Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 17 de maio de 2019.
https://espacovital.com.br/images/jus_colorada_5.jpg

Operação Papai Noel



Arte EV sobre foto People/HowStuffWorks

Imagem da Matéria

Anos passados, sempre em dezembro, perto do Natal, a polícia noticiava à população que iniciaria a Operação Papai Noel. Os desavisados, ou mais moços, devem indagar: o que o bom velhinho tem a ver com uma operação policial?

Nada!                           

Como na época não havia cartão de crédito ou débito nas carteiras, elas eram recheadas de dinheiro para custear as compras dos presentes. A operação era singela, pedestais eram colocados nas principais ruas do comércio, onde brigadianos permaneciam fazendo uso de binóculos, vigiando conhecidos punguistas.

Bater carteiras era uma arte, hoje em extinção, que o diga a Petrobras.

Aliás, nesse quesito devo ter sido uma das últimas vítimas. Estava entrando no Mercado Público, quando uma mão invadiu e saiu do meu bolso, com velocidade de fazer inveja ao The Flash. Ainda consegui olhar o autor, um homem de idade, tal como eu, cabelos brancos e alguma dificuldade de evadir-se na multidão.

Pois bem, lembrei da tal Operação Papai Noel, quando - escutando as primeiras notícias de ontem - , tomei conhecimento de uma operação do Ministério Público, com busca e apreensão de documentos na casa dos apontados como autores de irregularidades na gestão Piffero.

De um lado uma tremenda vergonha, pois nada mais sobra imune às irregularidades administrativas no nosso Brasil. Poderiam ter poupado o nosso Inter, mas desconfio que sequer colorados são.

De outro, fiz uma rápida busca na memória para lembrar de tantos outros casos havidos nos demais clubes.  Aí, senti orgulho do Colorado, vamos atrás, vamos buscar responsabilidades e exigir punição e ressarcimento. Vamos tornar público para que ninguém mais faça isso, em homenagem a tantos e tantos anônimos que choram com lágrimas do coração pelos nossos eventuais fracassos.

Festejei o fato de agora terem chegado no futebol. Agora, vem peixe grande na rede.

Não quero ser vaidoso, mas li uma mensagem nas redes sociais que, por tudo que passei quando denunciava o que não havia provas, faço questão de reproduzir:

“... A propósito, verdade seja dita, o Siegmann avisou, hein...
Antes das eleições que elegeram o Piffero, lembro de ter ouvido
uma entrevista do Siegmann na Gaúcha, onde ele alertou
para tudo isso que aconteceu. Na época pareceu politicagem,
mas depois se viu que era verdade. (ass.: Luciano Pugliessi).

A Operação Papai Noel voltou com força. Fica uma pergunta: quem tem Mundial FIFA usufrui de cela especial?

Bem, desejo a todos, independentemente da coloração clubística, um Natal de harmonia e paz e um Ano Novo repleto de alegrias e esperanças.

Com as férias coletivas da Equipe Espaço Vital, despeço-me convidando-os a um reencontro aqui mesmo. Até o dia 8 de fevereiro de 2019!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

O Internacional de Ildo Meneghetti, Hugo Chávez, Olívio Dutra e Jair Bolsonaro

“Na última quarta-feira foram realizados protestos em Porto Alegre por universitários da UFRGS. Como em todas as manifestações, havia bandeiras de partidos políticos identificados como à esquerda no espectro político e de outros movimentos sociais. Surpreendeu-me negativamente verificar um grupo de manifestantes, utilizando sinalizadores vermelhos e ostentando uma faixa que indevidamente dizia: ´Inter antifascista´. Nossa agremiação é vermelha, popular e internacional, mas não confundam as coisas: somos apenas um clube de futebol”. 

O racismo e o futebol

“Nesta quarta-feira (8), no jogo entre Peñarol e Flamengo, parte da torcida uruguaia, chamava os jogadores brasileiros de ´macacos´.  Alguns, imitavam com gestos o animal em questão, aliás revelando um talento atávico. Isso me fez lembrar um episódio ocorrido no Estádio Olímpico, em 2011, defronte às sociais do dono da casa, quando o Zé Roberto (foto) aguardava para entrar em campo”

Tinga, eu e a velhice

“Escrevo sobre esse admirável ex-atleta do Inter, não apenas para revelar uma experiência, mas para afirmar o quanto é difícil adequarmos a idade e as nossas limitações à vida”.

Coração vermelho, vida que segue...

“Um recado a colorados e gremistas. Dias e noites intermináveis no Instituto do Coração fomentaram, em mim, profundas reflexões. Agora mais domesticado, mais adocicado, cumprimento o adversário pela conquista do Gauchão, que eu queria para o Internacional”.

Os 110 anos de Inter!

* Um pout-pourri de tópicos * O que temos a aprender com os gringos *  Pensando com a cabeça de quem joga xadrez e não damas, o empate ocorreu no âmbito das nossas possibilidades de pontuação *  Paciência com Guerrero, a partir de amanhã.

“E s t a u t a ?!”...

Depois de identificar o homenageado azul a partir do nome, passei a prestar mais atenção na obra, cheia de detalhes cômicos. Antecipo que não estabeleço uma disputa entre estátuas, pois considero aquela dedicada ao Capitão Fernandão, também horrorosa”