Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de abril de 2019.

Decisão judicial manda aprender duas aeronaves da Avianca Brasil



A quinta-feira 6 não foi um dia tranquilo para a Avianca Brasil. A companhia teve duas aeronaves Airbus A320 (PR-OBQ e PR-OBR) apreendidas no aeroporto de Brasília, por determinação judicial, por falta de pagamento, numa ação movida pela empresa Boc Aviation Limited. As informações são do Portal Metrópoles e do saite Melhores Destinos. Além disso, numa outra ação, movida pela Constitution Aircraft Leasing, a companhia brasileira enfrenta o pedido para a devolução de mais onze aeronaves.

As decisões são liminares e contra elas cabem recursos. No entanto, o mercado especula que uma outra estratégia para evitar a tomada das aeronaves, seria entrar com um processo de recuperação judicial – o que impediria a cobrança dos débitos pelos credores. Mas, de acordo com o portal da Revista Veja, a empresa nega que irá fazer isso e informa que “está negociando”.

Por enquanto, pela retenção de duas aeronaves, os passageiros parecem não ter sido afetados. Mas caso a companhia seja obrigada a entregar mais onze aeronaves, há risco da operação ser afetada.

Em nota à imprensa, a Avianca Brasil tentou passar tranquilidade aos seus clientes e ao mercado:

A Avianca Brasil explica que negociações fazem parte da rotina de qualquer empresa para otimização de resultados e esclarece que processos como esse são previstos pela companhia. A Avianca Brasil nega qualquer rumor relacionado a um possível pedido de recuperação judicial e reforça que suas operações não foram ou serão impactadas.

Fatores externos como a alta do dólar, o aumento histórico do preço do combustível de aviação e a greve dos caminhoneiros têm desafiado todo o setor em 2018. Nesse contexto, é natural e previsto que todas as empresas busquem otimizar a gestão de seus recursos da melhor forma possível, o que inclui a adequação de frota à demanda de passageiros”.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Chargista DUKE

Presidente do Senado volta atrás e decide levar a abertura de CPI da Lava Toga ao plenário

 

Presidente do Senado volta atrás e decide levar a abertura de CPI da Lava Toga ao plenário

Depois do arquivamento decidido pela CCJ do Senado, Davi Alcolumbre cede ao clamor popular e de colegas e decide levar a matéria à votação de todos os senadores. Mas ainda não há data marcada. O anúncio de Alcolumbre ocorreu em um dia de muitas críticas ao Supremo Tribunal Federal em todo o Brasil. O senador gaúcho Luiz Carlos Heinze sustentou que “cabe agora aos cidadãos de todo o país cobrarem a votação dos senadores de seus respectivos Estados”.

Empresas de ônibus, respeitem os idosos!

Caso gaúcho, com repercussão nacional. O STJ confirma decisão do TRF-4 em ação civil pública contra a União e a ANTT. As taxas de pedágio e utilização de terminais rodoviários estão inclusas na gratuidade das vagas asseguradas aos idosos nos ônibus interestaduais.