Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 07 de dezembro de 2018.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Um grande lobby para tentar liberar os cigarros eletrônicos no Brasil



Arte de Camila Adamoli sobre foto Gannett

Imagem da Matéria

Bafo sem cheiro

A Souza Cruz começa esta semana uma nova frente negocial: tentará convencer a Anvisa – e a opinião pública - de que os cigarros eletrônicos não fazem mal à saúde. O planejamento verde-e-amarelo inclui seminários, conversas, distribuição de releases e afins para tentar realçar que esse tipo de tabagismo – proibido no Brasil desde 2009 – está liberado nos EUA e Europa.

A fumaça lobista – de médio e longo prazo - vai dar o que falar.

Os cigarros eletrônicos têm piteira e contêm cartucho substituível, preenchido com um líquido composto de propilenoglicol, nicotina e substâncias aromatizantes (estas últimas, opcionais).  O usuário aspira uma névoa contendo pequenas gotículas do líquido. Como complemento, vão junto micro gotas de nicotina que o fumante necessita para manter a dependência.

Riscos à saúde

Os cigarros eletrônicos, conhecidos como E-cigarettes, produzem substâncias tóxicas similares às encontradas no tabaco e podem prejudicar os pulmões e sistema imunológico, afirmaram recentemente cientistas da Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos.

O novo estudo é tido como o primeiro em que animais foram expostos ao vapor de nicotina e comprovou que a alternativa está longe de ser uma alternativa segura para fumar.

Nos experimentos, os ratos expostos à fumaça dos E-cigarrettes sofreram danos leves nos pulmões e tornaram-se muito mais suscetíveis a infecções respiratórias. As respostas imunitárias a vírus e bactérias foram enfraquecidas e alguns animais morreram.

Os cientistas também descobriram que o vapor do cigarro eletrônico contêm toxinas 'radicais livres' semelhantes às encontradas na fumaça do cigarro e da poluição atmosférica. A pesquisa foi publicada no jornal online Public Library of Science One.

Papai Noel bem-vindo!

• Acompanhado, dia e noite, por uma tornozeleira e em prisão domiciliar há nove meses, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró está contando os dias (faltam 26) para a chegada do 24 de dezembro. A partir dessa data, ele poderá sair de casa nos dias úteis, entre 10h da manhã e 8h da noite, para zanzar por aí.

• Na mesma véspera natalina, o lobista Fernando Soares (o “Baiano”) também terá uma super alegria. Deixará de ser monitorado pela algema canelar e, então, terá apenas que dormir em casa (Barra da Tijuca, Rio) e prestar seis meses de serviço comunitário. A partir de julho ganha o mundo, livre e faceiro. E endinheirado, claro.

• E Pedro Barusco – que como ex-gerente da Petrobras “ganhou” o suficiente para devolver mais de R$ 200 milhões à estatal - no dia 31 de dezembro ele se livrará da tornozeleira. E a partir de março, poderá até viajar ao exterior. Tem cacife para o que der e vier.

• Na conjunção, já tem gente pensando que o crime compensa.

Dilema milionário

A “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB irradiou ontem (27) uma informação de que as dúvidas de Luciano Huck sobre sua candidatura – agora sepultada - ao Planalto em 2018 não tinham origem nem política, nem partidária.

É que, semana passada, ele ficou ciente de que a Globo rescindiria seu contrato, no mesmo dia em que se filiasse a um partido. Consequência imediata, perderia milhões em dinheiro (salários, produção de filmes, receitas de imagem e merchandising).

A propósito, a revista People With Money (EUA) diz que Luciano é “o apresentador mais bem pago no mundo” – receita anual de US$ 59 milhões. Uma bagatela de U$ 4,9 mi mensais – ou U$ 163 mil diários.

Não dá para perder tudo isso aí... Principalmente se a intenção for, mesmo, manter-se distante dos milhões que jorram no propinoduto.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos diz que homens e mulheres “não são iguais”

 Damares Alves (foto), anunciada como titular da pasta que será criada em janeiro, é advogada e pastora evangélica. Ela contou ter sofrido violência sexual aos 6 anos. É mãe adotiva de uma filha indígena.

 Um sutil puxão de orelhas dado pelo ministro Paulo de Tarso Sanseverino em dois advogados gaúchos.

 Políticos, esses grandes devedores da Fazenda Nacional...

 Férias pagas parcialmente antes do início do descanso motivam pagamento em dobro. Decisão é do TST.

Julgamento disciplinar de magistrados por suposto envolvimento em política partidária

  CNJ decide, no dia 11, os pedidos de providências contra o gaúcho Luiz Alberto de Vargas (TRT-RS) e outros nove magistrados.

  Vitória da situação advocatícia no RS consagrou uma frase: “A OAB não é partido político”.

  Supremos jeitinhos jurídicos para amenizar a corrupção: “É caixa 2”.

Moro prepara pacote de medidas de combate ao crime organizado

 Entre os pontos que serão analisados pelo Legislativo está a proibição da progressão de regime a presos que mantêm vínculos com organizações criminosas.

 Com o efeito cascata em todo o país, o aumento para o STF traz um impacto financeiro de 1 bilhão e 400 milhões de reais, ao ano.

 O supremo séquito e os balangandans: Toffoli levou seis assessores a encontro dos juízes federais em Buenos Aires.

A juíza federal Gabriela Hardt não toca flauta!

  Vídeo apresentando a magistrada federal da Lava Jato como música amadora é fake!

  Imagens e áudio – de boa qualidade - exibidos em grupos de WhatsApp confundem a magistrada com a flautista Gabriela Machado, do grupo Choronas, de Santos (SP).

  Socicredi não pode usar a marca Sicredi. Decisão é do TJRS.

 Atraso habitual de ônibus do empregador é computado como hora extra em favor de empregado.

  Caso grave de Mal de Parkinson: STJ condena Bradesco a fornecer home care, mesmo sem previsão no contrato.

Resolução do TRF-4 limita a competência dos desembargadores plantonistas

  Para evitar a repetição da lambança do “solta/prende” Lula, ocorrida em 8 de julho, o relator vinculado poderá intervir nas petições, ações e recursos encaminhados ao plantão.

  “Rádio-corredor” do tribunal diz que se trata da “Resolução Anti-Lula”.

 “Rádio-corredor” da OAB-RS prefere a troca de vocativo: “Operação Anti-Favreto”.

 Os riscos de uso político do CNJ: por quê Sérgio Moro antecipou o seu pedido de exoneração da magistratura.

 “O Brasil terá um governo militar eleito e a população precisa se aperceber disso” – uma frase às claras.

  Expectativa para dezembro: a sentença da juíza Gabriela Hardt julgando Lula.

A última de Brasília: Temer embaixador na Transilvânia

   A figura do vampiro é bastante presente no imaginário popular e no cinema. O “morto-vivo” está fartamente inserido na cultura política.

  Trocando seis por meia dúzia: depois do “auxílio-moradia”, a gestação do “acréscimo por tempo de serviço”.

  Dicionários on line incorporam a expressão “penduricalho”: equivale a balangandan.

   A diferença entre o salário mínimo e o rendimento médio do trabalhador brasileiro está cada vez MENOR. Mas o aumento para a magistratura está a caminho.