Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de dezembro de 2018.

Pensão alimentícia de ministro do STF



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

O Tite tinha recém anunciado a convocação oficial dos atletas da seleção canarinho, quando cartolas da CBF, no Rio, foram informados por uma das “rádios-corredores forenses” deste grande Brasil: “Atenção, pessoal: o juiz Pacheco deferiu liminar obrigando o promissor craque ´Fulano´ a pensionar sua filhinha de quatro anos. A grana é alta!”.

Dois detalhes chamaram a atenção na decisão inicial. Primeiro: a fixação dos alimentos, mensais, em R$ 37.476,93 - textualmente comparado como “o valor do maior subsídio pago a um ministro do STF”.

Segundo: o arresto de R$ 224 mil, no Brasil, em ativos financeiros do demandado, “valor equivalente a seis meses de pensão, bloqueio apto a cientificar o requerido sobre a ação, mesmo estando ele no exterior”.

O temor na CBF era o de que o craque fosse citado na concentração em Sochi ou no vestiário - antes ou depois de uma das partidas na Rússia - e que os ricochetes da carta rogatória repercutissem no ânimo do grupo.

O Jurídico da CBF pôs em ação um advogado de idônea atuação no foro da ação. Assim, o Doutor Freitas apresentou poderes para receber a citação inicial. E na contestação logo afirmou que a argentária mãe “omitiu que, em precedente ação, foi o requerido excluído da paternidade”. Tudo devidamente documentado. E por aí...

Via agravo, o caso chegou ao tribunal, onde a câmara desde logo enfrentou as condições da ação. Concluiu então pela “extinção da ação de alimentos, sem resolução do mérito, em razão da precedente ocorrência da coisa julgada”. E não houve mais recursos processuais.

O craque réu passou os cinco jogos sentado no banco, à beira do gramado, sem vitrine. Mas – bom para ele – deixou a Rússia com a notícia de sua brasileira vitória judicial, e ileso a imaginados ataques jurisdicionais num outro banco – aquele que faz frequente propaganda na tevê e onde há polpudos saldos.

Entre os demais 24 companheiros de grupo, o futebolista chegou até a ganhar um insinuante apelido: “Colega Ministro”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A fama do João Grande

 

A fama do João Grande

Era uma ação penal contra um homem que estaria ofendendo e ameaçando a ex-esposa. As desavenças ocorriam porque ela postava, nas redes sociais, que o ex-marido vivia sempre na casa do João Grande, famoso na cidade gaúcha por ser bem-dotado.

Charge de Gerson Kauer

O gaúcho caloteiro

 

O gaúcho caloteiro

A difícil intimação de um fazendeiro, já conhecido no meio forense, como o Senhor Caloteiro. O êxito da diligência só acontece porque, no esconderijo, o devedor é acometido de coceira causada por urtiga.

Charge de Gerson Kauer

   A experiência dos velhinhos

 

A experiência dos velhinhos

Segundo a cartilha do banco, os saques mínimos no atendimento presencial seriam de R$ 200. Saiba como a idosa senhora - mãe de um advogado e avó de um estagiário do tribunal - convenceu o caixa de que ela tinha direito líquido e certo a sacar apenas R$ 50.

Charge de Gerson Kauer

Quando o suposto amor vira negócio

 

Quando o suposto amor vira negócio

O cliente, à hora da saída do motel, acelera o carro, derruba a cancela e se vai em desabalada fuga. Saiba porque, em Juízo, o tresloucado gesto do homem comove o juiz e obtém simpatia do dono do estabelecimento de hospedagem.

Gerson Kauer

Perfume de segunda categoria

 

Perfume de segunda categoria

Após presidir a audiência de ação penal relativa a roubo à mão armada ocorrido em uma loja de perfumes, o elegante juiz é surpreendido com a pergunta desferida pela vítima: “Doutor, o senhor tem compromisso para hoje à noite?

Gerson Kauer

Casa de marimbondos

 

Casa de marimbondos

Após a vã tentativa de avaliar uma velha colheitadeira penhorada, o oficial de justiça certifica em minúcias: “Não pude me aproximar da máquina, pois na parte interna do teto da cabine tem uma casa de marimbondos do tamanho de uma caçamba de pampa, tendo este servidor medo de levar múltiplas ferroadas”.