Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de dezembro de 2018.
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

“Não existe político no céu”



Chargista Ivan Cabral

Imagem da Matéria

 Céu satânico

Preciosa esta da “rádio-corredor” do foro da Justiça Federal no Rio.

Textualmente: “Um dia desses, uma equipe foi à casa de uma política cumprir uma busca e apreensão. Um agente achou um antigo bloco de anotações, onde – entre outras coisas – flagrou a seguinte frase: ´Não existe político no céu´”.

Faz sentido!...

• Ensinamentos do cárcere

Tem também esta, difundida pela “rádio-corredor” da OAB do Paraná.

No lixo seco saído da confortável cela presidencial de Lula, a existência de um papelucho com uma recomendação à mão, que o ex-presidente teria dado para Haddad: “Nos debates, olhar para a câmera e responder o que bem entender, mesmo que não tenha nada a ver com a pergunta”.

No mesmo papelucho, um lembrete: “Incluir o povo no orçamento do país”.

 Suítes e masmorras

A propósito de conforto e mazelas em prisões, dados do cadastro nacional de presas grávidas e lactantes - criado e mantido pelo Conselho Nacional de Justiça - apontam que, entre as mulheres reclusas no Brasil, 466 estão grávidas ou são lactantes.

Os dados são de setembro último e representam aumento de 10% em relação ao mês anterior. Do total, 294 eram gestantes e 172 amamentam seus filhos em estabelecimentos penais.

Entrementes, já condenado em segundo grau a 30 anos e 9 meses de prisão, José Dirceu – libertado “provisoriamente” (...) por Toffoli, Lewandowski e Gilmar no dia 26 de junho – está ora em casa, ora lépido e faceiro varando o Brasil. Como ele próprio já disse, está em preparativos “para tomar o poder”.

 Ué...

E aquela frase bonita de que "todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza” - vale onde?

“Ah, é meramente um escrito do artigo 5º da Constituição. Poderosos são, frequentemente, inalcançáveis” – diria, com razão, o saudoso jurista Bento de Ozório Sant´Hellena.

• Sonho impossível

Do compositor Jorge Aragão, sobre o Brasil que ele deseja: “Um país minimamente igualitário em etnias e oportunidades, tendo os três poderes sob ótica, orientação e condução femininas”.

A frase é linda e, ideologicamente, legítima. Mas não passa de um sonho – afinal, imaginar é grátis e não custa nada.

 Crimes cibernéticos

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (17), projeto que cria juizados especiais criminais para crimes cometidos pela internet.

O texto, de autoria da deputada Laura Carneiro (DEM-RJ), segue para o Senado.

A modificação da Lei dos JECs dará a estes a responsabilidade pela conciliação, julgamento e execução de penas aplicadas por infrações penais de menor potencial ofensivo cometidas pela internet. Os novos juizados também serão responsáveis por casos de roubo de dados, extorsão, chantagem e violência contra crianças. (PL nº 6832/17).

Antes deste último tópico, charge do Geddel esperando o irmão > só na página interna

• Carainho & Bitelo

Não se trata de dupla sertaneja – mas sim de como é identificado, na “rádio-corredor” do STF, o caso das malas e caixas dos R$ 51 milhões encontrados num bunker político, em Salvador (BA).

Carainho e Bitelo são os codinomes como Geddel e seu parceiro mano Lúcio eram conhecidos no propinoduto da Odebrecht.

Se dependesse do ministro Edson Fachin o caso iria a julgamento em novembro. Pela vontade de Toffoli, só em 2019.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Diferenças e semelhanças entre os nojentos Abdelmassih e João de Deus

• Por enquanto, o ex-médico leva vantagem sobre o ex-medium. Graças a uma decisão do notório Ricardo Lewandowski, a pena de 278 anos de prisão, do primeiro, está sendo cumprida em casa.

 O que Machado de Assis escreveu sobre o diabo em 1906: “Se tu podes vender a tua casa, o teu boi, o teu sapato, coisas que estão fora de ti, como é que não podes vender a tua opinião, o teu voto, a tua palavra, a tua fé, coisas que são mais do que tuas?

 Tartaruga trintenária: a solução no STJ de uma das mais de 50 ações sobre o naufrágio do “Bateau Mouche”.

• Ri Happy: brinquedos para crianças, mas desconsideração aos avós.

Lasier Martins confundiu o público com o privado

 Senador gaúcho foi ao Rio, para a formatura da filha, com passagens e diárias de hotel pagas pelos cofres públicos. Que feio!

• Fernando Haddad condenado a indenizar Edir Macedo, chamado de “charlatão”.

 Cuidado para não emprestar seu nome!

 Um trenzinho de alegria apita para anunciar sua chegada na Câmara Federal.

• Jornalista Liziane Lima despede-se da Comunicação Social da OAB-RS.

Uma maneira expedita de responder as apelações: carimbar, carimbar...

 Ministro Carlos Marun vai passar o Dia do Marinheiro no Líbano...

 Michel Temer também vai viajar.

 Seu notebook pifou? Faça como a global Andréa Beltrão!

 Senado aprova o projeto que garante, aos advogados, o acesso a atos e documentos de processos judiciais eletrônicos, mesmo sem procuração específica.

 Chega ao STJ a primeira das ações cíveis que trata da queda do avião em que morreu Eduardo Campos.

 A OAS vai ser despejada em São Paulo.

Antes que o governo Temer acabe, o gaúcho Carlos Marun vai fazer uma “inspeção” no Líbano

 E na mesma linha das “viagens do adeus”, duas representantes do moribundo Ministério dos Direitos Humanos vão a Lisboa e Viena, para uma “visita técnica de prospecção”.

 Um projeto da deputada Clarissa Garotinho para salvar papai Garotinho.

 Lembram do mensalão do PT? Pois Marcos Valério é o único que ainda está preso.

 Uma estátua gremista para o zagueiro Bressan. Só que...

 Uma vaga no Presépio de Natal para Magno Malta.

 Justiça celestial recebe - afinal e definitivamente - executivo da Petrobras condenado a 24 anos de prisão e a devolver US$ 8 milhões.

Adivinhem a causa do fechamento de duas lojas de trajes finos masculinos

 Caiu o faturamento delas, porque 92% de seus clientes estão enrolados na Laja Jato.

 O borracheiro baiano que criou uma holding de R$ 580 milhões em sociedade com uma advogada

• Das redes sociais para o Brasil inteiro: “Sérgio Moro não saiu da justiça para fazer política; mas entrou na política para fazer justiça”.

• Os novos tempos de Toffoli no Encontro Nacional do Poder Judiciário: as cataratas de Foz do Iguaçu como panorama de fundo.

 O outono europeu é lindo: antes que Bolsonaro liquide com o Ministério dos Direitos Humanos, emissárias de Temer fazem “visitas técnicas de prospecção” em Lisboa e Viena.

 Um potim do livro “Jardim das Aflições”.