Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 11 de dezembro de 2018.
https://espacovital.com.br/images/jus_azul_foto1.jpg

Então no princípio era, e continua sendo, a IVI !



Acompanhei, de muito longe – fisicamente falando – a luta de RW (Ricardo Wortmann) para assegurar a autoria da sigla IVI – Imprensa Vermelha Isenta. No Brasil, só quem cita a fonte é garrafa de água mineral.

Há dois modos de “negar” a IVI e a autoria da sigla IVI: a um, dizendo “IVI? Isso não existe”; a dois, dizendo que foi criada por Odorico, por Peninha e quejandos.

Para mim, quem melhor lida com isso é o Rogerio Böhlke, da Rádio Gre-Nal. Escutei um sketch da rádio em que cantavam algo como “O bloco da IVI”. Genial. Parabéns à emissora que lida com isso de forma lúdica. Aliás, futebol tem o nome de ludopedismo. Quem não lidar ludicamente com coisas do futebol paga mico. E pagar mico não é só dar dinheiro ao símio, se me entendem a ironia ou o sarcasmo (ou os dois).

Parafraseando o livro mais famoso do mundo, diria: RW capítulo 1, versículo 1, “no princípio era a IVI”. RW não criou a IVI. Ela existe desde o Rolo Compressor (década de 40). Ele apenas a nominou. RW, como já falei, apenas foi o nomoteta, o dador de nomes às coisas.

Como passei bons dias na Grécia, por lá andei pelos lugares em que passeou e professorou Platão, que escreveu o primeiro grande livro de filosofia da linguagem do ocidente: Crátilo. É um debate do primeiro Gre-Nal da história, pela boca de Sócrates (o filósofo): sofistas versus naturalistas. E Platão foi o árbitro. Não vou contar o placar. Apenas dizer que o principal capítulo do livro – e o mais bonito – se chama “da justeza dos nomes”. Como se dão nome às coisas? Eis aí a figura do nomoteta, esse dador dos nomes.

Pois a IVI é um fenômeno que surgiu e se fortaleceu durante décadas. Faltava-lhe o nome. As coisas passam mesmo a existir quando tem nome. Assim são as pessoas. Elas têm um nome. Nome. Nomos. Lei. Dar um nome é dar a lei. É assentar. Aliás, lei em alemão é Gesetz, que quer dizer exatamente “assentar”, “fixar”. Tanto é que “legislador” em alemão é Gesetzgeber, aquele que dá a lei.

Então à IVI foi dado o nome. O logos se fez matéria. E, uma vez dado o nome, pode ser enfrentada. Uma coisa sem nome é difusa. Confusa. Não conseguimos identificar. Dado à coisa o seu nome, ela se torna perceptível. Sai das sombras para a luz.

Portanto, lembremos sempre dessa coisa que agora tem nome: IVI. E que não é algo metafísico. IVI é uma coisa concreta. Basta ver, por exemplo, a Zero Hora do dia do jogo do Grêmio com o Independiente, nada mais, nada menos, do que pela Recopa. Na capa, o Grêmio teve o mesmo espaço do jogo do Real Madrid e do PSG. Bingo. Binguíssimo.

Um quadradinho para Grêmio e um quadradinho para Real Madrid. Isso é SMI (Sintoma de Manifestação da IVI). Chega a ocorrer de forma inconsciente. É uma espécie de imaginário concreto. O editor da capa da ZH nem se dá conta. Ele simplesmente age. É uma espécie de Discurso da Servidão Voluntária, parafraseando o livro famoso escrito no século XVI por Ettiene de la Boéttie. Na verdade, é no costume, no hábito que aprendemos a servidão.

Querem ver outra manifestação inequívoca da IVI? ZH de sábado, agora, dia 17; Grêmio jogará na quarta decidindo a RECOPA.

Pois Diogo Olivier dá uma página inteirinha a Dallessandro. Diz que ele precisa de tratamento diferenciado no Inter. Pergunto: No Inter? Pode ser. Porque na IVI o tratamento de Dalessandro é VIP. E nem uma linha de Olivier à RECOPA. Dalessandro é mais importante.

