Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de dezembro de 2018.

Potins desta quinta-feira



• Novos tempos?

Em linha inversa à sorte ou inocência de Romero Jucá (ver matéria nesta mesma edição do EV) três deputados federais estão presos: Celso Jacob (PMDB-RJ), Paulo Maluf (PP-SP) e João Rodrigues (PSD-SC).

Em comum, porém, eles mantêm os mandatos intactos, com direito a salários.

Com reprovação popular de 60%, a Câmara terá que, afinal, decidir sobre as cassações dos corruptos.

•“Penduricalhíssimos”

A “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB revelou, esta semana, dados que desnudam o Rio de Janeiro como o Estado que mais tem diferentes tipos de benefícios para seus juízes e desembargadores estaduais: “pré-escola”, “educação”, “transporte”, “saúde”, moradia” e “alimentação”.

As torneiras financeiras ali abertas custam R$ 6,9 milhões mensais.

O TJ gaúcho gasta R$ 4 milhões por mês, a título de “auxílio-moradia”, “auxílio-alimentação”, “parcela autônoma de equivalência” e até o gentil “abono-família”, que não é pago em nenhum outro Estado.

• Comparações

• Nos EUA, nada de mordomias: magistrados não têm direito a compensações para bancar casa e outros custos.

 Automóveis, só para os nove integrantes da Suprema Corte dali.  E atenção para o detalhe: os ministros recebem carros de  propriedade do Estado, mas eles próprios dirigem os veículos no percurso casa-trabalho-casa.

• O salário normal de um juiz no Brasil representa 19,8 vezes a renda média dos cidadãos brasileiros. Os magistrados estadunidenses ganham somente 3,6 vezes a mais do que a média nacional dali.

• Sem subterfúgios

Não se sustenta aqui que a magistratura brasileira não tenha o direito à remuneração condigna. A discussão que, afinal, deverá chegar ao STF em março, é uma oportunidade para que os 11 ministros dali brequem, afinal, a imoralidade. Em vez de benefícios nada transparentes, que sejam pagos, às claras, salários condizentes com as funções dos servidores e devidamente tributados.

A sociedade repugna a ousadia dos pagamentos – sem tributação – que eleva, de forma dissimulada, os ganhos da alta e elítica burocracia pública.

• Pensem bem!

Claro que os magistrados não precisam, por ora, declarar à Receita Federal o que ganham como penduricalhos.

Mas experimente o cidadão comum organizado deixar de declarar algum ganho, para ver o que acontece...


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Potins desta terça-feira

 Nova lei permite que advogados de sindicatos possam receber, cumulativamente, os honorários contratados com a entidade que representam e os honorários de sucumbência assistenciais.

 Magistrados não podem participar de câmaras privadas de conciliação.

 Um oficial de justiça à espera de Ciro Gomes.

Notícias curtas desta terça-feira

•  Judiciário brasileiro tem 80,1 milhões de processos em tramitação.

• Uma alfinetada de Roberto Barroso em Gilmar Mendes.

• José Dirceu, o czar do Brasil.

•  O Brasil que eu quero é... a Dinamarca!

•  A apreensão de vários milhares de telefones celulares da marca Alcatel.

Potins desta sexta-feira

•  “Autos processuais não localizados, apesar de muita procura”...

•  Liminar proíbe associação de direito médico de prestar atividades jurídicas.

•  Cliente de banco consegue anular cobrança de “tarifa de serviços administrativos”.

•  TST decide que é ilegal exigir depósito prévio para custeio de perícia.

•  Cancelada súmula do STJ sobre proibição de banco reter salário para adimplir mútuo comum.

•  Feriadão encaminhado no STJ para 14/18 de novembro.

Potins desta terça-feira

 Número de advogados brasileiros supera a marca de 1,1 milhão

 Ação trabalhista de doméstica contra o ex-patrão João Dória, ex-prefeito de São Paulo.

 Lula: presidenciável ou “presodenciável”?

• Eduardo Cunha quer pagar parte da multa de R$ 5,7 milhões com dinheiro que está sendo repatriado do exterior.

• Uma ação do Flamengo contra o colorado Paolo Guerrero.

 Amiga de Dilma será a advogada eleitoral de HenriqueMeirelles. É milagre político.

 “Mãe União” garante curso em Lisboa para dois advogados.

 Cármen Lúcia recusa sala vip nos aeroportos.

 O aperto de Preta Gil e o impasse na devolução de um apartamento que ela não consegue pagar.

Potins desta sexta-feira

· Ciro Gomes prega que juízes e promotores voltem às suas caixinhas. E quer a restauração da autoridade do poder político.

· A cara feia de Cármen Lúcia.

· E a cara sorridente de magistrados mineiros bafejados por altos salários.

· A engraçada comédia dos candidatos à Vice-Presidência da República.

· Uma benção na sede do TRF-2, para afastar assombrações noturnas.

· Indenizações do DPVAT vão ter indenizações aumentadas. Mas o custo do seguro também vai subir.

Potins desta sexta-feira

 Negado vínculo de emprego entre carregador de tacos de golfe e o Country Clube de Porto Alegre.

 Um homem e sua união estável com duas mulheres

TRF-4 mantém liminar que impede governo do RS de arquivar a extinção da Fundação Piratini.

 CF da OAB diz que o modelo da Agência Nacional de Saúde e outras reguladoras está falido.

 Auxílio-acidente depois do auxílio-doença.

 MPF vai pedir, em agosto que Adriana Ancelmo volte para a prisão.