Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 17 de maio de 2019.
https://espacovital.com.br/images/smj.jpg

Lasier Martins confundiu o público com o privado



Tribuna da Internet

Imagem da Matéria

 Escorregão ético

Ao admitir que viajou ao Rio de Janeiro, no feriadão de 15 de novembro, com passagens compradas pelo Senado para participar da formatura de uma de suas filhas, o senador gaúcho Lasier Martins (PSD) falou a verdade. Mas deu um baita escorregão ético ao tentar justificar que “o setor responsável pela cota parlamentar autorizou, pois de acordo com o regimento, as passagens podem ser para qualquer parte do território nacional”.

Ficou feio! Na prática, Lasier misturou o interesse público com o privado. Melhor fará se devolver o dinheiro e pedir desculpas.

Bom pai, entusiasmado com a formatura da filha, o senador naturalmente tinha dinheiro seu para pagar a passagem e as diárias no Hotel Windsor. Optou pelo insustentável!

Na vã tentativa de explicar, o senador também ponderou “ser mais barato ir de Brasília ao Rio, do que da Capital Federal a Porto Alegre”.

Ainda que o pouco claro, ensaboado e escorregadio Regimento do Senado não especifique o destino das viagens, a cota para passagens aéreas pressupõe idas às bases de cada parlamentar e deslocamentos em função do trabalho.

O público e o privado não podem ser misturados, sob o risco de distorções.

 A propósito

Os dicionários brasileiros definem o que é imoralidade.

É a condição do que é imoral; o que contém despudor; ato praticado com indecência”.

 Ofensa na expressão “charlatão

O candidato derrotado à Presidência Fernando Haddad (PT) terá que pagar R$ 79 mil ao empresário e bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da TV Record, por chamá-lo de "fundamentalista charlatão" e afirmar que o religioso tem "fome de dinheiro". Além da indenização, a sentença determina ainda que Haddad se abstenha de praticar qualquer ato ofensivo ou inverídico sobre Edir Macedo, sob pena de multa R$ 10 mil por cada episódio.

Sentença proferida pelo juiz Marco Antonio Botto Muscari, da 6ª Vara Cível de São Paulo, também determinou que Haddad publique uma retratação em até 30 dias após o trânsito em julgado da decisão.

Não há trânsito em julgado. (Proc. nº 1018357-75.2018.8.26.0003).

 Não empreste o nome!

Sete por cento dos inadimplentes no comércio brasileiro são pessoas que emprestaram o nome para que algum(a) amigo(a) — de ficha suja no SPC — pudesse comprar fiado.

É o que revela uma pesquisa do CDLRio. Outra coisa: dos inadimplentes, 40% devem só até R$ 500.

 Trem da alegria

Os políticos, sempre eles...

Além do projeto que diminui o espaço de servidores e aumenta o de comissionados dos deputados, a Mesa Diretora da Câmara Federal pode votar a transformação em servidores efetivos de todos os funcionários que estavam em cargo de confiança em 5 de outubro de 1988, quando foi promulgada a Constituição, e ainda permanecem na Casa.

O deputado Giacobo, primeiro-secretário, pediu a Rodrigo Maia que a Câmara faça um estudo técnico dos casos e que, depois, a Mesa Diretora vote a mudança.

Tem trenzinho apitando na curva...

 Despedida

Onze anos depois de chegar à OAB-RS (dezembro de 2007) como estagiária de jornalismo, Liziane Lima – atualmente chefe da Comunicação Social da entidade – deixa ares gaúchos e vai para expectativas catarinenses.

A mudança tem um objetivo primordial: Liziane acompanhará o marido, que assume um promissor desafio na área financeira em um grupo empresarial, em Florianópolis (SC). O desligamento dela será na próxima sexta-feira (21).

A competente Liziane chegou à Ordem, em dezembro de 2007, sob o crivo do editor do Espaço Vital, Marco Antonio Birnfeld, que foi o criador e organizador do setor, nos primeiros meses da primeira gestão (2007/2009) de Claudio Lamachia. Já formada em Jornalismo, ela assumiu a chefia da comunicação da OAB gaúcha em julho de 2016.

Avante, Liziane!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Um novo round no enfrentamento entre OAB-RS e o juiz Guilherme da Rocha Zambrano

• Sentença proferida pela juíza federal Paula Beck Bohn condena a Ordem gaúcha a pagar R$ 10 mil ao magistrado.

 Decisão anterior do juiz federal Francisco Donizete Gomes atribuiu segredo de justiça ao feito.

 Editora Abril condenada por veiculação de anúncio sobre “sexo selvagem”.

 Certezas e dúvidas de Dilma Rousseff sobre jogos da Libertadores da América.

 Gata pode ficar em apartamento residencial, se não incomodar os vizinhos do prédio.

As contagens de Sérgio Moro: o tempo até chegar ao STF e a expansão dos seus cabelos brancos

 O ex-juiz federal está a 17 meses e meio de distância temporal da Suprema Corte. Enquanto isso, seus cabelos brancos já estão chegando.

 As quatro justificativas para que a lagosta passe a ser o novo símbolo do STF.

 Michel Temer compara a sua cela paulistana com o cárcere de Lula, em Curitiba.

 O primeiro emprego formal para o jovem brasileiro só chega, em média, aos 28 anos e seis meses de idade.

• Romero Jucá não para: ele se prepara para prestar consultoria à Confederação Nacional de Comércio.

• Ameaças de morte na Faculdade de Direito de Brasília.

 Azul faz nova oferta pela Avianca (que tem R$ 3 bilhões de dívidas).

Os 25 livros lidos por Lula que podem ajudar na progressão da pena

   São: “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa; “A Virtude da Raiva”, de Arun Gandhi; “O Alufá Rufino”, de João José Rei.

E mais outros 22.

   Mas a “rádio-corredor” da OAB do Paraná sugere que o ex-presidente seja submetido a uma prova objetiva com 100 perguntas, nos mesmos moldes do Exame de Ordem.

A surpresa no cardápio da gastronomia oficial do STF

As críticas das redes populares sobre as mesas fartas de comes e bebes pretendidas pela presidência do Supremo.

 Decisão judicial apelidada de “moqueca jurídica salgada” suspende a “farra das lagostas”.

• A maldição da camiseta 22 no Grêmio.

 De novo, a American Airlines espezinha clientes brasileiros.

 Nos Correios, um chefe para cada dois servidores.

Sucatas aéreas nos céus brasileiros – como já disse o ex-prefeito José Fortunati

 Antes do voo direto do Rio para os EUA, um ´chá-de-banco´ que durou compulsórias 14 horas. Com um prêmio de consolação: um voucher de 12 dólares para que os passageiros que perderam as conexões pudessem pagar o jantar e o café da manhã...

  A grande empresa estadunidense que tem a maior frota do mundo (1.579 aeronaves), trata passageiros brasileiros como se fossem índios tupiniquins.

  Entrementes, o STF abre a licitação para a farra das lagostas.