Assim caminha a IVI. Segunda-feira, 19 de fevereiro, primeiras notícias da ZH sobre esportes: “Grêmio precisa de duas vitorias para não ser rebaixado no Gauchão”.

E vá notícia sobre centroavante, a velha paixão gaúcha. O gozo com o centroavante “aipim”. Só se fala em centroavante. E, é claro, matéria de duas páginas, no meio sobre o jogo do Inter contra o São Paulo, de Rio Grande. Na parte “destinada” ao Grêmio, pouquíssimas linhas sobre o jogo de quarta, dia 21, que decide a RECOPA, igualada pela IVI à disputa de uma vaga para a continuidade do Inter na Copa do Brasil.

Quem acha que estou exagerando, procure nos arquivos os dias que antecederam a final da Sul Americana vencida pelo Inter. Mas, RECOPA não tem “essa importância”...! No dia em que o Real Madrid disputou o jogo contra o PSG, os jornais da Espanha só falaram disso. E não era título em jogo.

Aqui nem na TV do RS o jogo passou (sei que não compraram os direitos, mas fosse Inter o finalista, teriam comprado – disso nenhum gremista tem dúvida).

E isso que não analisei as demais sucursais da IVI. Só falei da holding...

* * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * * ** * ** * * ** * * ** * * ** * * *

- Lênio Streck escreve Jus Azul às terças-feiras. Contatos com o articulista: lenios@globomail.com.

- Roberto Siegmann escreve Jus Vermelha às sextas-feiras. Contato com o articulista: roberto@SiegmannAdvogados.com.br


Comentários

Andre Peixoto Soria Galvarro - Engenheiro Agrônomo 20.02.18 | 11:35:26

Lênio, o que está acontecendo com o nosso Grêmio? Fechamos 2017 como o melhor time da América e os vermelhos no inferno da SEGUNDONA. Em 2018 deveríamos fortalecer o grupo pontualmente (atacante e meia), fazer um time mesclado para acabar com a única chance DELES de ganhar algo est ano. Mas o que estamos vendo é um time enfraquecido, onde o uso do time de transição está sendo catastrófico, na lanterna do Gaecão. A chance de rebaixamento é iminente. Vamos ajudar a reerguer os vermelhos?

Deny Francisco De Camargo - Advogado 20.02.18 | 10:13:17
Quantos títulos mais o Grêmio precisará ganhar para comprovar que a estratégia de poupar jogadores está correta?
Alguns parecem torcer mais pelas suas teses do que pelo clube, mesmo quando os fatos as massacram reiteradamente.
Concordo com o RW com relação ao aipim por exemplo, acho que o Grêmio joga melhor com atacantes de velocidade, mas na final da Libertadores não fosse o desvio de cabeça do Jael não teríamos vencido o primeiro jogo. Não o vi escrever uma linha sobre isso...
Breno Vallejos - Torcedor Do Grêmio 20.02.18 | 08:33:29

Interessante essa crítica à IVI. Mas gostaria de ler neste espaço críticas pontuais ao Grêmio. Gente, deem-se conta do absurdo a que estão sendo submetidos o nosso clube e sua torcida, de serem rebaixados no Gauchão. Ora, o Campeão da Libertadores 2017 como lanterna do campeonato estadual? E a direção do clube silenciosa? Quem sabe criamos a DGO? Sigla para DiREÇÃO GREMISTA OMISSA! ou DGI, Direção Gremista Incompetente.

Elaine Harzheim Macedo - Advogada E Professora 20.02.18 | 08:11:46

Genial. Lúcido, crítico, atual ou melhor atemporal. A IVI EXISTE: negar a verdade é negar-se a si próprio. O texto coloca o dedo na ferida, doa a quem doer. Imprensa futebolística isenta... no RGS...até parece! Lênio é Lênio. Não é preciso dizer, porque é óbvio, que sou gremista. Mas não é isso que conta: qualquer um pode ser gremista ou colorado, e sim a autenticidade e transparência.

