Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de dezembro de 2018.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Segredos que agradam baderneiros



Arte de Camila Adamoli

Imagem da Matéria

 O estranho culto ao mistério

Desde abril de 2008 quando foram instalados os postos do Juizado Torcedor em Porto Alegre houve o registro – nos principais estádios de futebol do RS - de 1.577 ocorrências. Os atendimentos foram feitos no Estádio Olímpico, Arena, Estádio Beira-Rio e, em menor número, nos estádios do Novo Hamburgo e do Caxias onde temporariamente (2013 e 2014) o Inter teve o mando de seus jogos.

O Juizado do Torcedor centraliza as ocorrências de contravenções penais de menor potencial ofensivo como posse de drogas, arruaças, vandalismo, violência, e delitos de trânsito ocorridos antes, durante e após as partidas. Situações que configurem crime com pena superior a dois anos, como lesões corporais graves, são encaminhadas às varas criminais do Foro de Porto Alegre.

“A proposta e o serviço são bons e, em geral, o alcance de soluções rápidos. Mas, na prática, os efeitos poderiam ser melhores e com mais eficiência para a sociedade e para os que vão aos estádios em busca de lazer - se houvesse efetivo controle pelo Judiciário, pela Brigada Militar e pela Polícia Civil em relação aos beligerantes que são punidos ou que aceitaram transações que, muitas vezes, não são cumpridas nem controladas e que terminam voltando aos estádios”.

A análise sintetizada nas duas frases acima contém a essência das respostas a contatos feitos pelo Espaço Vital com advogados do Grêmio, Inter, defensores públicos e profissionais da Advocacia que já compareceram nos juizados para atuar em nome de pessoas lesadas e mesmo de bagunceiros.

Ao todo, dez operadores jurídicos se manifestaram. Chama a atenção que, desses dez, nove entendem que se os números dos atendimentos e/ou processos fossem divulgados - com possibilidade de acesso e publicação dos nomes dos envolvidos - os efeitos para a cidadania seriam muito melhores.

Se a mídia, os dirigentes futebolísticos, muitos agentes públicos e a cidadania em geral pudessem saber e divulgar os nomes dos brigões e baderneiros, o controle seria mais eficiente e os próprios delinquentes que perturbam as pessoas de bem restringiriam a reincidência ou até mesmo gradativamente reduziriam suas idas aos estádios” – resume um profissional da advocacia que defende causas gremistas.

“É desagradável constatar como muitos bagunceiros, com penas ou transações já cumpridas ou ainda pendentes, retornam aos estádios e, às vezes, aos juizados” – admite um servidor público que já atuou no sistema.

E um advogado do Inter lamenta que a publicidade completa e efetiva não faça parte da rotina dos Juizados do Torcedor em Porto Alegre. Ele evoca a postura pública do ministro Celso de Mello, do STF: “Não há no regime democrático possibilidade de se preservar ou de se cultuar o mistério”.

Um dirigente do Grêmio completa: “Veja-se que, no atual momento brasileiro, em casos como os da Lava-Jato e do combate à corrupção, o Poder Judiciário dá outro tipo de exemplo, com seus julgamentos realizados publicamente, sob permanente fiscalização da opinião pública, via meios de comunicação”.

 Opinião do Espaço Vital

A publicidade das deliberações do Juizado do Torcedor – veiculando números dos processos e nomes dos baderneiros - seria um fator de legitimação de todas as decisões proferidas, inclusive naquelas em que o desfecho é a transação.

O TJRS tem que querer. É aí que mora a demora. Afinal, os Juizados do Torcedor já tem dez anos de existência.

 Cuidados em casa

Uma boa notícia para clientes que penam nas curvas e negativas das operadoras de planos de saúde. É que já transitou em julgado a condenação da Unimed (noticiada pelo Espaço Vital na terça-feira passada, 29) definindo que as operadoras não podem limitar o tipo de tratamento que será prescrito para o enfrentamento de males como o mal de Alzheimer.

Observem: a prescrição do tratamento se constitui em incumbência exclusiva do médico que assiste o paciente.

