Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 20 de agosto de 2019.

A falta de provas



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

É 26 de janeiro em Porto Alegre, o segundo dia após o julgamento do TRF-4 que condenou o ex-presidente da República.

Iniciando suas atividades de 2018, um cursinho de Direito reúne duas dezenas de jovens interessados em participar de futuros concursos para a bem remunerada magistratura brasileira. O professor de Direito Penal diz que "nada melhor do que começarmos o ano letivo com descontração".

Então o mestre relata a história de um cidadão que acreditava muito em seu partido político. Mas ele desconfiava que sua mulher estivesse sendo adúltera, sempre que ele saía com a caravana de pré-candidaturas para 2018 ou se envolvia em concentrações partidárias.

Por isso, o cidadão resolve contratar um detetive para que, a partir de 24 de janeiro, seguisse a esposa.

Um dia depois, o cliente liga ao investigador.  O diálogo é objetivo.

- E aí, companheiro, como foi?

- Logo depois que o senhor saiu para a concentração de apoio, eu espiei por uma fresta e a vi fazer uma maquiagem caprichada e colocar peças íntimas sexies. Ela também vestiu uma blusa decotada e minissaia.

- E aí, e aí?

- Sem demora, chegou um bonitão em um conversível e ela partiu com ele. Eu me pus a segui-los...

- E aí, e aí?

- Eles partiram em direção à zona dos motéis e fui atrás.

O maridão - já antevendo o pior - questiona:

- E onde o carro entrou?

- No Motel Donzela de Ouro, o mais caro da região.

- E aí, e aí?

- Não sei mais nada, o motel era indevassável e não consegui entrar. Mas imagino que os dois tenham ficado nus e deitados na cama...

O marido já aborrecido, mas ainda não definitivamente inconsolável, então lamenta:

- Esta falta de provas é que me mata!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Páginas da vida com segredo de justiça

 

Páginas da vida com segredo de justiça

O réu de uma ação penal por assalto é universitário, com matrícula trancada por falta de dinheiro para as mensalidades. Chegara a trabalhar como auxiliar contábil. Mas desempregou-se em decorrência do fechamento de uma indústria. A “primeira vez” dele como assaltante terminou sendo a redenção para que, dando a volta por cima, voltasse à faculdade e concluísse o curso de Direito.

Charge de Gerson Kauer

Para medir o tamanho ´daquilo´...

 

Para medir o tamanho ´daquilo´...

Treze de agosto de 2018, hoje está fazendo um ano. A frustração do consumidor que - após encomendar na internet, e pagar por um aparelho que o tornaria “um amante imbatível” - recebeu uma enorme e maldosa lupa. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke. 

Charge de Gerson Kauer

“Quero comer filé”

 

“Quero comer filé”

Na audiência de uma ação de divórcio, a surpreendente mudança de decisão do homem: “Estou velho, não vou conseguir mais uma companheira como ela. Prefiro comer filé com os outros do que carne de pescoço sozinho”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

A sátira embutida

 

A sátira embutida

Na oitava folha da apelação de 12 laudas, o advogado - inconformado com a superficialidade da prestação jurisdicional – digitou um recado: “Como somos tratados como pamonhas, é pertinente informar que uma gostosa receita da famosa iguaria oriunda do milho verde está disponível na internet”.

Charge de Gerson Kauer

Vá ler o CPC, doutora!

 

Vá ler o CPC, doutora!

“Após extravasamento verbal, o juiz jogou à mesa um exemplar do ´CPC Comentado´, com uma sugestão em altos decibéis: ´Leia o Código, Doutora´. Em gesto igual, devolvi-lhe o livro e retruquei no mesmo alto tom de voz: “Leia você o CPC e a CLT, pois quando você entrou na faculdade, eu já andava por aqui, há anos”. O texto é da advogada Bernadete Kurtz (OAB-RS nº 6.937).