Felipe Mostardeiro - Empresário 20.02.18 | 07:23:48

Sobre o noveletão, o que o Grêmio  e o Inter deveriam exigir é que em anos em que estiverem jogando a Libertadores, só entrassem nas quartas de final, assim como ocorre na Copa do Brasil. Mas acredito que esta providência só será adotada se o coirmão conseguir se classificar para a Libertadores. O que acho difícil...

Ricardo Luiz Wortmann - Blogueiro Da Corneta Do Rw 20.02.18 | 06:23:19

Andei pela cidade ontem. E o assunto predominante entre os gremistas era o possível rebaixamento. Não posso entender que o Grêmio utilize os reservas contra o Novo Hamburgo. O time está visivelmente sem ritmo de jogo. Se o Grêmio for rebaixado ficará 5 meses de 2019 jogando meia dúzia de partidas oficiais (caso esteja na Libertadores). Ou estará de férias de jogos oficiais caso não se classifique. Vai jogar amistosos contra contra o Sindicato dos Jogadores? Titulares no sábado! Urgente!

Lélio Altevir Giovedelli - Enólogo 19.02.18 | 23:12:18
Sou como o Corneta do RW: fico pensando no Grêmio de 2019, sendo rebaixado breve no Gauchão 2018. Se não se classificar para a Libertadores ficará cinco meses de férias. É de lembrar: o brasileirão do ano que vem inicia em maio. Então, serão cinco meses de férias. Nenhum titular do Grêmio colocará seus pés milionários para jogar a segundona do Gauchão. É o que eles querem. Do jeito como está, breve vão pedir "auxílio-moradia".
Leandro Marques - Estudante Universitário 19.02.18 | 23:02:47

Bem-vindo, professor Lênio! Parabéns Espaço Vital! Como gremista, gostaria que o ilustre articulista comentasse sobre o vexame do nosso time posto a disputar o Gauchão. O rebaixamento será a suprema humilhação. Por que craques que recebem salários de 200 mil, 300 mil mensais não são colocados em todas as partidas do nosso Grêmio? Eles têm pernas de cristal?

Carlos Luiz Mendes - Microempresário 19.02.18 | 22:55:19
Quero concitar o Prof. Lênio a escrever, na próxima semana, sobre os riscos gremistas de rebaixamento à Série B do Gauchão em 2019.
Geraldo Mendes Montalvão - Gerente Comercial 19.02.18 | 22:48:03
O Espaço Vital volta a ficar completo com o retorno da Jus Azul e da Jus Vermelha. Além dos interessantes casos judiciais, pitadas verdadeiras, escritas por um jurista, sobre as discriminações que a Imprensa Vermelha Não Isenta impinge sobre o Grêmio.
Banner publicitário

Mais artigos do autor

Números e números! E o cursinho Walita da CBF!

“Para terminar o ´nhenhenhém da poupação´ de jogadores, os números do Palmeiras são arrasadores. Envergonham o Grêmio. E sabiam que o Bressan cometeu 34 pênaltis?”

Não há DU (vi) DA sobre jogadores ruins!

“O Grêmio vive uma espécie de império da opinião dos jogadores. Parece-me que eles instituíram uma “proto-ditadura”. Quem manda, afinal, no clube?”

O ´chapabranquismo´ pode ser fatal!

“Torcer é também exercer uma saudável crítica. Um clube não é como o regime da Coreia do Norte. Tem de ter racionalidade crítica. E coragem para criticar termos Douglas no banco, num jogo decisivo pela Libertadores, e não relacionar Matheus Henrique e Jean Pierre”.

Operação ´Apito Amigo´

“Cuidem-se vovô Ceará e Lisca! ´Eles´ vêm aí! (...) Dizem as redes sociais que Noveletto deu a ordem: ´Na dúvida, e mesmo sem ela, pênalti para o Inter´”.