Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de junho de 2019.

Município e secretário condenados por colocarem marceneiro no castigo



Transitou em julgado uma decisão da 2ª Turma do TRT da 4ª Região (RS) que confirmou sentença que condenou, solidariamente, o Município de Lajeado (RS) e o ex-secretário de Obras Adi Cerutti por assédio moral cometido no ambiente de trabalho. A indenização foi arbitrada em R$ 5 mil (valor nominal).

A procedência do pedido de indenização decorreu de conduta do então secretário, por transferir o empregado Marcos Antonio Schuster para outro setor em que não haviam atividades a serem executadas. Complementarmente, o obreiro recebeu determinação para cumprir seu horário de trabalho sentado em um banco, no local de trabalho. A prova testemunhal comprovou as alegações da petição inicial.

Schuster, 55 de idade atual, é marceneiro e foi admitido em maio de 1995, mediante concurso público. Até julho de 2016 o regime dos servidores era celetista; posteriormente passou a ser estatutário.

O julgado do TRT-4 entendeu configurado o assédio moral, face ao “comportamento do empregador e seu preposto que expôs o empregado a reiteradas situações constrangedoras, humilhantes, causando degradação do ambiente laboral e aviltamento da dignidade do trabalhador”.

A desembargadora Tania Reckziegel observou que “não obstante o poder diretivo do empregador permita-lhe indicar o modo da prestação de serviço e, consequentemente, cobrar a observância deste, tal prerrogativa não o autoriza a adotar conduta ofensiva, que viole a honra objetiva e/ou subjetiva do empregado”.

O Município de Lajeado já fez o depósito do valor atualizado e com juros da condenação: R$ 6.668 – independentemente da prestação financeira do ex-secretário Adi Cerutti condenado solidariamente. Este, atualmente, é vereador (PSD) no município.

Atuaram em nome do reclamante os sócios integrantes da sociedade Brancher, Gravina & Zanatta Advogados. (Proc. nº 0020055-26.2015.5.04.0772).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Mesada em substituição à aposentadoria

O TRT de Minas cria original precedente: responsabiliza o empregador a pagar mensalmente, a um trabalhador que tenta se aposentar, o valor que ele teria direito de receber. A obrigação persistirá até que a situação dos recolhimentos previdenciários seja resolvida junto ao INSS.

Decisão do STF suspende acórdão do TRT da 4ª Região

Acolhimento liminar de reclamação suspende decisão que determinava que uma empresa gaúcha procedesse ao desconto da contribuição sindical de todos os trabalhadores, ainda que estes não tenham autorizado.

Cola prejudicial à saúde

TRT-RS condena empresa fornecedora de equipamentos hospitalares. Acórdão alerta para os riscos das lidas com a cola ciclohexanona.