Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira, 19 de fevereiro de 2019.
https://espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Delatores premiados devem R$ 422 milhões às contas da Lava Jato



Chargista Junião

Imagem da Matéria

 Dinheiro e avareza

A Procuradoria Geral da República lançou ontem (10) uma ferramenta para alertar os procuradores sobre prazos de pagamento de multas e cumprimento de penas de acordos de leniência e delações premiadas da Lava-Jato. O sistema já tem as informações de 170 acordantes, mas o número de acordos firmados no STF e no STJ é 50% maior.

A ferramenta mostrou, nesta segunda-feira, que há, por exemplo, atraso no pagamento de R$ 422,9 milhões. Outros R$ 277,6 milhões irão vencer brevemente. Já foram arrecadados R$ 848,3 milhões em multas e bens arrestados.

“Dinheiro na mão é vendaval”. A expressão, cunhada por Paulinho da Viola na canção Pecado Capital, se popularizou como metáfora da tentação de gastar tudo o que se tem, embora a letra trate justamente do contrário: a avareza.

Recorde o áudio da compassada música que fez sucesso nos anos 80. Clique aqui.

  Nenhuma mulher presidente

Apesar da existência de 545 mil mulheres advogadas brasileiras, no próximo triênio (2019/2021) todas as seccionais da OAB do país serão presididas por homens – eles são um contingente de 572 mil.

Em todos os 26 Estados e no DF, das mais de 70 chapas inscritas, apenas nove eram encabeçadas por mulheres. E destas, uma desistiu da candidatura à presidência às vésperas do pleito. O Ceará teve duas chapas tituladas por profissionais do gênero feminino.

Os Estados em que mulheres concorreram à presidência da OAB foram Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Rondônia. No Piauí, a advogada Geórgia Nunes concorreu a presidente da seccional, mas desistiu um dia antes da eleição e candidatou-se ao cargo de conselheira federal pela chapa vencedora.

Apesar de não ocuparem nenhum posto da presidência das seccionais no próximo triênio, as advogadas são maioria entre os eleitos para os cargos de vice-presidente. Nos 26 Estados e no Distrito Federal, elas ocuparão 19 postos de vice-presidência. Na Ordem gaúcha, entre os cinco futuros cargos de comando, duas são mulheres: Regina Adylles Endler Guimarães e Fabiana Azevedo da Cunha Barth, respectivamente secretária-geral e secretária adjunta.

E no Conselho Federal da Ordem, as mulheres ocuparão 16 das 81 vagas de conselheiros titulares.

É pouco!

 

  Direito à herança

A paternidade socioafetiva - declarada ou não em registro público - não impede o reconhecimento do vínculo de filiação baseado na origem biológica, com todas as suas consequências patrimoniais e extrapatrimoniais. Ainda mais quando a ação investigatória de paternidade é ajuizada por iniciativa do próprio filho, o maior interessado.

Nessa linha, a 8ª Câmara Cível do TJRS manteve sentença que deu procedência a uma investigatória que tramitou na comarca de Cachoeira do Sul.

O colegiado entendeu que a decisão de origem foi correta, “pois o pedido de investigação partiu da filha quando o investigado ainda era vivo, não recebeu oposição do pai registral e, o que é o mais importante, a perícia comprovou o vínculo genético”. (Proc. nº 70071160394).

 Dirceu longe de Lula

José Dirceu lançou seu livro de memórias ontem (10), em Curitiba (PR), na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Civil e Mobiliária.

O ex-ministro, que responde em liberdade aos próximos passos do seu recurso, não visitou o Acampamento Lula Livre, perto da prisão onde está o ex-presidente. Na carceragem, Dirceu não seria mesmo admitido, até porque não pode mais se intitular advogado, pois teve seu registro cassado pela OAB-SP em 10 de fevereiro de 2017.

Há também diferenças entre os dois. Uma coisa é Lula - condenado pelo TRF-4, a 12 anos e 1 mês de reclusão - estar recolhido ao cárcere, em Curitiba, desde 7 de abril deste ano.

Outra, bem diferente, é José Dirceu – também condenado pelo TRF-4, a 30 anos e 9 meses de prisão - estar em liberdade desde 27 de junho último, por decisão dos notórios Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes.

Em outras palavras: Dirceu ainda tem supremo poder; Lula quer ter - mas, por mais que insista, não tem conseguido.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

São sete advogados ´trans´ no RS e 65 no Brasil todo

• Resolução do CF-OAB permite que travestis, transexuais e transgêneros usem seus nomes sociais, substituindo o nome civil no exercício da profissão.

 O doce mundo depois da delação premiada: Fernando Baiano, condenado a 16 anos de prisão e multa de R$

 Doleiro obtém habeas corpus mediante fiança de R$ 5 milhões.

81% dos magistrados brasileiros são a favor!

• No inglês literal, “plea” traduz-se como “apelo” (tipo de recurso). Mas, especificamente, “plea bargain” significa “acordo”.

• Curiosidades da pesquisa “Quem somos: a magistratura que queremos”.

 No item “juristas mais lembrados”, dentre 3.000 nomes mencionados, só quatro são da atual composição do STF.

• O lado patrimonial do “auxílio-moradia”: 70% dos juízes de primeiro grau e 93% dos desembargadores residem em casa própria.

Um bolo de aniversário que não faz a melhor comemoração

 A condenação de um ex-juiz, um servidor judicial e três advogados, numa sucessão de ilícitos – próximos dos seus 10 anos - cujo fim nunca chega.

• Consolidação da negligência e impunidade que, nos últimos 12 anos, marcaram grandes tragédias no país: nenhuma condenação criminal.

 Folia de importunadores sexuais aumenta no carnaval.

•  R$ 30 bilhões foram pagos, em 2018, em indenizações aos trabalhadores que venceram causas contra seus patrões.

OAB-RS exclui mais três advogados

 O saite da Ordem gaúcha revela a lista de 53 pessoas que já foram banidas da atividade advocatícia.

 Condenação por intolerância racial: TRF-4 reprime criminoso argumento de que “judeu bom é judeu morto”.

 Indenização para advogada gaúcha que, após viagem a Miami, recebeu uma das malas com dois travesseiros que substituíam as compras.

 Sentença assegura a averbação dos nomes de dois pais no registro civil de uma menina.

Maioria do TRF-2 considera inconstitucional a sucumbência para a AGU

• Nove votos já afirmaram que advogados públicos não podem receber honorários de sucumbência, caso a administração saia vencedora de uma disputa judicial.

 Bye, bye Brasil: 29% dos brasileiros gostariam de deixar nosso país.

 Curso de Direito continuará tendo cinco anos.

 STJ decide a restrição do foro privilegiado também para procuradores da República.