pampa, tendo este servidor medo de levar múltiplas ferroadas”.