Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 30 de junho de 2020.
https://espacovital.com.br/images/jusazul.jpg

Operação ´Apito Amigo´



Chargista Duke – Reprodução de redes sociais

Imagem da Matéria

Muitas notícias - A começar pelo “ludocleptismo” que está em alta. Mais um apito amicíssimo em favor do Inter. Segundo levantamento feito pelo saite Centraldoesporte, se tivesse sido utilizado o VAR, o Inter teria 14 pontos a menos. Embora, na minha contabilidade sejam 17 pontos. Eis a “ludopecleptoamizade”. Ou seja, com VAR o Inter estaria em 7º lugar.

Aviso ao Lisca e aos torcedores do Ceará. É provável que, depois do jogo Ceará x Inter, vocês tenham de correr à Delegacia do Idoso (afinal, Ceará é vovô) para denunciar mais um episódio da série “Ludocleptismo no campeonato brasileiro”. Mas, fazer o quê? O Pravda da Ipiranga dá na capa que o pênalti foi polêmico (sic).

Na novilíngua da IVI – Imprensa Vermelha Isenta - isso quer dizer “ilegal, irregular, subtraído, cleptado, surrupiado”. Dizem as redes sociais que Noveletto deu a ordem: “Na dúvida e mesmo sem ela, pênalti para o Inter”. Mesmo quando for bem fora da área.

Outro assunto. O comportamento da IVI no caso Grêmio-Conmebol. Um dos componentes da dupla ´neoludosertaneja´, Diogo Olivier (seu companheiro é o Diego, da CIA – Comentaristas Isentos de Arbitragem -, que deve ter recebido folga na redação pós-mais-um-pênalti-escandaloso), debocha dos dirigentes e da torcida do Grêmio, chamando-os de ingênuos e infantis por terem acreditado e plantado ilusões na massa tricolor. Ah, bom. Esse Diogo Pipoca... Penso que a direção do Grêmio deveria reagir.

A IVI não se segura. Está excitadíssima (molhadinha) com a eliminação do Grêmio. O que mais pode ganhar de presente um ´ivista´ do que a desgraça do Grêmio e, ao mesmo tempo, vários pênaltis em favor do seu time do coração? Gloria a Deuxxx.

Para colar na geladeira a frase de Itararé“De onde menos se espera, dali mesmo é que não sai nada”: esta é a frase aplicável à absoluta ausência do Noveletto no episódio Conmebol. Que vergonha! Que feio! A biografia do Nove-Velho-Letto cresce como rabo de cavalo, dia a dia.

Um dos personagens da semana é Odair, técnico do Inter - Vigilante, sempre reclama dos erros de arbitragem contra o seu time. O pênalti de domingo...ele não estava olhando a jogada. Ah, bom.

Outro personagem: Justo Guerra – Ele inventou uma coisa nova para uso exclusivo da IVI: a classificação da importância dos pênaltis surrupiados. O laboratório da IVI não tem limites. Justo, o cientista.

Nova doença - Já com relação ao Grêmio, descobriu-se uma nova doença chamada ´Bressanismo´ ou ´Bressanopatia´, conjunto de vírus e bactérias que atuam em vários pontos do tecido esportivo.

Em parte, (i) é produto de torcedores chapa branca, que, como paracetamol, disfarçam a doença e vão levando o paciente à ilusão de que está tudo bem; (ii) de outra parte, é produto de uma coisa chamada bruxismo: é a predileção do técnico por determinados jogadores, que atua como picos de euforia e picos de depressão. Joga uma bem, o que dá a ilusão de que o resto é contingência e culpa dos colegas. (iii) O terceiro elemento é a teimosia e arrogância do técnico, desafiando os deuses do futebol, que não perdoam.

Para verificar esse terceiro vírus, basta ver os últimos dez erros de Bressan. Não foi por falta de aviso. Com exceção dos chapas-brancas – que sempre concordam com tudo por razões que todos sabem – todos alertávamos de que o doente estava mal. Deu no que deu. Contaminou todo o ano.

Importante - Sobre chapa branca, invoco o bordão de um determinado candidato a presidente: “Tem de acabar com isso daí”. O chapa branca é como cargo de confiança. Nunca critica o chefe. E fala mal de quem critica o chefe. Ludobajuladores fazem mal ao clube e ao time. Assim como alguns empresários que sabem vender bem o seu peixe (podre). Ah: Quando falo de Bressan, leia-se também M.O. e quejandos.

Rescaldo - Do desastre do jogo Grêmio x River – com postura do time e substituições mal feitas – resta cumprimentar aos nossos craques jurídicos Nestor Hein e Leonardo Lamachia na defesa do Grêmio, no Paraguai. Perdemos. Assim como se perdem processos no Brasil todos os dias. Tem-se o direito... mas aí vem a política.

Meu futuro profissional - Depois de ver a postura do Grêmio contra o River e do Atlético-PR contra o Inter, vou mudar de profissão. Serei coaching de técnicos de futebol. Para mostrar que quem recua o time...sempre se lasca. É como a lei da gravidade.

PS - Sigam o twitter do Jus Azul: @streckgremio.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Porque a IVI e a CIA deveriam ler Gulliver e “1984”!

“Gostamos tanto de futebol. Conhecemos as regras, podemos xingar o juiz, dizer palavrões e fazemos a nossa guerra particular, torcendo para os artilheiros furarem a defesa a barreira do adversário. Deveríamos aproveitar melhor os espaços nos meios de comunicação para tratar mais de cultura”.

O terraivismo, versão do terraplanismo futebolístico

Manchete de Pedro Ernesto: “Dupla Gre-Nal agoniza financeiramente na pandemia”. Ora, o Grêmio pode não estar tão folgado. Mas, por favor, comparar com as finanças do Inter, só com a tese dos dois demônios. O momento já tem até um slogan da IVI: “Vamos arranjar uma crise gremista”!

Foto: Creative Commons

Escolhida a seleção dos filósofos e o treinador

 

Escolhida a seleção dos filósofos e o treinador

“Quarentena, futebol parado, IVI bocejando, resolvi chatear os leitores com um assunto que é a antítese da linguagem chula, antítese de palavrões. Entre os escolhidos, unanimidade para Aristóteles, relembrado neste busto construído para homenagear o Liceu criado pelo filósofo”.