Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 17 de maio de 2019.
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

A cadeira “permanente” que era apenas temporária



Foto: Divulgação/Murilo Matias/Grêmio

Imagem da Matéria

 “Permanente” – mas temporária...

O advogado Antonio Carlos de Azambuja (OAB-RS nº 4.094), um apegado torcedor gremista da chamada “velha guarda”, não teve sucesso na sua tentativa de assegurar a continuidade do uso e da posse de uma “cadeira permanente” que ele desfrutou, dezenas de anos, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, à qual ele não teve mais acesso desde 2013, quando os jogos passaram a ser disputados na Arena.

A ação tem como réus, além do Grêmio, a Karagounis Participações S.A. e a OAS 26 Empreendimentos Imobiliários.

Em primeiro grau, a juíza Carla Patrícia Boschetti Marcon concluiu que “o torcedor não possui direito real sobre a cadeira – e o vínculo dele como clube é de natureza associativa”. Para a magistrada, apenas fora transferido ao autor, por seu pai, o mero direito contatual de ocupação da cadeira permanente – mantendo-se a propriedade do estádio com exclusividade do Grêmio.

Houve apelação. A 18ª Câmara Cível do TJRS rechaçou a tese recursal de que houve inadimplemento de contrato por parte do Grêmio. Conforme o relator Heleno Tregnago Saraiva, “não há configuração de direito real”.

O voto explica que “a pretensão está amparada no direito obrigacional vinculado ao direito de assistir aos jogos no Estádio Olímpico Monumental, e não um direito real, como pretende o autor” – não se estendendo, assim, à Arena do Grêmio. (Proc. nº 70078729779).

 503 ações para censuras informações na internet

Os políticos brasileiros moveram ao menos 503 ações judiciais durante as eleições deste ano, na tentativa de censurar informações da internet. Os processos foram contabilizados pelo ´Ctrl+X´, projeto da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) que monitora tentativas de cerceamento de conteúdo na Justiça.

Como candidato, Jair Bolsonaro foi o político que recorreu mais vezes aos tribunais para a retirada de notícias negativas e publicações críticas a ele da web. Foram 31 ações.

Em seguida, vem Helder Barbalho, governador eleito do Pará, com 17 ações. Em terceiro, o candidato derrotado a governador do Amazonas, Amazonino Mendes, com 12.

Em 247 dos 503 processos – o que, como média, corresponde a 49% - os juízes aceitaram os argumentos dos políticos de que as reportagens e publicações no Facebook configuravam propaganda eleitoral negativa, por exemplo e determinaram que as informações fossem retiradas do ar.

 Indulto do colarinho

O STF adiou para a próxima quarta-feira o julgamento da medida cautelar na ação direta de inconstitucionalidade nº 5.874, que trata do indulto de Natal concedido, generosamente, no ano passado por Michel Temer. No texto legal do chamado “indulto do colarinho branco”, era sutilmente concedida uma generosa folga penal a algumas notórias figuras da República.

Chegou-se a dizer que o decreto presidencial só não tinha as fotos dos beneficiários. Na época, uma liminar da então presidente Cármen Lúcia suspendeu as benesses penitenciárias.

No Supremo, a “rádio-corredor” dali – que pretende inovar, chamando-se de “rádio-toga” – dizia-se ontem (22) que os onze ministros estão divididos. E que, talvez, a decisão final resulte do voto de minerva do presidente Toffoli. Mas há controvérsias.

 Fofura

“Achei tão fofo o STF afirmar que ´quem vai pagar pelo aumento deles de 16% é o Tesouro´. Adoro quando – como contribuinte do erário – me chamam de Tesouro. E vocês?”

(De uma ativa advogada gaúcha – atenta e irônica - esta semana, nas redes sociais).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Antonio Carlos De Azambujaantonio Carlos De Azambuja - Advogado 23.11.18 | 06:22:50

Sem trânsito em julgado. Há embargos declaratórios. Processo correndo em segredo de justiça desde 2013, a pedido dos réus, OAS e Grêmio. Ação de manutenção de posse (velha), com alternativa de rescisão e indenização. Principal eficácia da decisão: perda, pelos titulares de uso das cadeiras permanentes ou perpétuas do Olimpico, simples associados na Arena, da possibilidade de transferir o direito a terceiros. CC artigo 36.

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Um novo round no enfrentamento entre OAB-RS e o juiz Guilherme da Rocha Zambrano

• Sentença proferida pela juíza federal Paula Beck Bohn condena a Ordem gaúcha a pagar R$ 10 mil ao magistrado.

 Decisão anterior do juiz federal Francisco Donizete Gomes atribuiu segredo de justiça ao feito.

 Editora Abril condenada por veiculação de anúncio sobre “sexo selvagem”.

 Certezas e dúvidas de Dilma Rousseff sobre jogos da Libertadores da América.

 Gata pode ficar em apartamento residencial, se não incomodar os vizinhos do prédio.

As contagens de Sérgio Moro: o tempo até chegar ao STF e a expansão dos seus cabelos brancos

 O ex-juiz federal está a 17 meses e meio de distância temporal da Suprema Corte. Enquanto isso, seus cabelos brancos já estão chegando.

 As quatro justificativas para que a lagosta passe a ser o novo símbolo do STF.

 Michel Temer compara a sua cela paulistana com o cárcere de Lula, em Curitiba.

 O primeiro emprego formal para o jovem brasileiro só chega, em média, aos 28 anos e seis meses de idade.

• Romero Jucá não para: ele se prepara para prestar consultoria à Confederação Nacional de Comércio.

• Ameaças de morte na Faculdade de Direito de Brasília.

 Azul faz nova oferta pela Avianca (que tem R$ 3 bilhões de dívidas).

Os 25 livros lidos por Lula que podem ajudar na progressão da pena

   São: “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa; “A Virtude da Raiva”, de Arun Gandhi; “O Alufá Rufino”, de João José Rei.

E mais outros 22.

   Mas a “rádio-corredor” da OAB do Paraná sugere que o ex-presidente seja submetido a uma prova objetiva com 100 perguntas, nos mesmos moldes do Exame de Ordem.

A surpresa no cardápio da gastronomia oficial do STF

As críticas das redes populares sobre as mesas fartas de comes e bebes pretendidas pela presidência do Supremo.

 Decisão judicial apelidada de “moqueca jurídica salgada” suspende a “farra das lagostas”.

• A maldição da camiseta 22 no Grêmio.

 De novo, a American Airlines espezinha clientes brasileiros.

 Nos Correios, um chefe para cada dois servidores.

Sucatas aéreas nos céus brasileiros – como já disse o ex-prefeito José Fortunati

 Antes do voo direto do Rio para os EUA, um ´chá-de-banco´ que durou compulsórias 14 horas. Com um prêmio de consolação: um voucher de 12 dólares para que os passageiros que perderam as conexões pudessem pagar o jantar e o café da manhã...

  A grande empresa estadunidense que tem a maior frota do mundo (1.579 aeronaves), trata passageiros brasileiros como se fossem índios tupiniquins.

  Entrementes, o STF abre a licitação para a farra das lagostas.