O julgado da 5ª Câmara Cível do TJRS determinou o custeio, em favor de uma idosa em estágio avançado da doença, de todo o tratamento caseiro. Chama a atenção um dos comandos do acórdão: “A Unimed deverá fornecer o atendimento ´home care´ à autora, nos termos indicados pelo médico-assistente”. (Proc. nº 70075841577).

 

 O congestionamento dos leões

As redes sociais brasileiras foram inundadas, ontem (31) com um vídeo autêntico – feito em um parque da África do Sul - que mostra, pouco a pouco, uma dezena de imprevisíveis leões se acomodando sobre uma estrada pavimentada e, afinal, trancando vários veículos de apreciadores de safaris turísticos.

Um automóvel para; de repente já são cinco; chega também um caminhão; se aproxima um utilitário; aporta uma equipe de reportagem de uma emissora de tevê e...está gerado o congestionamento de trânsito nos dois sentidos.

Uma espirituosa mensagem brasileira então sugere: “Convoquem o Padilha e o Marun para resolver. Com um pouco de sorte nossa, de repente os dois ficam por lá mesmo – afinal ninguém sabe como será o humor dos leões, daqui a pouco”...


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Maioria do TRF-2 considera inconstitucional a sucumbência para a AGU

• Nove votos já afirmaram que advogados públicos não podem receber honorários de sucumbência, caso a administração saia vencedora de uma disputa judicial.

 Bye, bye Brasil: 29% dos brasileiros gostariam de deixar nosso país.

 Curso de Direito continuará tendo cinco anos.

 STJ decide a restrição do foro privilegiado também para procuradores da República.

A disputa, por três filhas, sobre a destinação do cadáver do pai falecido há seis anos

  Em vida, o falecido teria manifestado, verbalmente, sua disposição de que, após a morte, seu corpo fosse submetido a um processo de congelamento (criogenia – foto acima), nos EUA, para que com a evolução da Ciência, fosse possível descobrir a causa de sua doença.

  A mina da Votorantim próxima ao rio Camaquã e o atropelamento múltiplo de ciclistas: dois “riscos vermelhos” do RS estão no Atlas Global de Justiça Ambiental.

 Unesco certifica a decisão do STF de equiparar a união estável entre pessoas do mesmo sexo à entre casais heterossexuais como “patrimônio documental da humanidade

Delatores premiados devem R$ 422 milhões às contas da Lava Jato

 A PGR lança uma ferramenta para tentar cobrar de notórios caloteiros que se livraram da cadeia.

• Nenhuma advogada conseguiu se eleger presidente de seccional da OAB. Eram oito candidatas, mas nenhuma teve sucesso.

 TJRS decide que a paternidade socioafetiva - declarada ou não em registro público - não impede o reconhecimento de filiação baseado na origem biológica.

 As atuais diferenças entre Lula e José Dirceu (este, ainda, um homem de supremo poder).

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos diz que homens e mulheres “não são iguais”

 Damares Alves (foto), anunciada como titular da pasta que será criada em janeiro, é advogada e pastora evangélica. Ela contou ter sofrido violência sexual aos 6 anos. É mãe adotiva de uma filha indígena.

 Um sutil puxão de orelhas dado pelo ministro Paulo de Tarso Sanseverino em dois advogados gaúchos.

 Políticos, esses grandes devedores da Fazenda Nacional...

 Férias pagas parcialmente antes do início do descanso motivam pagamento em dobro. Decisão é do TST.

Julgamento disciplinar de magistrados por suposto envolvimento em política partidária

  CNJ decide, no dia 11, os pedidos de providências contra o gaúcho Luiz Alberto de Vargas (TRT-RS) e outros nove magistrados.

  Vitória da situação advocatícia no RS consagrou uma frase: “A OAB não é partido político”.

  Supremos jeitinhos jurídicos para amenizar a corrupção: “É caixa 2”.

Moro prepara pacote de medidas de combate ao crime organizado

 Entre os pontos que serão analisados pelo Legislativo está a proibição da progressão de regime a presos que mantêm vínculos com organizações criminosas.

 Com o efeito cascata em todo o país, o aumento para o STF traz um impacto financeiro de 1 bilhão e 400 milhões de reais, ao ano.

 O supremo séquito e os balangandans: Toffoli levou seis assessores a encontro dos juízes federais em Buenos Aires.